CHEGUE NA PAZ

27 de ago de 2010

Inquieto Coração

Quando chegar a hora da despedida,
irei embora dentro de uma branca esfera,
encontrar o meu paraíso de paz e amor,
de onde saí e lá eu sei que alguém me espera.

Nem sei mais o que faço por aqui,
já vivi tanto e beirando o cansaço,
tanta lida, tanto esforço, tanto embaraço,
o que mais me falta aprender neste latifúndio?

Quantos passos mais terei ainda que dar?
De quantos sonhos fugazes acordarei?
Nada mais espero deste destino incerto,
que me leva por onde o coração se inquieta...

Tanto bem querer, tantas ilusões,
abandonadas ao longo do caminho...
Confiar nos outros e depois perceber,
que votos de confiança são voláteis.

Sabemos que tudo na vida é passageiro,
mas que hajam espaços de afetos profundos,
em que laços se estreitem e sintam o prazer
de estarem próximos, pelo amor e pela bondade.

Mas chega uma hora em que mesmo cercados,
sentimos que nos falta algo que talvez nem seja
parte deste mundo circundante; seja muito maior,
esteja em outras paragens, em outras esferas.

Hoje olhando o mar imenso a perder de vista,
imaginei meu barquinho chegando com flores,
e nele pude embarcar serena e tranqüila,
por sentir que a missão chegara ao fim.

Senti uma alegria imensa contrastando
com as lágrimas que derramara antes;
talvez porque nada mais espere da vida,
que não seja o aquietar do coração!

Guida Linhares

Nenhum comentário:

Postar um comentário