CHEGUE NA PAZ

14 de nov de 2011

Repensando...



"Já que colocam fotos de gente morta nos maços de cigarros,

por que não colocar também:

de gente obesa em pacotes de batata frita,

de matadouros em bandejas de carne,

de animais torturados nos cosméticos,

de acidentes de trânsito nas garrafas e latas de bebidas alcoólicas,

de gente sem teto nas contas de água e luz e...

de políticos corruptos nas guias de recolhimento de impostos?"


A.D.

ResPingo de saber

Reflexão de todo ano

Que as águas límpidas e aquela sensação de frescor, de banho tomado, de mergulho no mar contra ziquiziras, e uma brisa suave nos acompanhe hoje, amanhã e sempre.

Que nosso coração se fortaleça, e nos mantenha vivos como regentes harmoniosos de nossos destinos.

Que nossos olhos enxerguem longe - tanto as injustiças, como que consigam ver quaisquer ameaças veladas tramadas contra nós ou nossos amores.

Que nossas mãos sejam estendidas aos que as merecem, e que nossos pés toquem o solo reproduzindo vida e criação em sementes carregadas nas solas dos nossos sapatos. De nossa boca, que saiam respostas e soluções; ou perguntas inquietantes.

Que se rompa o medo que fez o silêncio muitas vezes comandar os arrependimentos que carregamos.

Que o peso da balança seja mais leve, e que a fita métrica meça e mostre sua altivez diante do mundo.

Que você tenha energia e equilíbrio para enfrentar percalços e perdas, tomando-as como ganhos e sabedoria, ou desígnios.

Que seus sonhos sejam sempre confortantes e restauradores, mesmo que viva só com seu travesseiro já roto, mas sabedor calado de segredos, dúvidas, angústias, pecados, fraquezas e cansaços.

Que você viva bem com você, com o espelho - do carro, do elevador, do banheiro, do hall de entrada, do reflexo do vidro, do copo de água bebido, da poça de chuva. Tal qual Narciso, tenha a honra de bem se mirar. E se ainda não puder fazê-lo, que consiga mudar a tempo para o ano que vem. Mas que consiga se ver.

Que uma seiva como a da alfazema, a luz do Sol, a beleza das flores e o canto dos pássaros, o amor bem feito, sejam os seus vizinhos, convidados a entrar todos os dias em sua morada, por menor que seja o espaço dela, ou sendo apenas o seu próprio corpo, sem teto, sem terra, sem lenço, sem documento. Anárquico, mas com as janelas abertas. Para que nenhuma clausura se justifique, a não ser na sua renovação, na meditação, e na procura por trilhas.

Que você seja um ser muito amado. E odeie menos.

Que perdoe mais, e que expire suas culpas antes que elas cresçam. E que todos os dias receba ao menos um olhar límpido da atenção de uma criança, que também pode estar em espírito dentro de um velho, do maltrapilho, do passante. Nos animais que parecem tudo saber e sentir quando nos pedem afagos, quando se esfregam em nossas pernas, quando emitem sons para os quais ainda não há tradução formal, mas você sabe.

Que consiga ultrapassar as barreiras impostas pela moral reinante de alguém a quem não se autorizou, e respeite todos os outros sexos, todas as outras manias, todas as outras crenças e não-crenças, todas as outras estéticas, culturas, hábitos. Mas jamais aceite a imposição de qualquer delas, se delas depender para ser aceito.

Não há tanta poesia no mundo, bem sei. E isso não mudará quando o calendário passar por qualquer das estações, sejam as do mundo, ou as do rádio que irradiará a realidade junto com sucessos musicais.

Certamente que não poderá comprar tudo o que deseja, e pode estar certo que dia após dia estará mesmo envelhecendo de alguma forma - como o vinho, como a madeira, ou como o alimento vendido nas prateleiras. Mas há a reciclagem. De nossas cinzas e de nossas ideias. Seremos, sim, substituídos. Só podemos rogar que sobrevivamos na memória dos que ficam, e enquanto ficam, e que assim a gente fique sempre.

Você já viu: começaram a chegar mensagens de Natal. Boas Festas. Paz na Terra aos Homens de Boa Vontade.

Que tudo se realize no ano que vai chegar. Sempre gerais e quase utópicas e iguais, impressas, com seus envelopes, alguns até garbosos. Por debaixo da porta, e não pela chaminé, entram os Papais Noéis, as guirlandas, caixinhas e lacinhos, sinos, renas e trenós. A tradição volta e se espalha pelas cidades, em luzes, nos enfeites nas janelas, alguns pelo amor. Outros, pelo comércio. Pouca ousadia para não cometer pecados numa época que todo mundo fica bonzinho, manso, solidário, principalmente com as pobres criancinhas pobres. Como se fossem dois mundos incutidos religiosamente nas cabeças desde a infância, há a procura pela família, os agrados dos presentes, lembrancinhas e dinheiro em listas, as cestas de Natal, as caixas de espumantes, os panetones.

O vai-e-vem, aqui, vira a forma metódica de ano após ano afirmar os caminhos pelos quais trilhou nos últimos meses. Uma espécie de revisão, nas barbas do tal Noel. Não se impressione com isso agora. Você pode todos os dias fazer um Natal interior. Que os anos sejam como os dias. Para a gente nascer, viver e morrer felizes, no que ainda der para salvar.

De um mundo todo girando, girando, girando.
Todos querendo uma resolução.
Uma revolução.

D.A

13 de nov de 2011

Antes de ser mãe

Antes de ser mãe...
Eu fazia e comia os alimentos ainda quentes...
Eu não tinha roupas manchadas...
Eu tinha calmas conversas ao telefone.

Antes de ser mãe...
Eu dormia o quanto eu queria e nunca me preocupava com a hora de ir para a cama...
Eu não me esquecia de escovar os cabelos e os dentes.

Antes de ser mãe...
Eu limpava minha casa todo dia.
Eu não tropeçava em brinquedos, nem pensava em canções de ninar.

Antes de ser mãe...
Eu não me preocupava se minhas plantas eram venenosas ou não...
Imunizações e vacinas eram coisas em que eu não pensava.

Antes de ser mãe...
Ninguém vomitou nem fez xixi em mim...
Nem me beliscou sem nenhum cuidado, com dedinhos de unhas finas.

Antes de ser mãe...
Eu tinha controle sobre a minha mente, meu corpo e meus sentimentos...
Eu dormia a noite toda.

Antes de ser mãe...
Eu nunca tive que segurar uma criança chorando para que médicos pudessem fazer testes ou aplicar injeções.
Eu nunca chorei olhando pequeninos olhos que choravam...
Eu nunca fiquei gloriosamente feliz com uma simples risadinha...
Eu nunca fiquei sentada horas e horas olhando um bebê dormindo.

Antes de ser mãe...
Eu nunca segurei uma criança só por não querer afastar meu corpo do dela...
Eu nunca senti meu coração se despedaçar quando não pude estancar uma dor...
Eu nunca imaginei que uma coisinha tão pequenina pudesse mudar tanto a minha vida... Eu nunca imaginei que pudesse amar alguém tanto assim...
Eu não sabia que eu adoraria ser mãe.

Antes de ser mãe...
Eu não conhecia a sensação de ter meu coração fora do meu próprio corpo...
Eu não conhecia a felicidade de alimentar um bebê faminto...
Eu não conhecia esse laço que existe entre a mãe e a sua criança...
Eu não imaginava que algo tão pequenino pudesse fazer-me sentir tão importante.

Antes de ser mãe...
Eu nunca me levantei à noite a cada dez minutos para me certificar de que tudo estava bem.
Nunca pude imaginar o calor, a alegria, o amor, a dor e a satisfação de ser uma mãe... Eu não sabia que era capaz de ter sentimentos tão fortes.

Por tudo e, apesar de tudo, obrigada, Deus, por eu ser agora um alguém tão frágil e tão forte ao mesmo tempo.

Obrigada, Deus, por permitir-me ser Mãe!

Vida & tempo

Existem os afazeres do tempo e existem as melodias da alma.

Importantes são os afazeres do tempo; essenciais, as melodias celestiais...

Breve, incerta e fugaz é esta existência terrena.

Quão curta a distância entre a menina e a anciã...
As aulas de balé, o sol da manhã, e as notícias do jornal.
Tudo passa, tudo passará...

Cadernos de Política, Economia, Esportes, Cotidiano, Turismo e Cultura.

E a Espiritualidade, onde é que fica?

O barulho do mundo e as melodias da alma...
A eterna busca por sentido, num mundo cada vez mais veloz e fragmentado.

“Qual a razão de ser e de sentir?”, perguntou-nos outrora um poeta.

Educar as próximas gerações de modo que valorizem os bens imateriais, e que possam almejar alcançar alturas espirituais.

Que saibam o valor do Amor, da Bondade, da Caridade, e da Compaixão.

Que cultivem um coração solidário, a contribuir para humanizar o mundo à sua volta.

“Só adquirirás a felicidade em proporção a tua generosidade.”

Meditar sobre as virtudes do silêncio e das palavras bem empregadas.

Refletir sobre a felicidade, filha da generosidade. A partilha e a doação de bens e dons, materiais e espirituais.

Grãos de areia, nas praias da existência, é o que somos. A espuma branca e fina, que diante da leve brisa desmanchará.

E vamos vivendo as nossas vidas, dançando ao som do destino, durante o tempo que nos é destinado.

Somos feitos de pensamentos, atos e palavras.

A vida para ser plena envolve busca, sabedoria e escuta. Sem ouvidos atentos às melodias da alma, de que terão servido os dias vividos?

“Procura a tua própria verdade e, se crês tê-la encontrado, obedece-lhe.”
(José Saramago)

“A felicidade consiste em dar passos em direção a si mesmo e olhar o que você é.”
(José Saramago)

11 de nov de 2011

Quase...

Ainda pior que a convicção do não e a incerteza do talvez é a desilusão de um quase.

É um quase que me incomoda, que me entristece, que me mata trazendo tudo que poderia ter sido e não foi.

Quem quase ganhou ainda joga, quem quase passou ainda estuda, quem quase morreu está vivo, quem quase amou não amou.

Basta pensar nas oportunidades que escaparam pelos dedos, nas chances que se perdem por medo, nas ideias que nunca sairão do papel por essa maldita mania de viver no outono.

Pergunto-me, às vezes, o que nos leva a escolher uma vida morna; ou melhor não me pergunto, contesto. A resposta eu sei de cor, está estampada na distância e frieza dos sorrisos, na frouxidão dos abraços, na indiferença dos "bom dia", quase que sussurrados.

Sobra covardia e falta coragem até para ser feliz. A paixão queima, o amor enlouquece, o desejo trai. Talvez esses fossem bons motivos para decidir entre a alegria e a dor, sentir um nada, mas não são.

Se a virtude estivesse mesmo no meio termo, o mar não teria ondas, os dias seriam nublados e o arco-íris em tons de cinza.

O nada não ilumina, não inspira, não aflinge nem acalma, apenas amplia o vazio que cada um trás dentro de si.

Não é que fé mova montanhas, nem que todas as estrelas estejam ao alcance, para as coisas que não podem ser mudadas resta-nos somente paciência, porém, preferir a derrota prévia à dúvida da vitória é desperdiçar a oportunidade de merecer.

Pros erros há perdão; pros fracassos, chance; pros amores impossíveis, tempo.

De nada adianta cercar um coração vazio ou economizar alma.

Um romance cujo fim é instantâneo ou indolor não é romance.

Não deixe que a saudade sufoque, que a rotina acomode, que o medo impeça de tentar.

Desconfie do destino e acredite em você.

Gaste mais horas realizando que sonhando, fazendo que planejando, vivendo que esperando porque, embora quem quase morre esteja vivo, quem quase vive já morreu.

Sarah Westphol

Vida & Amigos

"O encanto da vida, depende unicamente das boas amizades que cultivamos...

Ser amigo, não é coisa de um dia! São gestos, palavras, sentimentos e sobretudo atos que se solidificam no tempo e jamais se apagam!

Que sejas feliz a cada dia.

Que possas sorrir sempre que alguém precisar do teu sorriso.

Que o teu coração seja povoado de bons sentimentos.

Que cada por-do-sol leve contigo as desilusões do dia que passou.

Que cada novo amanhecer seja sempre uma nova oportunidade de recomeçar..."

10 de nov de 2011

Senhor tempo - Adriana Falcão

Caro Senhor Tempo,
Espero que esta o encontre passando bem,
ou melhor, passando o mais devagar possível.

Por aqui vai-se indo,
como o Senhor quer e consente,
meio rápido demais para o meu gosto,
e quando vi já era dezembro.

Foi-se mais um ano.
E com ele foram-se uma quantidade incalculável
de amores, cores, idades, alguns amigos,
não sei quantos neurônios, memórias, remorsos,
desvarios, cabelos, ilusões, alegrias,
tristezas, várias certezas
(se não me engano, treze),
algumas verdades indiscutíveis.

Foi-se o meu gosto por vitrine.
Foi-se quase todo o meu vidro de perfume.
Foi-se meu costume de imaginar asneiras à noite.
Foi-se meu forte instinto de acreditar no que me dizem.
Que pena.

Foi-se o tempo em que uma simples farra
não significava necessariamente
uma condenação sumária no dia subseqüente.

Foi-se a poupança. O troquinho da gaveta.
Foi-se aquele antigo projeto.
Foram-se exatamente nove vírgula seis por cento
de todas as minhas esperanças.

Será que o Senhor não se cansa, seu Tempo?
Não pensa em tirar umas férias,
dar uma pausa, respirar um pouco?
Não lhe agrada a idéia de mudar o andamento?
Diminuir o ritmo?

Em vez de tic-tac,
inventar uma palavra mais comprida
para compasso, mantra, ícone, diagrama?

Me diga sinceramente: pra que tanta pressa?
Anda difícil acompanhar seus passos ultimamente.
Não precisa dar meia-volta, eu não espero tanto.

Eternidade? Não. Só queria sua amizade.
Mas já foi dezembro e o janeiro também, e já vem o carnaval.

Foi-se mais um ano, e já está indo outro.
E o Senhor passou voando,
rebocou os meus momentos,
foi desbotando minhas lembranças.

Carregou mais doze meses inteiros
levando cada instante meu de carona.

Tentei voltar atrás em algumas decisões.
Já era tarde.
Não deixei nada para amanhã.
Mesmo assim não fiz sequer metade do que pretendia.

Imaginei várias maneiras de estancar os dias,
segunda, terça, quarta, quando via já era quinta.
Sexta. Sábado. Domingo. Pronto.

Pensei em fuga.
Será que existe algum lugar deste mundo
onde as horas não me encontrem?

Fiquei meses trancado em casa. Foi inútil.
Lá fora, o Senhor continua passando.
E já passou mais um pouquinho.

Calma, Tempo!
Espere só um minutinho
para eu explicar melhor meu ponto de vista.

Nem todo mundo é pedra, concorda?

Dito isso, imagine então
quantos pobres mortais sofrem da mesma agonia diária:
giros e mais giros nos ponteiros, os cantos dos cucos,
as denúncias das sombras, os grãos de areia escorrendo
parece até hemorragia crônica...

Tudo escapulindo, descendo, subindo,
o frenesi dos dígitos,
um, dois, três, quatro, cinco, cem...

O Senhor vai tirar o pai da forca?
Está fugindo de alguém?
De quem?
De mim?
De ontem?

Eu conheço de cor suas obrigações.
Estou convencido de suas utilidades.

Não fosse o Senhor,
não existiriam saudade, retrato, souvenir,
antigüidade, história, época, período, calendário,
outrora, passatempo, novidade, creme anti-rugas...

Não fosse o Senhor,
não existiriam disputa por pênaltis,
ante­passado, descendente, dia, noite, nada,
não existiria sabedoria, eu sei disso.

Não tome como queixas minhas palavras,
por favor, não tome.
Aqui vai apenas uma súplica.

Ah, se o Senhor fosse mais indulgente,
mais piedoso, mais pensativo, menos estressado,
mais manso, menos rigoroso, um bon-vivant...

E se distraísse aí pelo caminho,
e se deixasse apreciar as paisagens,
e sofresse um devaneio, e ficasse de bobeira,
esquecido das horas, divagando.

Escute aqui, seu Tempo,
que tal deixar passar o resto
e parar quieto um pouco?

Repassando... acredite se quiser!

Uma foto que fala por si…

Reproduzida por vários jornais da América do Norte e também do Brasil (Brasília, Pernambuco, etc.), nesta foto aparece o menino mexicano de 6 anos, (hoje 11 anos)Maximiliano Arellano, fazendo uma palestra (durou 45 minutos) sobre Osteoporose, na Universidade Autônoma do México, para os médicos.

Na foto vê-se o auditório lotado por médicos (de roupa branca) ouvindo atentamente a preleção de Maximiliano. Como o púlpito era muito alto, ele teve que subir numa cadeira. Sua prematura memória e conhecimento eclodiram aos 2 anos, mas sua mãe, Sra.
Alejandra de Noé, além do interesse do filho por ciência médica, esclareceu que ele
tem também passatempos de crianças comuns (video game, natação, etc.).

Maximiliano já fez palestra até sobre Anatomia Cardiovascular. Os pais (nenhum deles é médico) estão em entendimento com a diretoria da citada Universidade para tentar incluí-lo nos cursos da mesma.

O diretor da Faculdade de Medicina, Roberto Camacho, disse que Maximiliano fala de
Fisiopatologia com o linguajar de um residente. Este fato interessa muito aos
espíritas, pois idéias inatas são indício de um conhecimento espiritual anterior.

Não há como explicar que Maximiliano, possa fazer palestra para médicos na Universidade, senão admitindo que ele tenha adquirido conhecimentos em vidas passadas. Bom que se diga que isto nada tem a ver com genialidade, mas apenas que seu conhecimento anterior está se manifestando precocemente.

Se o diretor da Faculdade reconheceu que Maximiliano fala com linguajar de um residente; então seria o mesmo que um residente fazer palestra na Universidade, o que nada teria de estranho. Mas, no caso, quem está palestrando é um menino que revela conhecimento de adulto. Se ele não for estimulado a desenvolver seus
conhecimentos, invariavelmente ocorre que quando vier a fase adulta acabará toda a
curiosidade, pois o seu conhecimento será o mesmo de um residente de Medicina.

De qualquer forma, fatos como este servem para que vejam os que têm olhos de ver!

Washington Luiz Fernandes
(Reformador – setembro 2006 – p. 20)
http://www.cvdee.org.br/evangelize/pdf/6_1116.pdf
******************

Maximiliano Arellano (nascido em 2000 no Metepec, México) é um garoto prodígio Mexicano na área médica. Ele esteve estudando medicina sozinho e clama ser um especialista nos campos da osteoporose, diabetes e anemia.

Ele falou publicamente na universidade de medicina para demonstrar seu conhecimento, dando uma aula que chamou de "Causas e consequências da osteoporose".

O diretor da Universidade Mexicana de Medicina, Roberty Camacho, disse que acredita que o garoto é muito jovem para ingressar na universidade, mas pode averiguar suas habilidades devido a sua fama crescente.

A mãe de Maximiliano está tentando que seu filho seja logo admitido, afirmado que acredita que seu filho se tornará um médico qualificado aos 13.

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Maximiliano_Arellano

Hino da Solidariedade

Olhando por aí... Dá uma dor aqui
Às vezes dá vontade de não ver
Às vezes dá vontade de chorar
Às vezes dá vontade de esquecer

Mas quando essa vontade se encontrar
Transforme essa vontade em fazer
Nesse segundo em algum lugar do mundo
Alguém tá precisando de você

Faça a sua parte e dê a melhor parte de você
Não é com mão no bolso
É com a mão na massa
Que dá para ajudar a resolver

Faça um pouquinho você não está sozinho
Faça porque há muito pra fazer
Faça a sua parte
E dê a melhor parte de você.

Elisa Lucinda

POR UM MUNDO MELHOR
"Gosto de ser gente, pelo contrário, porque mudar o mundo é tão difícil quanto possível. É a relação entre a dificuldade e a possibilidade de mudar o mundo que coloca a questão da importância do papel da consciência na história, a questão da decisão, da opção, a questão da ética e da educação de seus limites." (Paulo Freire)

Quebra-cabeça

Texto de Amy Toohill - Tradução: Sérgio Barros

Ganhei de um amigo, há dois meses, um quebra-cabeças de 1.500 peças. Eu não montava um quebra-cabeça desde que era criança.

É engraçado como nós deixamos de fazer certas coisas quando crescemos: quebra-cabeças, colorir, brincar com bonecas, pular corda, pique de esconder...

Coisas que nos trouxeram tanta alegria quando criança, nós paramos de fazer quando alcançamos uma certa idade - é uma vergonha, não é?

Devo admitir, eu realmente aproveitei o quebra-cabeças. Embora muito frustrante às vezes, era um bom desafio. Cada vez que eu achava uma peça que se encaixava, era extremamente recompensador. Bom, e daí?

Você já percebeu quantas semelhanças existem entre um quebra-cabeças e a vida?

Num quebra-cabeças, cada peça é parte muito importante no grande quadro. Na vida, são as pessoas e os acontecimentos as partes importantes. Como peças de um quebra-cabeças, cada um de nós é único, especial em seu próprio jeito. Embora semelhantes, não há dois iguais. Ironicamente, são nossas diferenças que nos fazem "encaixar".

Enquanto eu trabalhava no quebra-cabeças, havia uma peça que eu estava certa de pertencer a um ponto em particular. Mas não encaixava. Acabava voltando à ela tentando encaixá-la, me esquecendo que já havia tentado. Eu tinha meu pensamento focado no fato de que eu sentia que a peça era daquele espaço.

Penso em quantas vezes eu fiz a mesma coisa em minha vida. Tentando fazer acontecer coisas que simplesmente não era pra ser. Tentava várias vezes, chegava ao ponto de forçar, mas não era pra ser... e nada do que eu fiz mudou isso.

Se você já montou quebra-cabeças, sabe como é perder tempo procurando um pedaço específico. De repente parece tão óbvio... mas eu não conseguia achar. Consegui foi embaralhar ainda mais as peças.

Fiquei frustrada e decidi deixar pra lá e ficar longe dele. Quando voltei mais tarde, eu achei a peça imediatamente. Estava bem na minha frente desde o começo.

Minha vida foi assim muitas vezes. Tentava entender por que certas coisas aconteciam e do jeito que aconteciam. Procurava as respostas por todos os lados e às vezes as respostas estavam bem na minha frente. Era só dar uma paradinha, um pequeno passo atrás, respirar e acalmar que as respostas me encontravam.

Olhando as peças deste quebra-cabeças, eu penso nas "peças" de minha vida: minha família, meus amigos, acontecimentos, marcos e celebrações.

Uma mistura de bom e ruim, alegria e lágrima, felicidade e tristeza.

Penso em todas as peças que imaginei sem importância e sem propósito.

Reflito em todos as peças que em minha vida me fizeram perguntar... "Por que, meu Deus?"... "Por que isto?" E repentinamente percebi que por causa dessas peças, outras peças se encaixaram tão bem.

Tudo em nosso vida acontece por uma razão. Cada acontecimento, bom ou mau, como uma peça do quebra-cabeças. Deixe uma peça de fora e se quebra a harmonia inteira do produto final.

Talvez ainda não possamos entender o papel importante de cada peça em nossa vida, ainda existem muitos buracos e o quadro ainda não está claro. Mas sei que quando minha viagem nesta vida estiver concluída, e a peça final estiver em seu lugar, eu entenderei. E serei capaz de ver o quadro completo e a beleza de cada peça.

Até lá, eu continuarei a viver com fé. Sabendo e confiando que todas as peças que eu preciso estão aí e que é só uma questão de tempo até que se encaixem bem.

Lembrarei de que há um grande quadro, um plano para mim, e que sou incapaz de ver agora. Acreditarei que cada peça em minha vida, mesmo as dolorosas, têm propósito e cumprem papel importante.

E quando estiver fraca, procurarei força pela oração.

Farei isto até que a obra-prima de Deus em mim estiver finalmente completa, e Ele então cochichará... "Muito bom! Está feito!".

Because you loved me - Celine Dion (tradução)

Porque você me amou - Celine Dion

Por todas as vezes que você me apoiou
Por todas as verdades que você me fez ver
Por toda alegria que você trouxe para minha vida
Por todos os erros que você fez tornarem-se certos
Por todos os sonhos que você fez tornarem-se reais
Por todo amor que encontrei em você
Eu serei eternamente grata, baby
Você foi o único que me ajudou a me levantar
Nunca me deixou cair
Você foi o único que me viu através de tudo isto

Você foi a minha força quando estava fraca
Você foi minha voz quando não podia falar
Você foi meus olhos quando não podia ver
Você viu o melhor que estava em mim
Me levantou quando não podia alcançar
Você me deu fé porque você acreditou
Eu sou tudo que sou
Porque você me amou

Você me deu asas e me fez voar
Você tocou minha mão, eu toquei o céu
Eu perdi minha fé, você me trouxe ela de volta
Você disse que nenhuma estrela estava fora de alcance
Você ficou do meu lado, e eu suportei
Eu tive seu amor, eu tive tudo
Eu sou grata por esses dias que você me deu
Talvez eu não saiba muito disso
Mas eu sei que isto é muito verdadeiro
Eu fui abençoada porque eu fui amada por você

Você foi a minha força quando estava fraca
Você foi minha voz quando não podia falar
Você foi meus olhos quando não podia ver
Você viu o melhor que estava em mim
Levantou-me quando não podia alcançar
Você me deu fé porque você acreditou
Eu sou tudo que sou
Porque você me amou

Você esteve sempre aqui por mim
O vento gentil que me carregava
Uma luz no escuro brilhando seu amor na minha vida
Você tem sido minha inspiração
Através das mentiras, você foi a verdade
Meu mundo é um lugar melhor por sua causa

Você foi a minha força quando estava fraca
Você foi minha voz quando não podia falar
Você foi meus olhos quando não podia ver
Você viu o melhor que estava em mim
Me levantou quando não podia alcançar
Você me deu fé porque você acreditou
Eu sou tudo que sou
Porque você me amou.

Antes que seja tarde

É bastante comum pessoas, no leito de morte, desejarem aliviar a consciência. Fazem confissões apressadas de erros passados, pedindo e esperando perdão. Acreditam que, por estarem partindo, tudo será perdoado e esquecido. Não é verdade.

Em algumas circunstâncias, revelações das faltas cometidas deixam, nos corações dos que ficam na Terra, muita mágoa e azedume; que, como vibrações negativas, chegarão ao Espírito liberto, perturbando-o, na vida espiritual.

Outros, antevendo a proximidade da morte, apresentam suas últimas vontades. Dessa forma, os que os assistem nessa hora final, ficam constrangidos a executá-las, gerando-lhes, por vezes, muitos incômodos.

Moribundos há que desejam falar, mas não dispõem de voz, debatendo-se em aflição.

Por tudo isso, pensa e age de forma diversa.

Se sabes que um dia a morte te arrebatará o corpo, providencia já o que acredites necessário. Não faças, nem alimentes inimigos. Perdoa sempre.

Desfaz, quanto antes, o mal entendido, para que, depois da morte, não venhas a te perturbar, por causa de remorsos, que serão tardios.

Se desejas presentear alguém com o que te pertença, ou almejes adquirir, providencia de imediato. Não aguardes o tempo futuro. Ele poderá não te chegar.

Faz testamento, regulariza a doação. Executa tua vontade, agora.

Se pensas em reparar erros do ontem, toma logo a atitude.

Não relegues a outrem o acerto dos teus desatinos.

E, para que não te arrependas, depois da partida, não economizes palavras e gestos aos teus amores. Acarinha, abraça, beija.

Após o desenlace, poderás desejar o retorno para dar recados e falar do amor que nunca expressastes na Terra.

Poderá ocorrer que a Divindade não te permita. Ou que não tenhas as condições para a manifestação. Ou não encontres a quem falar e dizer.

Por ora, podes falar e agir. Faze-o.

Depois da morte, precisarás contar com quem te interprete o pensamento, quem te deseje ouvir, te sintonize.

E lembra que se não semeares afeições e simpatias, enquanto no trânsito carnal, não terás frutos a recolher na Espiritualidade; nem quem te recorde no mundo.

Se almejas fazer o bem, servindo à comunidade, prestando serviço voluntário, engaja-te hoje ainda. Não aguardes aposentadoria.

Dá hoje a hora que te sobra ou conquistas, entre os tantos compromissos agendados, porque poderá acontecer que não venhas a gozar os dias que esperas.

Ou que, por circunstâncias que independam da tua vontade, necessites alongar a jornada profissional por mais alguns anos.

Vive intensamente. Matricula-te no curso de idiomas, na aula de música, pintura, bordado. Esmera-te no aprendizado para que, ao partir, leves contigo uma grande bagagem.

De braço dado com quem amas, realiza a viagem sonhada. E fotografa tudo com o coração, para não esquecer nenhum detalhe.

A máquina fotográfica poderá falhar, por defeito técnico ou inabilidade de quem a manuseia. Mas o teu coração não esquecerá jamais o que viveu amorosamente.

Feito tudo isso, se a morte chegar, de rompante ou te abraçar de mansinho, poderás seguir sem traumas, sem medos, em paz.

E em paz deixarás os teus familiares, os teus amigos, os teus colegas e conhecidos.

Pensa nisso.


Redação do Momento Espírita

Que olhar é este?

Tomo a noite por senhora companheira...

Sento-me na pedra, frente ao oceano,
as estrelas despontam como se fossem pipocas a estourar, uma a uma...
se fazendo em tal número, incapazes de serem contadas...
como se quem as criou fosse uma fonte imensa de luz
capaz de colocar nos céus tal número delas que sempre seriam infinitas...

Sinto-me como vigiado uma sensação forte de que alguém toma conta de mim,
olho dos lados, nada... à minha frente o mar, e o toque da brisa suave...

Esta sensação de vigilância, sempre se faz presente em meus dias
desde o instante que acordo para o labor, como no decorrer das horas,
até mesmo em meu descanso e durante, ele adentra os meus sonhos...

Como se um "olho" tomasse conta de tudo, segundo a segundo,
em vigilância de meus atos...

Um olho tão forte capaz de dominar a natureza, o som, o ar, o sol, a lua...

Em cada um de meus atos eu o sinto...

Quando dos acertos; olha-me de forma doce meiga,

E, quando tropeço em meus erros; o olhar torna-se áspero, profundo...
adverte-me, mas me faz aprender mesmo entre dores profundas,
me aperfeiçoa a não cometer o mesmo erro...

Um olho tão magnífico capaz de vigiar a todo o globo terrestre...
observar os desmandos, marcar para sempre os perversos de coração e os de alma...

Um olhar de magistrado a proferir em cada momento as sentenças,
às vezes, para alguns derradeiras...

Um olho que esta aí, te vendo e dele não adianta correr ou esconder-se,
ao mesmo tempo em que ele te é luz, abrindo os caminhos entre trevas,
ele também te é mestre firme cobrando de você aprimoramento...

Um olho que está vigilante sobre aqueles que se opõe ao amor,
aos invejosos, aos caluniadores, aos que se aproveitam da fraqueza humana
na tentativa sempre de galgar algo que não lhes pertence
seja um dom, seja o carisma, fontes intransferíveis...
ou mesmo, o desejo de possuir o que material a outrem pertença...

Um olho que se fará presente no julgo dos falsos amigos,
estes, marcados para sempre pela mediocridade de se fazerem passar por anjos
ou estrelas tentando esconder os demônios que realmente são...

Mas do olho não conseguem esconder certamente!

Este olho está por ver o alimento jogado ao lixo da mesa farta,
enquanto, logo à esquina, alguém morre por fome...

A traição, a mentira, os malfeitores, os lares destruídos por outros amores,
vidas destroçadas, sempre estará, este olho, a observar e ele não vai falhar!

Ah, este olho que tanto me foi doce e amigo em minhas dores!

Que me foi farol entre as trevas que a traição, a mentira,
a falsidade, tentaram colocar frente ao meu coração,

Este olhar que me fez e me faz sobreviver a cada ataque
daqueles que não aprenderam a viver daquilo que lhes pertença
e, como fracos necessitam sempre vir e tirar algo de mim...

Mas tem coisas que são intransferíveis... O dono do tal olho me deu,
como dá a cada um, seus próprios tesouros, estes são nossos!

Lindo teu olho, meu Pai!

Obrigado por estar sempre presente em minha existência.

Agora, volto ao meu lar... Lá, você certamente continua comigo...!

Te amo Pai, meu único e Senhor absoluto, Te amo Deus!

Paulo Nunes Junior

9 de nov de 2011

Aprendendo...

O que eu tenho não me pertence, embora faça parte de mim...

Tudo o que sou me foi um dia emprestado pelo Criador para que eu possa dividir com aqueles que entram na minha vida.

Ninguém cruza nossos caminhos por acaso, e nós não entramos na vida de alguém sem nenhuma razão. Há muito o que dar e o que receber; há muito o que APRENDER com experiências BOAS ou NEGATIVAS.

É isso... Tente ver as coisas negativas que acontecem com você como algo que aconteceu por uma razão precisa. E não se lamente pelo ocorrido. Além de não servir de nada reclamar, isto vai te vendar os olhos para continuar seu caminho.

Quando não conseguimos tirar da cabeça que alguém nos feriu, estamos somente reavivando a ferida, tornando-a muitas vezes bem maior do que era no início e transformando-a em mágoa. Nem sempre as pessoas nos ferem voluntariamente. Muitas vezes somos nós que nos sentimos feridos e a pessoa nem mesmo percebeu.

E nos sentimos decepcionados porque aquela pessoa não correspondeu às nossas expectativas!!! E sabemos lá quais eram as suas expectativas?

E nos decepcionamos e decepcionamos.

Mas, claro, é bem mais fácil pensar nas coisas que nos atingem. Quando alguém te disser que te magoou sem intenção, acredite nela! Vai te fazer bem! Assim, talvez, ela poderá entender quando você, sinceramente disser que “foi sem querer”.

Dê de você mesmo o quanto puder!

Sabe, quando você se for, a única coisa que vai deixar é a lembrança do que fez aqui.

Seja bom! Tente dar sempre o primeiro passo, nunca negue uma ajuda ao seu alcance.

PERDOE E DÊ DE VOCÊ MESMO. Seja uma BÊNÇÃO!

DEUS não vem em pessoa para abençoar... ELE usa os que estão aqui, dispostos a cumprir essa missão. Todos nós podemos ser ANJOS.

A ETERNIDADE está nas mãos de todos nós.

VIVA de maneira que quando você se for, MUITO DE VOCÊ ainda fique, ...naqueles que tiveram A BOA VENTURA DE TE ENCONTRAR.

8 de nov de 2011

Atritos

Ninguém muda ninguém; ninguém muda sozinho; nós mudamos nos encontros.

Simples, mas profundo, preciso.

É nos relacionamentos que nos transformamos. Somos transformados a partir dos encontros, desde que estejamos abertos e livres para sermos impactados pela idéia e sentimento do outro.

Você já viu a diferença que há entre as pedras que estão na nascente de um rio, e as pedras que estão em sua foz?

As pedras na nascente são toscas, pontiagudas, cheias de arestas. À medida que elas vão sendo carregadas pelo rio sofrendo a ação da água e se atritando com as outras pedras, ao longo de muitos anos, elas vão sendo polidas, desbastadas.

Assim também agem nossos contatos humanos. Sem eles, a vida seria monótona, árida. A observação mais importante é constatar que não existem sentimentos, bons ou ruins, sem a existência do outro, sem o seu contato.

Passar pela vida sem se permitir um relacionamento próximo com o outro, é não crescer, não evoluir, não se transformar. É começar e terminar a existência com uma forma tosca, pontiaguda, amorfa.

Quando olho para trás, vejo que hoje carrego em meu ser várias marcas de pessoas
extremamente importantes. Pessoas que, no contato com elas, me permitiram ir dando forma ao que sou, eliminando arestas, transformando-me em alguém melhor, mais suave, mais harmônico, mais integrado.

Outras, sem dúvidas, com suas ações e palavras me criaram novas arestas, que precisaram ser desbastadas.

Faz parte...
Reveses momentâneos servem para o crescimento. A isso chamamos experiência. Penso que existe algo mais profundo, ainda nessa análise.

Começamos a jornada da vida como grandes pedras, cheia de excessos.

Os seres de grande valor, percebem que ao final da vida, foram perdendo todos os excessos que formavam suas arestas, se aproximando cada vez mais de sua essência, e ficando cada vez menores, menores, menores...

Quando finalmente aceitamos que somos pequenos, ínfimos, dada a compreensão da existência e importância do outro, e principalmente da grandeza de Deus, é que finalmente nos tornamos grandes em valor.

Já viu o tamanho do diamante polido, lapidado? Sabemos quanto se tira de excesso para chegar ao seu âmago.

É lá que está o verdadeiro valor...

Pois, Deus fez a cada um de nós com um âmago bem forte e muito parecido com o diamante bruto, constituído de muitos elementos, mas essencialmente de amor. Deus deu a cada um de nós essa capacidade, a de amar... Mas temos que aprender como.

Para chegarmos a esse âmago, temos que nos permitir, através dos relacionamentos, ir desbastando todos os excessos que nos impedem de usá-lo, de fazê-lo brilhar.

Por muito tempo em minha vida acreditei que amar significava evitar sentimentos ruins. Não entendia que ferir e ser ferido, ter e provocar raiva, ignorar e ser ignorado faz parte da construção do aprendizado do amor.

Não compreendia que se aprende a amar sentindo todos esses sentimentos contraditórios e... os superando. Ora, esse sentimentos simplesmente não ocorrem se não houver envolvimento... E envolvimento gera atrito.

Minha palavra final: ATRITE-SE!

Não existe outra forma de descobrir o amor. E sem ele a vida não tem significado.

Roberto Crema

7 de nov de 2011

Deus nos dá as nozes, mas...

"Deus nos dá as nozes. Mas não as quebra." (Provérbio Alemão)

Tem muita gente esperando o bolo pronto!

Gente que espera mais do que um milagre, querem que os anjos virem contadores, e resolvam a sua contabilidade pessoal que não fecha:
- gastam mais do que ganham e vivem endividados.

Querem que os anjos virem médicos, e curem aquela cirrose de anos de muito álcool, o enfizema de anos de tabaco, as doenças crônicas de anos de má alimentação, as doenças nervosas da falta de amor próprio.

O milagre está aí todos os dias, a disposição de quem quer mudar.

É o sol que propicia o trabalho, a chuva que promove o arado, o mar que traz o cardume, o rio que se enche de peixes, a tecnologia que cria empregos, a própria vida que se renova, e diz de forma clara e concisa:
- Deus dá tudo o que você precisa!

É tempo de motivação, de acreditar mais em você. Usar a energia da alma e do coração.

Tempo de pegar as nozes e quebrá-las. Com os frutos, fazer bolos, doces e sorvetes.

Tantas possibilidades para o milagre se estabelecer, para você ver e sentir Deus.

Aprende então:
Deus não se encontra na lamentação, nem se acha com reclamação.

Deus se encontra no trabalho, no suor do rosto, daquele que se entrega ao bem, que não tem tempo para falar mal de ninguém.

Gente que descobre de verdade, que é ele mesmo, é um verdadeiro milagre.

Autor: Paulo Roberto Gaefke

6 de nov de 2011

Música & Homem

A música é nas mãos dos homens um verdadeiro instrumento de magia.

O seu efeito se estende desde o despertar dos mais nobres sentimentos até o desencadeamento dos mais baixos instintos, desde a concentração devotada até a perda da consciência que parece embriaguez, desde a veneração religiosa até a mais brutal sensualidade.

Não é apenas a nós que a música tem o poder de comover. Na Índia, experiências revelaram que as plantas, tratadas com música mostraram mais vigor, maior crescimento e produtividade.

Conta a mitologia grega que Orfeu, músico e poeta da velha Irácia, fascinava com seus cânticos à lira, não somente as pessoas, mas os animais, as plantas e até as pedras.

A música quando devidamente selecionada acalma e descansa, aliviando tensões, elimina preocupações do homem consigo mesmo, levando sua mente a realidades mais ativas, estimula a capacidade de concentração e desenvolve no ser, condições para eliminar o procedimento anti-social. A variedade da música é infinda.

Portanto, aprendamos a tirar da música alívio, saúde, paz e nutrição para a alma, escolhendo com inteligência e arte aquelas de sons mais sutis.

De tudo quanto soa, ao redor de nós e de milhões de modos, só uma pequena parte é que nos penetra a consciência, pelos ouvidos e pelo cérebro. Uma parte ainda nos penetra o coração onde pode despertar ecos e, essa parte pequenina é um mundo inteiro de mistérios e belezas que se tornam indefiníveis no rol do linguajar humano.

Música é Arte, Música é Cultura.

O olhar & A vida & Rubem Alves

"Educar é mostrar a vida a quem ainda não a viu. O educador diz: “Veja!” – e, ao falar, aponta. O aluno olha na direção apontada e vê o que nunca viu. Seu mundo se expande. Ele fica mais rico interiormente. E, ficando mais rico interiormente, ele pode sentir mais alegria e dar mais alegria – que é a razão pela qual vivemos." (Rubem Alves)

“Sentir mais alegria e dar mais alegria – a razão pela qual vivemos...”

“Já li muitos livros sobre psicologia da educação, sociologia da educação, filosofia da educação, mas, por mais que me esforce, não consigo me lembrar de qualquer referência à educação do olhar ou à importância do olhar na educação, em qualquer deles.”

“A primeira tarefa da educação é ensinar a ver. É através dos olhos que as
crianças tomam contato com a beleza e o fascínio do mundo...”

“Os olhos têm de ser educados para que nossa alegria aumente.” (Rubem Alves)

“A educação se divide em duas partes: educação das habilidades e educação da sensibilidade. Sem a educação da sensibilidade, todas as habilidades são tolas e
sem sentido.” (Rubem Alves)

“Os conhecimentos nos dão meios para viver. A sabedoria nos dá razões para viver.”
(Rubem Alves)

“Quero ensinar às crianças. Elas ainda têm olhos encantados. Seus olhos são dotados daquela qualidade que, para os gregos, era o início do pensamento: a capacidade
de se assombrar diante do banal. Para as crianças, tudo é espantoso: um ovo, uma minhoca, uma concha de caramujo, o vôo dos urubus, os pulos dos gafanhotos, uma pipa no céu, um pião na terra. Coisas que os eruditos não vêem.”

“Na escola eu aprendi complicadas classificações botânicas, taxonomias, nomes latinos – mas esqueci. Mas nenhum professor jamais chamou a minha atenção para a beleza de uma árvore, ou para o curioso das simetrias das folhas. Parece que,
naquele tempo, as escolas estavam mais preocupadas em fazer com que os alunos
decorassem palavras que com a realidade para a qual elas apontam.”

“As palavras só têm sentido se nos ajudam a ver o mundo melhor. Aprendemos palavras para melhorar os olhos.” (Rubem Alves)

“Há muitas pessoas de visão perfeita que nada vêem. O ato de ver não é coisa natural.
Precisa ser aprendido... o exercício da bondade, e o aprendizado da compaixão."

“Quando a gente abre os olhos, abrem-se as janelas do corpo, e o mundo aparece refletido dentro da gente.”

“Jardins bonitos há muitos, mas só traz alegria o jardim que nascer dentro da gente.”
(Rubem Alves)

“São as crianças que, sem falar, nos ensinam as razões para viver. Elas não têm
saberes a transmitir. No entanto, elas sabem o essencial da vida.”

“Quem não muda sua maneira adulta de ver e sentir e não se torna como criança jamais será sábio.” (Rubem Alves)

* Rubem Alves – Nasceu em 15/09/1933, em Boa Esperança/MG. Mestre em Teologia, Doutor em Filosofia, psicanalista e professor emérito da Unicamp. Três filhos e cinco netas. Poeta, cronista do cotidiano, contador de histórias, um dos mais admirados e respeitados intelectuais do Brasil.

Ama a simplicidade;
Ama a ociosidade criativa;
Ama a vida, a beleza e a poesia;
Ama as coisas que dão alegria;
Ama a natureza e a reverência pela vida;
Ama os mistérios...
Ama a educação como fonte de esperança e transformação.
Ama todas as pessoas, mas tem um carinho muito especial pelos alunos e professores.
Ama Deus, mas tem sérios problemas com o que as pessoas pensam e/ou dizem a Seu respeito.
Ama as crianças e os filósofos – ambos têm algo em comum: fazer perguntas.

“As crianças não têm idéias religiosas, mas têm experiências místicas. Experiência mística não é ver seres de um outro mundo. É ver este mundo iluminado pela beleza.”
(Rubem Alves)

Para a saúde da alma

Vivemos procurando medicamentos para o corpo, a fim de aliviar nossas dores físicas. Nada mais natural e é importante que isso se faça. Afinal, nosso corpo físico é o veículo pelo qual Deus nos concede a oportunidade da vida.

A espiritualidade nos ensina que todas as nossas dores e doenças físicas, são reflexos ou efeitos de desajustes internos; ou seja: antes de termos algum mal
físico se manifestando no corpo, nós os temos previamente instalados na alma!

A proposta da espiritualidade é para que cuidemos do corpo, mas jamais deixemos de lado o tratamento espiritual. A alma é a fonte de nossas venturas ou dores. Depende de sua saúde interna.

Eis porque propomos os medicamentos da “Pharmácia Esperança”. As cápsulas da felicidade. São mensagens que quando bem administradas e assimiladas, surtem o efeito desejado da verdadeira bem aventurança, ensinada pelo Cristo.

Indicação:
Patologias da alma, tais como: depressão, intolerância, irritação, desânimo, apatia, desesperança, etc.

Propriedades:
Quando administradas corretamente, tem efeito supressor sobre o desenvolvimento das doenças da alma, fazendo com que o paciente seja fortalecido em sua moral, proporcionando uma nova vida com sensação de felicidade indefinível.

Informações úteis ao paciente:
Uma superdosagem não acarretará danos à saúde do paciente. A experiência clínica mostra, porém que a posologia recomendada de 01 cáps/dia “muito bem digerida”,
restituirá sua saúde mental e espiritual em pouco tempo.

Contra-indicação:
Não existe.

Bom tratamento!

A causa de nossos sofrimentos são os nossos desejos egoístas.(Buda)

“Seja feita a sua vontade...”. Você se lembra desta passagem na oração que Jesus nos ensinou, quando reclama de algo da vida?

Previna-se da doença com os recursos encontrados em você mesmo. O maior restaurador de forças é a consciência reta que serena as emoções. (André Luiz)

Bem aventurados os puros de coração, porque eles verão a Deus. (Jesus)

Por que vês tu, um cisco no olho do teu irmão, e não vês um galho no teu? (Jesus)

Não julgueis, para que não sejais julgado. (Jesus)

Com a medida com que medirdes vosso próximo, vos medirão também a vós. (Jesus)

Se os homens se amassem reciprocamente, a caridade seria melhor praticada, o nosso mundo seria de Felicidade...

- Você está fazendo a sua parte?

Mesmo tendo razão, não acuses, nem alardeies as faltas alheias. A rigor, ninguém erra porque quer.

"Pedi e dar-se-vos-à; buscai, e acharei; batei, e abrir-se-vos-à. Porque todo que
pede, recebe; e o que busca, acha; e a quem bate, abrir-se-à." (Jesus)

Quem não sabe tolerar, não aprende amar. Aprendi a viver contente em toda e qualquer ocasião. (Paulo, o apóstolo)

O sorriso é o idioma do Amor Universal... Até as crianças compreendem! (Dinamor)

Um coração alegre faz tão bem quanto um remédio! (Provérbio Oriental)

O que ninguém te rouba é o que trazes dentro de ti:
A tua alegria...
A tua fé...
A tua luz.

Ore por aqueles que Deus colocou a nossa frente para que fossem instrumentos de nossa prova da paciência e benevolência!
(Evang. Seg. Espiritismo)

O teu corpo é reflexo do teu espírito.

A situação que vivencias é aquela que preparaste.

Todos nós temos desde a criação o gérmem do amor. Acredite!

Cultive dentro de você essa semente magnífica que transforma a tristeza em FELICIDADE!

Não resuma a caridade em “dar dinheiro”, Jesus exemplificou na sua plenitude esta tarefa maravilhosa, e não se tem notícias de que possuía uma só moeda.

Nunca tire a esperança de ninguém, pode ser a última coisa que lhe resta. E mantenha sempre seu coração cheio dela, para passar a quem esteja precisando.

Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um nova fim.
(Chico Xavier)

5 de nov de 2011

Desejo - Victor Hugo

Desejo primeiro que você ame, e que amando, também seja amado. E que se não for, seja breve em esquecer. E que esquecendo, não guarde mágoa. Desejo, pois, que não seja assim, mas se for, saiba ser sem desesperar.

Desejo também que tenha amigos, que mesmo maus e inconseqüentes, sejam corajosos e fiéis, e que pelo menos num deles você possa confiar sem duvidar.

Desejo ainda que você tenha inimigos. Nem muitos, nem poucos, mas na medida exata para que, algumas vezes, você se interpele a respeito de suas próprias certezas. E que entre eles, haja pelo menos um que seja justo, para que você não se sinta demasiado seguro.

Desejo depois que você seja útil, mas não insubstituível. E que nos maus momentos, quando não restar mais nada, essa utilidade seja suficiente para manter você de pé.

Desejo ainda que você seja tolerante, não com os que erram pouco, porque isso é fácil, mas com os que erram muito e irremediavelmente, e que fazendo bom uso dessa tolerância, você sirva de exemplo aos outros.

Desejo que você, sendo jovem, não amadureça depressa demais, e que sendo maduro, não insista em rejuvenescer e que sendo velho, não se dedique ao desespero. Porque cada idade tem o seu prazer e a sua dor e é preciso deixar que eles escorram por entre nós.

Desejo por sinal que você seja triste, não o ano todo, mas apenas um dia. Mas que nesse dia descubra que o riso diário é bom, o riso habitual é insosso e o riso constante é insano.

Desejo que você descubra, com o máximo de urgência, acima e a respeito de tudo, que existem oprimidos, injustiçados e infelizes, e que estão à sua volta.

Desejo ainda que você afague um gato, alimente um cuco e ouça o joão-de-barro erguer triunfante o seu canto matinal porque, assim, você se sentirá bem por nada.

Desejo também que você plante uma semente, por mais minúscula que seja, e acompanhe o seu crescimento, para que você saiba de quantas muitas vidas é feita uma árvore.

Desejo, outrossim, que você tenha dinheiro, porque é preciso ser prático. E que pelo menos uma vez por ano coloque um pouco dele na sua frente e diga "isso é meu", só para que fique bem claro quem é o dono de quem.

Desejo também que nenhum de seus afetos morra, por ele e por você, mas que se morrer, você possa chorar sem se lamentar e sofrer sem se culpar.

Desejo por fim que você sendo homem, tenha uma boa mulher, e que sendo mulher, tenha um bom homem e que se amem hoje, amanhã e nos dias seguintes, e quando estiverem exaustos e sorridentes, ainda haja amor para recomeçar.

E se tudo isso acontecer, não tenho mais nada a te desejar.

Um minuto só... Reflitamos!

"Há muitos céus, um céu para cada um. O meu céu não é igual ao seu. Céu é o lugar poético onde estão guardadas as coisas que a gente ama e o tempo nos roubou.
Falar céu é dizer esperança de reencontro."
(Rubem Alves)

Um punhado de poeira cósmica, suspenso no vazio. E em meio à silenciosa imensidão do espaço sem fim, um pequenino ponto azul. Um pequenino ponto que se fez de palco para toda a beleza e poesia, para todas as dores e tormentos que vivenciamos. Um palco abençoado que se fez de lar para todas as formas de vida que conhecemos.




Acerca do tempo, nada sabemos; e no entanto, o tempo é tudo o que possuímos. E em meio à nossa corrida rotina, o poeta nos recorda:


“A vida não precisa ser longa, só precisa ser profunda.”





O que são oito, o que são oitenta anos? Para o tempo cronológico dos relógios, oitenta anos parecem extensos. Para o tempo metafísico da alma, oitenta anos não passam de um sopro.

Uma leve brisa que tão ligeira passa.

Esta vida terrena constitui uma valiosa oportunidade para acumularmos bens eternos. Permanecer desperto para a beleza e a poesia, para os mistérios e encantos.





Quais os dedos que pintam a infinita tela dos sonhos?

O sono reparador da noite e a ‘siesta’ preguiçosa de dia.

Há quem diga que somos os sonhos que sonhamos.




Toda a ternura que emana dos avós, quando na companhia dos netos.



Do tempo cíclico, da beleza metafísica, o que é que sabemos?

Dizemos pais, irmãos, filhos; as pessoas às quais somos unidos pelo destino. Acreditamos que sabemos perfeitamente do que estamos a falar, não refletimos nas significações, acepções e sentidos das palavras que proferimos. A convivência gera laços, no entanto o amor, a admiração e o carinho necessitam ser dia-a-dia construídos.


Educar as futuras gerações de modo que saibam que, além

da nossa família biológica...

pertencemos todos à uma família maior: a família humana.



Sob a luz da fraternidade humana,

os sonhos da menina afegã

são também os nossos.





Dia virá, quiçá não tão distante,

quando a luz da fraternidade humana

haverá de iluminar nossos caminhos...






"Não tenho tempo para odiar quem me odeia.
Estou ocupada demais... amando quem me ama!"

Sintonia com o bem

Cada bom pensamento, cada boa palavra e cada ato de bondade, levanta a vibração do teu ser à novas alturas; então uma vida nova e um mundo novo se revelará para ti.

A vibração positiva de tua energia emana para fora, como uma pedra jogada na água, tocando em nosso planeta e em cada coisa viva nela.

Contigo em ascensão mais alta, tu tornas o mundo melhor, através de tua movimentação na engrenagem da vida. E esse mundo, bastante conturbado, portanto consequentemente bastante comprometido, carece de mais e mais pessoas conectadas no bem.

Desabafo de um cão

SE EU PUDESSE FALAR:

Não passe tão indiferente só porque eu não sou gente, só porque não sei falar.

Também sou um ser vivente, sinto as dores que você sente, mas não posso me expressar.

Sou um bicho abandonado, pela vida maltratado, quase sempre escorraçado, até mesmo apedrejado! Vivo sedento e faminto, ninguém quer saber o que sinto!

Se fico doente e triste vejo logo um dedo em riste.

E vem a sentença fatal:
- Melhor matar este animal!
- Ele deve estar raivoso!

Para sua comodidade vive dizendo inverdade, fazendo muita maldade, seu mentiroso.

Mesmo que esteja raivoso, já foi descoberta a vacina.

Mas para a sua raiva humana, ainda não existe remédio, nenhuma medicação, com toda sua evolução, na história da medicina!

Você mata o próprio irmão, faz guerras assalta, mata com ou sem razão, às vezes por ambição! É bem pior que eu, que chamam de vira-lata!

Olhe bem pro meu semblante:
- Estou triste, apavorado, pois, a qualquer instante, posso ser sacrificado!

Mas você não se importa nem com o seu semelhante!
- Você sim, está doente, egoísta, indiferente.

Mas se algo ruim lhe acontece logo lembra que há Deus, chora, reza e faz prece...
mas Deus só ajuda aquele que de todos se compadece.

Lembre-se do que escreveu São Francisco de Assis:
"Quem maltrata um animal jamais poderá ser feliz!"

Eu mereço... você também!

Sou merecedor(a).

Mereço tudo o que é bom, saudável, alegre, que possa ser curtido, usufruído, compartilhado. Não uma parte, não um pouquinho, mas tudo o que é bom.

Sou livre no meu espaço interno, no meu pensar, no meu projetar. Por isso agora me transporto para um novo espaço de consciência, onde estou disposto a me ver de maneira diferente e melhor.

Estou decidido(a) a criar positivamente novos pensamentos sobre mim mesmo(a) e minha vida. Eu tenho o poder de re-significar minha vida, minha história.

Meu modo de pensar torna-se agradável e nova experiência. Eu agora sei e afirmo que sou uno(a) com o Poder de Prosperidade do Universo. Estou junto e sintonizado com a Opulência Maior. Assim, prospero de inúmeras maneiras.

Está diante de mim a totalidade das possibilidades.

Mereço uma vida. Uma vida rica e interessante.

Mereço amor. Abundância de amor. Dar e receber de forma plena.

Mereço saúde. Uma saúde perfeita.

Mereço viver com conforto e prosperar em todos os níveis de minha vida.

Mereço alegria e criatividade. Conecto-me com o brincar mais gostoso, assim encontro a felicidade sempre que procurar.

Mereço a liberdade de ser tudo o que posso de maneira confortável, protegida, saudável e alegre.

Mereço, posso, as condições aparecem para que eu possa manifestar meus talentos e me sentir criando com o Criador.

Mereço tudo o que é divino, pois respeito a minha origem divina.

Sou um ser de luz (venho da Luz e caminho para a Luz) e sou por isso abençoado(a) e próspero(a). Minhas novas crenças positivas estão alinhadas com o Universo, o cosmos acolhe as minhas intenções.

Aceito essa vida abundante com alegria, usufruto, prazer e gratidão; compartilhando.

EU MEREÇO!!!! Repita.

Que assim seja! Que tudo se desenhe assim, com a graça de Deus!

Agradeço por tudo o que virá… Porque "já está escrito!”

Metamorfoseando

"Houve um momento em que o aperto foi tão extremo e aflitivo que eu imaginei não conseguir suportar. Eu nem sabia que, exatamente naquele ponto, a natureza tecia asas para mim, em silêncio, mas foi lá que senti que eu era feita também para voar.
O aperto, entendi somente depois, era uma espécie de morte, um prenúncio da transformação, uma ponte que me levaria a outro modo de ser.”

Ana Jácomo

4 de nov de 2011

Por que quero mais

Quero mais luz para iluminar as minhas-tuas sombras
e então os campos todos ficarem cheios de girassóis bem abertos.

Quero mais alegria para transformar as tristezas todas minhas e do mundo
para que ele então se abra em um infinito sorriso.

Quero mais amor, para aquecer meu corpo e meu coração,
para aquecer todos os corações com frio.

Quero mais justiça, para que não se escutem mais gemidos de fome,
de dor ou de desalentos.

Quero mais flores plantadas nas ruas e nos jardins,
no lugar das selvas de asfalto e das pressas anestesiantes.

Quero cartas escritas à mão, em papel reciclado,
e conversas olho no olho, em um banco qualquer...
em um jardim todo florido de hibíscus de todas as cores.

Quero televisores e computadores e celulares desligados
quero simplicidade em tudo, em todos os lugares,
em todas as pessoas, que saberão escolher o essencial.

Quero paz em todos os corações, em todas as palavras,
em todos os gestos, em todas as decisões.

Quero!...

Quero tantas coisas!...

Almira Lima

A riqueza maior

Havia um senhor muito rico que era dono de terras de valor incalculável. Vivia num palácio, rodeado de servos e amigos. Era um homem bom e utilizava sua riqueza para atender à fome alheia, providenciar abrigo a quem precisasse, agasalho a quem pedisse. Costumava orar todos os dias e, em suas preces, agradecia sempre pelos bens que possuía, em especial aqueles que nem o tempo, nem a ferrugem e nem a traça destróem.

Do lado oposto da aldeia vivia um camponês. Habitava uma gruta e para sobreviver plantava legumes e hortaliças que regularmente levava ao senhor do palácio a fim de vendê-las. Toda vez que se dirigia para as terras do homem rico, ia resmungando consigo mesmo sobre o que considerava uma grande injustiça, pois aquele homem tinha tanto, enquanto ele era tão pobre.

Certo dia, chegou a notícia aos portões do palácio avisando que malfeitores estavam a caminho, provocando mortes e violência. Temendo que algo pudesse acontecer aos seus familiares, amigos e servidores, o senhor do palácio logo providenciou para que todos buscassem lugares seguros. Quando o último grupo se retirou, os desordeiros estavam muito perto das portas do palácio e o seu dono verificou que não havia sobrado nenhum cavalo para que pudesse fugir.

Recordou-se do vendedor de hortaliças, das tantas vezes que o auxiliara e apressado, buscou a gruta. Lá chegando, contou-lhe tudo e pediu abrigo. O agricultor viu ali a sua oportunidade dourada e ofereceu-se para repartir a sua gruta com o rico senhor, desde que aquele lhe doasse todos os seus bens.

Sem pensar duas vezes, o rico lhe disse que tudo lhe pertencia desde então: terras, palácio, tesouros.

O nobre senhor foi repousar e o camponês, impaciente por tomar posse do que era seu por direito, correu ao palácio, enquanto orava a Deus dizendo:
- Nunca mais vou reclamar. Obrigado, meu Deus. Agora tenho tudo que sempre quis.

Os malfeitores chegaram, destruíram algumas peças, levaram outras e surraram, maltrataram e abandonaram o novo proprietário.

Passados alguns dias, o nobre, que não parava de agradecer a Deus por ter salvo sua vida, dos seus amigos, parentes e familiares, com os quais logo iria se juntar, foi levar um cesto de verduras ao palácio. Que bom, pensou ao chegar, os malfeitores quase não estragaram nada. O homem que me salvou a vida, recolhendo-me em seu teto, deve estar feliz com os tesouros que restaram.

Percorrendo as galerias do palácio, começou a se mostrar preocupado. Poças de sangue marcavam um caminho. Acompanhando as marcas, ele chegou até o enorme salão de piso de mármore e colunas douradas. Lá estava o camponês caído, semimorto, sozinho. Estava cego e inválido. Apesar de toda a riqueza, não tivera ninguém que o levasse ao leito, que o tratasse e lhe aliviasse as dores do corpo e da alma.

O homem nobre abraçou o corpo machucado, transformado em farrapo humano e intimamente orou:
- Obrigado, Senhor! Ainda sou o mais rico por tudo que me destes.

* * *
De todos os bens que a Divindade nos proporciona, no caminho terreno, sem dúvida, a maior fortuna é a da vida que possibilita o nosso aperfeiçoamento.

Redação do Momento Espírita

Enxergues a ti mesmo

Existe um ser forte dentro de ti.
Um ser capaz, um ser corajoso, destemido,
Disposto a suportar todas as dores,
Disposto a trilhar firme o caminho
Que se predispôs a percorrer.

Esse ser grita, se agita dentro do teu íntimo,
Se agiganta, se faz apto, tenta escapar e enfrentar
"De peito aberto", todas as dificuldades.

Tenha a certeza de que este ser
Tem as soluções e a força necessária,
Que desejas e precisas,
Para sair de todas as situações
Que, na vida, enfrentas.

Mas tu, preso a teu tão grande sofrimento,
Cego em tua imensa dor,
Buscas consolo em teu próprio ego.

Te apiedas tanto de ti mesmo
Que este ser grandioso,
Amarrado a esta enorme auto piedade,
Não consegue sair e deixar fluir
Toda a tua capacidade de compreensão,
De doação e de amor.

A vida é feita de momentos
Bons e ruins, alegres ou tristes
Tu és feito de vários tu"s"
Forte ou fraco
Alegre ou triste
Corajoso ou covarde
Honesto consigo mesmo
Desonesto com teus sentimentos.

Dá-te a oportunidade de experimentar
Todos estes seres.
Mas não te esqueças, vez ou outra,
De dar-te a oportunidade de ser feliz.

Olha à tua volta, faz-te necessário
Sejas necessário, útil a ti mesmo,
À comunidade, à humanidade.

Deixa que os seres que habitam em ti, fluam
Levanta-te, enxuga os olhos,
Procura enxergar à tua volta.

Tu não estás sozinho, vai à luta!
Sai desta inércia, assume tuas próprias culpas,
Tuas dores, teus desamores
Assim passarás a te conhecer melhor
A te sentires melhor, a gostares de ti mesmo.

Verás, então, que muitas portas se abrirão.
E a mais importante de todas,
Será aquela que se abrirá
Para dentro de ti mesmo
Pois, por ela enxergarás
O quão belo tu és.

Moisés

Meu pássaro voltou!

Quanta alegria... ele está vivo!!!
Criei-o desde pequeno... frágil e forte ao mesmo tempo.
Em minha clausura dei-lhe a alma...
Os grilhões, contudo, não me permitiram vagar pelos ares com ele.
Não podia alçar os vôos de que ele precisava
O final estava ali...

Certo dia voou, meu pássaro, para plagas distantes,
em busca de vida livre que lhe era inerente.
É compreensível que assim fosse. Perdi-o!

Hoje meu pássaro voltou, lindo, cantador e cheio de beleza
que colhera em sua caminhada...
Fiquei feliz em vê-lo!
Quanta felicidade!...
Quanto vigor!
Era o MEU PÁSSARO!!!

Fiquei triste ao vê-lo, quanto egoísmo da minha parte!
Quanta alegria sofrida!...
Sei que minha cela não mais o prenderá.
Sei que minha prisão não mais será compartilhada.
Perecerei com minha solidão...
Como dói sabê-lo livre!
Como sou feliz vê-lo assim!

Vai meu pássaro, voa para seu habitat natural...
A natureza foi feita para você.
Alces vôo cada vez mais alto!
De minha clausura estarei orando...

Perdoe-me as lágrimas!!!

autoria: Vadiberto Loureiro

ResPingos filosóficos

A vida é um jogo do qual ninguém pode retirar-se, levando apenas os lucros.
(André Maurois)

É curioso que a vida, quanto mais vazia, mais pesa. (León Daudi)

Perguntas por que compro arroz e flores? Compro arroz para viver e flores para ter algo para viver. (Confúcio)

Há duas maneiras de viver a vida: uma como se nada fosse um milagre e outra como se tudo fosse um milagre. (Albert Einstein)

O melhor é sair da vida como de uma festa, nem sedento... nem bêbado. (Aristóteles)

Todos somos figurantes. A vida é tão curta que não dá para mais. (Charles Chaplin)

Viver na Terra é caro, mas o preço inclui uma viagem grátis ao redor do sol cada ano. (Guy de Maupassant)

A vida consiste não em ter boas cartas, mas em jogar bem com as que possui.
(Josh Billings)

A vida é tão curta e o ofício de viver tão difícil, que quando alguém começa a aprender,
já está na hora de morrer. (Ernesto Sábato)

Se quiseres que algo se faça, encarrega disso uma pessoa ocupada. (Provérbio chinês)

Trabalhe como se não necessitasses de dinheiro, ame como se nunca te houvessem ferido e dance como se ninguém estivesse olhando. (Eça de Queiroz)

A vida é como uma lenda: não importa que seja longa, mas que seja bem narrada. (Lúcio Anneo Séneca)

Todos os homens somos feitos do mesmo barro, mas não do mesmo molde. (Rabindranat Tagore)

As mentes grandes discutem idéias; as médias, coisas; e as pequenas, pessoas.
(Kalil Gibran Kalil)

Temos que subir a montanha como velhos para chegar como jovens. (Confúcio)

A união do rebanho obriga o leão a deitar-se com fome. (Provérbio africano)

O tempo que uma pessoa passa rindo é o tempo que ela passa com os deuses. (Homero)

Uma vez terminado o jogo, o rei e o pião voltam para a mesma caixa. (Dante Alighieri)

Recorda que no dia em que nasceste todos riam e só tu choravas. Vive de tal maneira que quando morreres, todos chorem e só tu sorrias. (Provérbio persa)

Oxalá vivas intensamente todos os dias da tua vida! (Jonathan Swift)

3 de nov de 2011

Educar o olhar

Se você colocar um falcão em um cercado de 1m² e inteiramente aberto em cima, ele se tornará um prisioneiro, apesar de sua habilidade para o vôo. A razão é que um falcão sempre começa seu vôo com uma pequena corrida em terra. Sem espaço para correr, nem mesmo tentará voar e permanecerá um prisioneiro pelo resto da vida, nessa pequena cadeia sem teto.


O morcego, criatura ágil no ar, não pode sair de um lugar nivelado. Se for colocado em um piso plano, tudo o que ele fará será andar de forma confusa, dolorosa, procurando uma ligeira elevação de onde possa se lançar ao vôo.



Um zangão, se cair em um pote de vidro aberto em cima, ficará lá até morrer ou ser removido. Ele não vê a saída no alto. Por isso, persiste em tentar sair pelos lados, próximo ao fundo. Procurará uma maneira de sair onde não existe nenhuma, até que se destrua completamente de tanto se atirar contra as paredes do vidro.

Existem pessoas como o falcão, o morcego e o zangão: atiram-se obstinadamente contra os obstáculos, sem perceberem que a saída está logo acima.

Se você está como um zangão, um morcego ou um falcão, cercado(a) de problemas por todos os lados, olhe para cima!

E lá estará Deus: à distância de uma oração!

Vídeo: Camisa e o botão - Claudia Leite

2 de nov de 2011

Almas problemas

A pessoa-problema que renteia contigo, no processo evolutivo, não te é desconhecida...

O filhinho-dificuldade que te exige doação integral, não se encontra ao teu lado por primeira vez.

O ancião-renitente que te parece um pesadelo contínuo, exaurindo-te as forças, não é encontro fortuito na tua marcha...

O familiar de qualquer vinculação que te constitui provação, não é resultado do acaso que te leva a desfrutar da convivência dolorosa.

Todos eles provêm do teu passado espiritual. Eles caíram, sim, e ainda se ressentem do tombo moral, estando, hoje, a resgatar injunção penosa. Mas tu também. Quando alguém cai, sempre há fatores preponderantes e outros predisponentes, que induzem e levam ao abismo.

Normalmente, oculto, o causador do infortúnio permanece desconhecido do mundo. Não, porém, da consciência, nem das Soberanas Leis.

Renascem em circunstâncias e tempos diferentes, todavia, volvem a encontrar-se, seja na consanguinidade, através da parentela corporal, ou mediante a espiritual, na grande família humana, tornando o caminho das reparações e compensações indispensáveis.

Não te rebeles contra o impositivo da dor, seja como se te apresente.

Aqui, é o companheiro que se transforma em áspero adversário; ali, é o filhinho rebelde, ora portador de enfermidade desgastante; acolá, é o familiar vitimado pela arteriosclerose tormentosa; mais adiante, é alguém dominado pela loucura, e que chegam à economia da tua vida depauperando os teus cofres de recursos múltiplos.

Surgem momentos em que desejas que eles partam da Terra, a fim de que repouses...

Horas soam em que um sentimentos de surda animosidade contra eles te cicia o anelo de ver-te libertado...

Ledo engano! Só há liberdade real, quando se resgata o débito.

Distância física não constitui impedimento psíquico.

Ausência material não expressa impossibilidade de intercâmbio.

O Espírito é a vida, e enquanto o amor não lene as dores e não lima as arestas das dificuldades, o problema prossegue inalterado.

Arrima-te ao amor e sofre com paciência. Suporta a alma-problema que se junge a ti e não depereças nos ideais de amparar e prosseguir. Ama, socorrendo.

Dia nascerá, luminoso, em que, superadas as sombras que impedem a clara visão da vida, compreenderás a grandeza do teu gesto e a felicidade da tua afeição a todos.

O problema toma a dimensão que lhe proporcionas. Mas o amor, que “cobre a multidão dos pecados” voltado para o bem, resolve todos os problemas e dificuldades, fazendo que vibre, duradoura, a paz por que te afadigas.

Livro: Alerta
Divaldo P. Franco - Joanna de Ângelis

Nunca guardes...

Certo dia, um amigo abriu a gaveta da mesa de cabeceira da sua esposa e apanhou um pacote embrulhado em papel de arroz.
“Este – disse o meu amigo – não é um pacote qualquer, é uma peça íntima, uma lingerie finíssima”.

Abriu o pacote, jogou fora o papel, pegou a peça, e acariciou a seda macia.
“Ela comprou esta lingerie a primeira vez que estivemos em New Yorque, há 9 anos. Nunca a usou. Estava esperando a ocasião especial para usá-la. Acho que a hora chegou.”

Aproximou-se da cama e colocou a lingerie perto de outros objetos que levaria para o velório. Sua esposa havia morrido de repente.

Ele olhou para mim e disse:
“Nunca guardes nada à espera de uma ocasião especial, cada dia que vivemos, é uma ocasião especial”.

Ainda estou pensando nas palavras que ele me disse e como mudaram a minha vida.

Agora leio mais, e dedico menos tempo à limpeza da casa.

Sento-me na varanda e admiro a paisagem, sem reparar se o jardim tem ou não ervas daninhas.

Passo mais tempo em companhia da minha família e dos meus amigos, e bem menos tempo trabalhando para ganhar dinheiro.

Dei-me conta que a vida é um conjunto de experiências para serem apreciadas e não sobrevividas.

Agora já não guardo quase nada.

Uso os copos de cristal todos os dias. Visto roupas novas para ir fazer compras no supermercado, se estiver com vontade de vesti-las. Não guardo o melhor frasco de perfume para as festas especiais, mas uso quando quero sentir a sua fragrância.

As frases “um dia…” e “um dia destes…”, estão desaparecendo do meu vocabulário.

Não sei o que a esposa do meu amigo teria feito, se soubesse que não haveria amanhã, o mesmo “amanhã” que todos nós levamos tão pouco a sério.

Se ela soubesse, talvez poderia ter falado com todos os seus familiares e amigos mais próximos. Ou, talvez, poderia ter chamado os velhos amigos para se desculpar, para fazer as pazes pelos mal-entendidos do passado.

São estas pequenas coisas da vida não cumpridas que me chateariam se soubesse que tenho as horas contadas.

Pensar que deixei de abraçar os bons amigos que “um dia destes” reencontraria, me deixaria ainda mais triste, saber que deixei de dizer aos meus filhos e irmãos, com suficiente freqüência, o quanto os amo.

Agora procuro não retardar ou esquecer algo mais que poderia acrescentar sorrisos de felicidade e alegria à minha vida.

Cada dia que passa, digo para mim mesmo, que este é um dia muito especial.

Cada dia, cada hora, cada minuto que passa… é especial.

Pense nisso…

Aproveite as bênçãos diárias que Deus nos dá, não deixe pra amanhã a prática do amor e da reconciliação, viva cada oportunidade, aproveite até mesmo as pequenas coisas e seja feliz!!!

O caminho da loucura

Quase todos os seres humanos possuem uma característica típica da esquizofrenia: fazerem continuamente as mesmas coisas e ficar à espera de resultados diferentes. Todas as pessoas querem vidas melhores, mais saúde, melhores relacionamentos, mais abundância financeira...

Mas... dia após dia fazem exatamente as mesmas coisas! À espera de um milagre. Que nunca irá acontecer! Porque são loucas... Porque acreditam que vão mudar de vida sem mudar. Porque se meditarem o suficiente serão abençoadas com milhares de coisas boas, sem necessidade de mudar o que quer que seja.

Já reparou que à sua volta, na natureza, nada permanece constante? Tudo muda continuamente. E no entanto, você... que quer mudanças na sua vida, está a espera que elas ocorram sem mudar.

Bem vindo à insanidade! A maior parte das pessoas tem um sonho e faz planos para o manifestar e medita. E acredita na Lei da Atração e até é capaz de escrever alguma coisa e esperar que as pessoas à sua volta comecem a mudar...

E nada acontece... Porque a mudança tem que começar dentro de cada um primeiro! Tudo começa com os rótulos que colocamos sobre cada experiência do nosso cotidiano. Qualquer experiência sua é sempre uma aprendizagem.

O "bom" e o "mau" é apenas um rótulo que você decide colocar. Quando sentir que a experiência merece um rótulo "negativo" aprenda, antes de colocar o rótulo, a afirmar algo como "não sei de que forma esta experiência é boa pra mim, MAS É!" Quanto mais negativo for aquilo que tenho pra dizer, mais demoro pra dizer.

É uma técnica ensinada por D. Juan, dissolver a negatividade para dar poder à divindade. Ame cada experiência se quer atrair experiências melhores. E lembre-se que jamais passará por uma experiência "dramática", a menos que esteja preparado/a para ela. "Quem vive no presente com olhos no passado descobrirá que não tem futuro."

"Insanidade é fazer repetidamente as mesmas coisas e esperar resultados diferentes." Pare de se queixar para que esse tema se dissolva. Agradeça mais! Reclame menos!

Tuas flores

Deixa tua dureza derreter-se frente ao novo
que te é dado dia após dia.

Aprende a ouvir as águas rolando nos seixos:
elas trazem uma canção que o teu coração já conhece...

Vê o vento que balança as folhas das árvores:
é o mesmo que toca tua fronte iluminada.

Acompanha o vôo do pássaro sob o céu e sente:
o teu espírito é tão livre quanto ele.

Sente o silêncio abençoado da natureza que te permite
comungar com ela a quietude, a paz que vai em teu ser.

Olha tuas flores, mistura tuas cores
e cria teu próprio arco-íris.

Deixa teu coração presente em tuas palavras,
em tuas decisões, em teus silêncios.

Deixa a saudade vir e te avisar de um tempo precioso,
onde viveste em liberdade, em alegria e vê:
ainda é tempo de ser feliz.

Relembra tua história e o caminho que fizeste...
Quanto aprendeste, quanto mudaste e quanto ainda há por ser feito.

O tempo não pára, ele continua fiel à sua natureza:
Sê também fiel à tua natureza e resgata tuas fontes cristalinas,
tua alegria generosa, tua confiança no agora,
tua dança, tua segurança em ti mesmo.

O mundo não tem outro propósito senão o de ensinar-te
que és a Criança de Deus, e para a Criança de Deus
toda a criação é presente, todo amor é dado.

Descansa, Criança!
Teu jardim ainda é o mais bonito e floresce mansamente
aos olhos Daquele que tem por alegria olhar,
amar e cuidar de todas as tuas flores.

Texto de Silvia Schmidt
*Humancat*®