CHEGUE NA PAZ

29 de jul de 2017



Pai, perdoa se me acovardo diante dos obstáculos.
Perdoa meu medo diante da dor e aflição, minha revolta diante da injustiça.


Perdoa meu sentimento de impotência ao ver a dor do outro.

Perdoa minha fraqueza diante do anúncio de grandes batalhas, perdoa se me sinto cansado de tantas lutas.

Perdoa minha indignação diante dos braços cruzados de quem tem o poder e nada faz...

Perdoa a lágrima sentida que cai em meu rosto, com gosto de mágoa pela ofensa, pela calúnia, pela falta de humanidade que percebo no outro. 

Perdoa o sentimento que muitas vezes chega com a vontade de ceder às demandas e desistir. 

Perdoa meu sentimento de solidão e desamparo diante do inesperado que fere.

Perdoa Pai, porque como filho eu sei: Estás aqui, sempre esteve, sempre estará. Olhas por mim e não me abandonas um segundo sequer. 

Sei, não foi para o sofrimento e a dor que me deste a dádiva da vida. 

Criaste todas as criaturas para a felicidade, o crescimento a realização e o amor.

Conheces minha alma, meu pensamento, sentimento e coração como ninguém, então perdoa esta sensação de fraqueza que nada mais é do que um momento de pouca fé.

Perdoa e me abençoa, dando-me coragem e forças para seguir lutando confiante em teu amor e proteção.

Perdoa e me ilumina, fortalecendo minha fé e o sentimento de gratidão por ter tuas mãos sobre mim, ter teu manto como meu escudo. 

Perdoa e olha por mim que confio em tua justiça, em teu amor e em tua divina luz que defende o bom e o justo, que ampara aquele que crê em ti.

Eu creio, confio e me fortaleço nessa prece que bem sabes é feita com a alma e o coração entregues.

Creio e agradeço.
Amém.

[Rita Maidana]

Nenhum comentário:

Postar um comentário