CHEGUE NA PAZ

31 de jul de 2011

Como as ondas

Você pode tentar tirar tudo que eu tenho
Você pode achar que vai me destruir
Mas nada disto será possível
Eu sou alta como as montanhas
E forte como as ondas do mar...

Não sou como o vidro que quebra
E não derramo lágrimas da chuva
Sei que no livro da vida
Está escrito que um dia chegarei lá...

As minhas janelas ainda estão quebradas
E você ainda tenta tirar tudo que eu tenho.

As ondas levam...
As minhas piores lembranças para o fundo do mar
As nuvens pretas que cobriam meu rosto
Já não existem mais.

Correntes machucando meu corpo
Já não existem mais
Por que sou alta como as montanhas
E forte como as ondas do mar...

Não sou como o gelo que derrete
E não sou feita de papel
No fim, brincarei com os anjos no céu...

Você entende o que eu estou falando?

Você imagina o que está escrito
Nas entrelinhas do meu diário?

Vou me afogar nas letras de uma canção
Me afundar nas palavras de um livro
E tentar encontrar o brilho da luz do dia.

Constante busca pela felicidade
Pois sou alta como as montanhas
E forte como as ondas do mar...

Eu não sangro mais.

autora: Jennifer Rosa
imagem: (Direitos reservados)

Vídeo: Chris De Burgh - LADY IN RED

Vídeo: Apaixone-se!!!

Não coma a vida com garfo e faca. Lambuze-se

Não coma a vida com garfo e faca.

Lambuze-se!

Muita gente guarda a vida para o futuro.

Mesmo que a vida esteja na geladeira
Se você não a viver, ela se deteriorará.

É por isso que tantas pessoas
Se sentem emboloradas na meia-idade.

Elas guardam a vida
Não se entregam ao amor
Ao trabalho, não ousam
Não vão em frente.

Não deixe sua vida ficar muito séria
Saboreie tudo o que conseguir
As derrotas e as vitórias
A força do amanhecer e a poesia do anoitecer.

Com o tempo
Você vai percebendo
Que para ser feliz
Você precisa aprender a gostar de si
A cuidar de si e, principalmente
A gostar de quem também gosta de você.

O segredo é não correr atrás das borboletas...
É cuidar do jardim
Para que elas venham até você.

Mário Quintana

29 de jul de 2011

Inimigos ocultos

Sofre de reumatismo
Quem percorre os caminhos tortuosos
Quem se destina aos escombros da tristeza
Quem vive tropeçando no egoísmo.

Sofre de artrite
Quem jamais abre mão
Quem sempre aponta os defeitos dos outros
Quem nunca oferece uma rosa.

Sofre de bursite
Quem não oferta seu ombro amigo
Quem retesa, permanentemente, os músculos
Quem cuida, excessivamente, das questões alheias.

Sofre da coluna
Quem nunca se curva diante da vida
Quem carrega o mundo nas costas
Quem não anda com retidão.

Sofre dos rins
Quem tem medo de enfrentar problemas
Quem não filtra seus ideais
Quem não separa o joio do trigo.

Sofre de gastrite
Quem vive de paixões avassaladoras
Quem costuma agir na emoção
Quem reage somente com impulsos
Quem sempre chora o leite derramado.

Sofre de prisão de ventre
Quem aprisiona seus sentidos
Quem detém suas mágoas
Quem endurece em demasia.

Sofre dos pulmões
Quem se intoxica de raiva e de ódio
Quem sufoca, permanentemente, os outros
Quem não respira aliviado pelo dever cumprido
Quem não muda de ares
Quem não expele os maus fluidos.

Sofre do coração
Quem guarda ressentimentos
Quem vive do passado
Quem não segue as batidas do tempo
Quem não se ama e, portanto, não tem coração para amar alguém.

Sofre da garganta
Quem fala mal dos outros
Quem vocifera
Quem não solta o verbo
Quem repudia
Quem omite
Quem usa sua espada afiada para ferir outrem
Quem subjuga
Quem reclama o tempo todo
Quem não fala com Deus.

Sofre do ouvido
Quem prejulga os atos dos outros
Quem não se escuta
Quem costuma escutar a conversa dos outros
Quem ensurdece ao chamado divino.

Sofre dos olhos
Quem não se enxerga
Quem distorce os fatos
Quem não amplia sua visão
Quem vê tudo em duplo sentido
Quem não quer ver.

Sofre de distúrbios da mente
Quem mente para si mesmo
Quem não tem o mínimo de lucidez
Quem preza a inconsciência
Quem menospreza a intuição
Quem não vigia seus pensamentos
Quem embota seu canal com a Criação
Quem não se volta para o Universo
Quem vive no mundo da lua
Quem não pensa na vida
Quem vive sonhando
Quem se ilude
Quem alimenta a ilusão dos outros
Quem mascara a realidade
Quem não areja a cabeça
Quem tem cabeça de vento.

Causa e efeito. Ação e reação.
Tudo está intrinsecamente ligado. Tudo se conecta o tempo todo.

E assim, sucessivamente, passam os anos sem que o ser humano conheça a si mesmo. Somos, certamente, o maior amor das nossas vidas!

Assim como o nosso maior inimigo é aquele que está oculto e que habita, inexoravelmente, no interior de nós mesmos.

MAURICIO SANTINI

Razão & Emoção

Tantas vezes me perguntei como agir após uma emboscada do destino, uma traição da vida, um momento infeliz. Se através da razão ou da emoção. Muitos exemplos me ensinam a fazer o uso do bom senso, do equilíbrio, sem saberem, todavia, se meu coração navega num mar de tranqüilidade ou está perto de explodir de emoções absolutamente impossíveis de conter. Mas como condenar tantos avisos que, embora, pareçam sábios, esses conselheiros não podem ver o que está oculto dentro do meu peito?

Fico cismando de vez em quando de como utilizar a razão quando precisamos cuidar das coisas da alma e do coração? Como raciocinar livre para desprezar um passado que continua presente? Como construir o futuro com os tijolos do bom senso se as paredes do nosso espírito são desenhadas com a tinta rubra da emoção? Como tomar decisões à luz da razão quando nos corredores da nossa existência vivem em estranhas núpcias, o amor, as suas perdas, suas conquistas, o ciúme, a desforra, o despeito, uma saudade que nunca finda?

Como viver afinal, entre a razão e a emoção, sem que nosso interior seja o grande palco de um duelo sentimental entre essas duas guerreiras da alma, que confundem nossos sentidos, brincam com o tempo, criam e matam esperanças, desafiam a felicidade, julgam, absolvem e condenam tantos outros sentimentos.

Se muitos pudessem ver o teatro oculto do nosso espírito não ficariam a exigir que nossos atos naveguem sempre nos mares serenos da prudência. Se pudessem devassar as cortinas que escondem nossas inquietações mais íntimas veriam que a razão da emoção é a maior verdade de todas as verdades. A razão é dura. A emoção sonha. A razão é fria. A emoção é ardente. A razão é insípida. A emoção é doce. A razão é imparcial. A emoção toma partido da paixão, tem o olhar da alvorada, a sensibilidade do crepúsculo.

Jamais os amores que tem o cheiro do eterno começaram no berço da lógica. Nem um gesto de razão deu início aos olhares que escreveram histórias que só os corações apaixonados sabem contar. Ninguém, na realidade, se encanta com as esquinas enluaradas, com o caminho das estrelas, com a poesia saída das almas dos amantes tocadas pelas flechas da razão. São os dardos da fantasia que escrevem no livro da vida todas as receitas que contam as procissões de emoções que andam pelo nosso interior.

A razão é apenas a tinta sem perfume que ensina e conserta as coisas materiais. A emoção conserta a vida, o amor, o desamor. Muitos dizem que a razão é que desenha a calma nas faces dos homens. Mas o que importa, se algumas vezes, a emoção nos faz derramar um pranto que não cessa? Só choramos pelo o que amamos. Pelo que queremos ardentemente. Pelo que perdemos. Pelo que nos sufoca o alma ou nos acelera o coração.

A efemeridade da vida ensinou-me que posso renunciar a tudo, exceto ao amor, ao que remexe minhas entranhas, ao andar das emoções que me fazem adormecer num floco jaspeado de nuvens.

O caminhar intrigante do tempo fez com que eu me encantasse pelos perfumes do desconhecido, por um sonho que ainda não sonhei, por uma manhã que ainda não vivi, pelo colorido de uma emoção que ainda vai acontecer. Pouco importa o futuro se a história que ele vem contando a insipidez da razão há muito já me confidenciou.

Noelio Mello - Belém/PA

Odor de rosas

Um limpador de fossas havia passado a vida inteira desentupindo esgotos e transportando a imundície para os campos próximos a cidade. Sem nenhum problema, caminhava pelos vazadouros de esgoto e nem sequer franzia o nariz, mesmo quando esvaziava as mais profundas fossas. Com o tempo, ele se acostumou ao terrível cheiro. E, enquanto perambulava pelas vielas, observava com curiosidade todas aquelas coisas estranhas para ele. Um dia, resolveu visitar o bazar, lugar onde nunca havia estado antes.

Finalmente chegou em uma loja onde um mercador vendia incenso de flores. O odor de rosas de incensos acesos penetrou em suas narinas e inundou seu ser. Mas a fragrância, que todas as pessoas consideravam tão maravilhosa, foi demasiadamente forte para o limpador de esgoto, que desmaiou. Como não havia meios de fazer o homem voltar a si, um médico foi chamado às pressas.

Reconhecendo a profissão do paciente pelas roupas que vestia, o médico pegou um punhado de barro da sarjeta e segurou-o sob as narinas dele. Subitamente, como que tocado por uma varinha de condão, o limpador de fossas abriu os olhos.

As pessoas, admiradas, pensavam ser um milagre. Mas o raquim explicou:
“O homem estranhou a fragrância do incenso de rosas, porque tem o olfato acostumado a odores de outra natureza... Embora seja difícil de entender, assim é. Pois como pode alguém que não conhece algo, saber do que se trata?”

"Cada pessoa tem a SUA REALIDADE. Afinal, mudanças são desconfortáveis... Às vezes, traumatizantes...” Pode ser ideal, ou não, mas é a realidade que a pessoa conhece, está acostumada a viver. E que procura manter, por comodismo ou por receio de enfrentar o desconhecido para mudá-la.

Não rejeitem o novo, simplesmente porque não o conhecem.

Estejam abertos à tudo...

Observem... Experimentem...

Assim, quem sabe, estarão se proporcionando uma realidade muito melhor do que aquela que vivem agora.

Mas as mudanças são necessárias para a evolução.

Vídeo: Shakira - Tortura en vivo


SHAKIRA-LA TORTURA EN VIVO por ZICARLOS

Muito além de uma porta

Se você encontrar uma porta à sua frente, poderá abri-la ou não. Se você abrir a porta, poderá ou não entrar em uma nova sala. Para entrar, você vai ter que vencer a dúvida, o titubeio ou o medo. Se você venceu, você deu um grande passo: nesta sala vive-se.

Mas também tem um preço: são inúmeras as outras portas que você descobre. O grande segredo é saber quando e qual porta deve ser aberta.

Os erros podem ser transformados em acertos, quando, com eles, se aprende. A vida não é rigorosa: ela propicia erros e acertos. Não existe a segurança do acerto eterno.

A vida é generosa: a cada sala em que se vive, descobre-se outras tantas portas. A vida enriquece a quem se arrisca a abrir novas portas. Ela privilegia quem descobre seus segredos, e generosamente oferece afortunadas portas.

Mas a vida também pode ser dura e severa: se você não ultrapassar a porta, terá sempre a mesma porta pela sua frente. É a repetição perante a criação. É a monotonia cromática perante o arco-íris.

É a estagnação da vida. Para a vida, as portas não são obstáculos...
São apenas diferentes passagens.

(Dr. Içami Tiba)

28 de jul de 2011

A árvore generosa

Era uma vez uma árvore. Que amava o Menino. Todos os dias o Menino vinha, juntava sua folhas e com elas fazia coroa de Rei. Com elas brincava de Rei da floresta. Brincava à sua sombra, comia seus frutos... e quando já bem cansado, o Menino repousava encostado no forte tronco da árvore.

O Menino amava a árvore, profundamente. E a árvore era feliz. Mas o tempo passou... O menino cresceu... e a árvore muitas vezes ficava sozinha.

Um dia o Menino veio e a árvore disse:
- Menino, venha subir no meu tronco, balançar-se nos meus galhos, comer as minhas maçãs, repousar à minha sombra e ser feliz.

O Menino respondeu:
- Estou grande demais para brincar... Eu quero comprar muitas coisas, eu quero me divertir e preciso de dinheiro. Você tem algum dinheiro que possa me dar?

Disse a árvore:
- Sinto muito! Eu não tenho dinheiro. Tenho apenas minhas folhas e tenho muitas maçãs. Leve as maçãs, Menino. Vá vendê-las na cidade. Então terá dinheiro e serás feliz.

E assim o Menino colheu as maçãs e levou-as embora. E a árvore ficou feliz. Mas o menino sumiu por muito tempo...

Um dia, o Menino veio e a árvore estremeceu tamanha a sua alegria, e disse:
- Venha Menino, venha subir no meu tronco, balançar-se nos meus galhos e ser feliz!
- Estou muito ocupado para subir em árvores. Eu quero uma casa para e abrigar; eu quero uma esposa, eu quero ter filhos, pra isso é preciso que eu tenha uma casa. Você tem uma casa para me dar?

A árvore disse:
- Eu não tenho casa. A casa em que moro é esta floresta. Mas corte meus galhos e faça sua casa e seja feliz.

O Menino depressa cortou os galhos e levou-os embora para fazer uma casa. E a árvore ficou feliz. O Menino ficou longe por um longo, longo tempo, e no dia que voltou a árvore ficou alegre, de uma alegria tamanha que mal podia falar.
- Venha, venha meu Menino. Venha brincar!

Sussurrou o menino:
- Estou velho pra brincar. Eu estou muito triste... eu quero um barco ligeiro que me leve para bem longe. Você tem algum barquinho pra me oferecer?
- Corte meu tronco e faça seu barco! Viagem para longe e seja feliz!

O menino cortou o tronco, fez um barco e viajou. E a árvore ficou feliz... mas com muita saudade... Muito tempo depois, o Menino voltou.
- Desculpe Menino... eu não tenho mais nada pra lhe oferecer. As maçãs já se foram!
- “Meus dentes são fracos demais para maçãs”, disse o menino.
- Já se foram os galhos para você balançar e a sombra para brincar.
- “Já não tenho idade para me balançar nem para brincar”, disse ele.
- Não tenho mais tronco para subir.
- “Estou muito cansado e já não sei subir...”
- Eu bem que gostaria de ter qualquer coisa pra lhe oferecer (suspirou a árvore)... Mais nada me resta. Eu sou apenas um toco sem graça... Desculpe!
- “Já não quero muita coisa... só um lugar sossegado onde possa me sentar, pois estou muito cansado”, disse ele.
- Pois bem... (respondeu a árvore, enchendo-se de alegria) eu sou apenas um toco... mas um toco é útil para sentar e descansar... Venha menino, depressa, sente-se e descanse. Foi o que o Menino fez. E a árvore ficou feliz...

Do original de Shel Silvertein - Adaptado por Fernando Sabino

A vida como deveria ser

Se a vida é bela somente pelos encantos que oferece, então deveria ser lei universal que ela não tivesse qualquer presença de perda. Se fosse obrigada ser choro derramado que fosse sempre por alegrias infindas, nunca por dores que dilaceram o coração.

Teria que ser luz em profusão e que sempre mostrasse a euforia do riso, em vez do lamento da alma. E se quisesse ir mais além, para eternalizar seus encantos, nunca deveria permitir que secassem os trigos nos campos, que se soltassem as pétalas dos lírios, que virassem marés vazantes os oceanos afoitos, que nunca tivesse fim no meio da noite o incandescente riscar de uma estrela cadente.

Seria bela, sempre, se negasse aos amantes a insana coragem de dissiparem suas juras de amor eterno e que os seus limites nunca pudessem permitir que o desamor desse um passo a frente ou que ousasse conceder à cor rubra das paixões o direito de empalidecer dentro de tantas artérias ardentes.

Se a alma da vida tivesse contornos, formas, que todos fossem desenhados nas cores celestes de todos os céus. Que fosse sempre alvorada em chamas, em vez das saudades intensas que se derramam pelas paredes tristes do sol poente. Que tivessem braços envolventes todas as estrelas, olhos e lábios todas as luas, pernas lentas todas as primaveras, mãos acariciantes todas as chuvas.

Para ser o encanto pleno que deixasse de carregar todos os dias tantos fardos de desesperanças, que ouvisse todos os apelos que saíssem das bocas sofridas, que atendesse todas as ânsias de todos os homens aflitos. Que seus feitiços pudessem paralisar e emoldurar a prata do orvalho, o andar das nuvens, que dessem cores para todos os ventos.

Que sua magia fizesse morar nas calçadas das cidades cinzas somente os pedaços de luar, a preguiça do sol, nunca as pessoas indigentes com seus sonhos anestesiados, cerceados, despertados pelo correr da flecha invisível riscando no ar estupidos e injustos destinos. Se quisesse ser a face alva da bondade que tornasse lei terrena que todas as crianças deveriam ser felizes, como são inocentes. Sadias, como são ingênuas.

Se pretendesse ser eternamente bela teria, então, que costurar a felicidade às almas dos homens não permitindo, assim, que ela fugisse escorregando pelas paredes de muitos corações e se escondesse entre os segredos e os mistérios das surpresas infelizes.

Que sempre fosse as mãos da piedade pública. Os olhos da compaixão. Os ouvidos para todos os alaridos de dor. Se realmente a vida é bela por todos os encantos que oferece e deseja para sempre ser a esposa do mundo teria que ser amor perfeito, todas as cores da liberdade, o perfume de uma manhã de chuva leve, a calma dos rios, a leveza da alma, e que os chãos de fogo fossem pintados com as cores de todos os arco-íris.

Caso seja verdade que a vida é bela somente pelos seus encantamentos, que jamais deixasse escassear o espetáculo da fé nos corações de todos os homens. Eu, por enquanto, fico apenas olhando nos olhos da esperança.

Noelio Mello - Belém/PA

27 de jul de 2011

É normal ser alegre...

Você já parou para pensar porque que a alegria atrai o amor? Porque a alegria é um poderoso ímã. Você é um ímã e fica atraindo para si mesmo o que está por aí. Quanto mais alegria, mais amor. Não dá para esperar o contrário disso. Não dá para viver uma vida triste de rancores e de injustiças e esperar que o amor brote bem na sua frente, bem no fundo do seu coração! Pense nisso!

O sentimento de alegria tem poder de cura, como nenhuma outra vibração tem! Pois saiba que as pessoas todas podem ser muito mais protegidas, felizes e iluminadas se instalarem e assumirem a alegria em seu viver. A alegria tem poder de cura porque faz com todas as células e órgãos do seu corpo se sintam física e psicologicamente saudáveis, úteis, verdadeiras e completas. O contrário também é verdadeiro.

Já percebeu como você tende a se afastar de pessoas doentes e tristes? Claro. Ninguém quer se contaminar com a dor e o sofrimento alheio. É normal você se sentir atraída por pessoas alegres, cheias de vida, dinâmicas e saudáveis. Quando a alegria aumenta, aumenta também a saúde física, emocional e mental. Põe isso na sua cabeça e perceba o que você está atraindo dos outros! A alegria faz com que as pessoas fiquem à vontade e apreciem sua companhia alegre!

Além disso, a alegria não só atrai o amor das outras pessoas, mas também as contagia. Há um campo de energia que germina e vibra ao redor das pessoas que se permitem viver em alegria. Aliás, a alegria está sempre se multiplicando. O que você cultiva em si mesmo, vai se transformando numa preciosa dádiva para os outros, sabia? Tenha consciência disso, por favor!

A alegria que brota do seu coração entra em sintonia com as pessoas de modo fácil, forte e sutil. Assim, cada um que recebe a alegria irá passá-la adiante e desta maneira estaremos todos juntos ligados por uma Corrente do Bem.

Saiba que a alegria é o estado natural de todos nós. É normal, gostoso, inteligente e bom ser alegre! É normal ser alegre principalmente porque viemos com essa característica de fábrica.

Fique com Deus que é a fonte de toda alegria! Todos vivemos sob o mesmo céu, mas nem todos vêem o mesmo horizonte.

Luis Carlos Mazzini

Por que dormir?

Nesta noite rezo em preces
Amuado... sem carinhos
Para o sono não vir
Perguntando ao silêncio
Deus! Porque dormir?

Se nos sonhos... aparece
Ela... em torvelinhos
Bosquejos... envoltos... em tredos
Pois o passado... de credos
Inverteram-se em pecados...

Se hoje carrego fardos
São penitencias a cumprir
Dos dolos... anseios... perfumes
Elixires dos meus queixumes
Por isso oro calado
A prece dos condenados

Nesta longa madrugada
Lágrimas... cristalizadas
Esperando à alvorada

Pra outro dia mentir
À alguém que vela... saudade
Lembranças sempre a ferir...

Roberto Stavale

Vídeo: Elias Silva - LIVRE PARA VOAR

Tempo para Deus

Obs: Só leia se tiver tempo para DEUS...

Quando Deus tira algo de seu alcance, Ele não está punindo-o, mas apenas abrindo suas mãos para receber algo melhor.

Concentre-se nesta frase... "A vontade de Deus nunca irá levá-lo aonde a Graça de Deus não irá protegê-lo." Alguma coisa boa vai acontecer com você hoje, algo que você tem esperado ouvir...

Por favor, não quebre! Apenas ore... Apenas 27 palavras.

"Deus, nosso Pai, CAMINHE pela minha casa e leve embora todas as minhas preocupações e doenças, e POR FAVOR, vigia e cura a minha família em nome de Jesus... AMÉM."

Esta oração é muito poderosa. Indique essa oração para o máximo de amigos. Todo mundo precisa de uma bênção e agora nesse momento uma bênção está vindo para você na forma de um novo emprego, uma casa, o casamento, saúde ou financeiramente. Não se faça perguntas. Este é um teste. Será que Deus está em primeiro lugar na sua vida? Se assim for, apenas ore e deixe o resto com o Pai. Observe o que Ele faz.

26 de jul de 2011

Mensageiro

Eu sou mensageiro
Carrego mensagens
Carrego ilusões
Carrego tristeza
Carrego alegria
Pra mil corações

Carrego esperanças
Pra quem já perdeu
Carrego lembranças
Pra quem já esqueceu

Eu sou o mensageiro
Que as moças, eufóricas
Vão encontrar
Em busca de carta
De carta amorosa
Que alguém mandou dar

Se alguém ri ou chora
Não sou culpado
Eu sou mensageiro
Pra isso sou pago

Menina, esta carta
Alguém te mandou
Senhor, por favor
Receba, esta é sua
Maria, afinal
A tua chegou!

Eu sou mensageiro
Carrego ilusões
Tristeza, alegria
Pra mil corações.

Givaldo Zeferino

Havia algo...

No meio das defesas todas, havia algo que não se defendia, não sabia como se defender, não conseguiria, ainda que tentasse.

Havia algo delicioso de se sentir que escorregava de dentro da gente e se esparramava no sorriso. Escapulia no olhar. Cantava no silêncio. Fazia florescer pés de sol no tempo encantado em que estávamos juntos. Dispensava nomes e entendimentos.

Havia algo que tinha um cheiro inconfundível de alegria. De vida abraçada.
De chuva quando beija a aridez. De lua quando é cheia e o céu diz estrelas.
Um cheiro da paz risonha do encontro que é bom.

No meio das defesas todas, havia algo que não se defendia, não sabia como se defender, não conseguiria, ainda que tentasse.

Havia algo maravilhoso para ser dado e recebido, daqueles presentes que
a vida embrulha com os seus papéis mais bonitos e entrega, toda contente, para duas pessoas.

Havia algo para ser trocado, e troca é quando duas vidas se sentem olhadas ao mesmo tempo.

Havia algo que fazia um coração falar com o outro, ouvir o que era dito, gostar do que era dito, rir com o que era dito, sentir-se espelhado, sentir-se enternecido, querer brincar, muito além do que qualquer palavra, por qualquer motivo, por qualquer defesa, tentasse, em vão, esclarecer. Uma vontade de parar todos os relógios do mundo para eternizar a dádiva da presença compartilhada, e a impressão de que às vezes até conseguíamos.

No meio das defesas todas, havia algo que não se defendia, não sabia como se defender, não conseguiria, ainda que tentasse.

Havia algo que escapava, ileso, dos artifícios todos, todos tolos, que a razão arranjava para não deixar o amor fluir com a beleza dele, o chamado dele,
a natureza dele. Amor sempre arruma brecha para escoar entre os dedos temerosos do medo. Pode ser que a gente sinta tanto receio e se proteja tanto, as feridas antigas cicatrizadas coisíssima nenhuma, que nem consiga vivê-lo em sua plenitude. Mas que ele escoa, escoa. Esparrama no sorriso. Escapole no olhar. Canta no silêncio. Diz.

No meio das defesas todas, havia algo que não se defendia, não sabia como se defender, não conseguiria, ainda que tentasse.

Havia algo que delatava o desejo, os quarteirões da gente todos iluminados com o fogo feliz da sensualidade, iluminadas as ruas todas que dão acesso ao lugar onde o corpo e a alma costumam se encontrar e dançar numa única canção...

Havia algo que não podia ser negado, preterido, amordaçado. Algo que inaugura primavera, tanto faz se é inverno... Algo raro e precioso... Que é perfeito, ao mesmo tempo que consegue incluir todas as imperfeições...
Que é lindo, ao mesmo tempo que consegue integrar as esquisitices todas que gente também tem....

Havia amor em nossos olhar, e de um jeito ou de outro, sabíamos, havia chegado pra ficar.

O amor quando é amor é amor.

25 de jul de 2011

Politicagem

Os políticos honestos, se é que existem no Brasil
Pois não temos manifestos, ninguém sabe, ninguém viu
No juízo do povão ser político é ser ladrão.

Todo dia estoura um fato fedorento nos jornais
Por ser muito putrefato incrimina por demais
Os políticos da Nação e nenhum vai pra prisão.

Os políticos se escudam numa lei de imunidade
Nela todos se saúdam e mantêm a impunidade
O povão quer punição, mas a Lei não vê razão.

Pra findar esta lei, cria deles mesmos no Congresso
É preciso a maioria votar “sim” pra ter sucesso
Jamais houve a votação. Quer a classe proteção.

Os políticos são de sorte porque somos uns cordeiros
E jamais lhes demos morte por seus atos trapaceiros
Os que mais larápios são mais subornam em eleição.

A pobreza dá-lhes asas por dar graças às esmolas
Não pensando em suas brasas por não ter cursado escolas
Quem não tem educação não enxerga a roubação.

É por isso que políticos se desleixam da cultura
Quanto mais houver raquíticos mais terão desenvoltura
Até mesmo a oposição fez proveitos nesta ação.

Todo dia se comenta militantes no Poder
A fortuna muito aumenta faz vergonha se dizer
O Brasil é campeão em fazer malversação.

Almir Câmara

Oração por reforma íntima

Senhor, dá-me a esperança para vencer minhas ilusões, todas.

Plantai em meu coração a sementeira do amor. E ajuda-me a fazer feliz o maior número da humanidade possível, para ampliar seus dias risonhos e resumir as noites tristonhas.

Transforma meus rivais em companheiros, meus companheiros em amigos e meus amigos em entes queridos.

Não me deixeis ser um cordeiro perante os fortes e nem um leão diante dos fracos.

Dá-me o sabor de saber perdoar e afastai de mim o desejo de vingança.

Senhor, iluminai meus olhos para que eu veja os defeitos de minha alma e vendai-os para que eu não comente os defeitos alheios.

Senhor, levai de mim a tristeza e não a entregueis a mais ninguém.

Enchei meu coração com a divina fé, para sempre louvar o vosso nome e arrancai de mim o orgulho e a presunção.

Deus, fazei de mim um homem realmente justo.

Mensagem de um idoso

Se meu andar é hesitante e minhas mãos trêmulas, ampare-me.

Se minha audição não é boa e tenho de me esforçar para ouvir o que você está dizendo, procure entender-me.

Se minha visão é imperfeita e o meu entendimento é escasso, ajude-me com paciência.

Se minhas mãos tremem e derrubam comida na mesa ou no chão, por favor não se irrite, tentei fazer o melhor que pude.

Se você me encontrar na rua, não faça de conta que não me viu, pare para conversar comigo, sinto-me tão só.

Se você na sua sensibilidade me vê triste e só, simplesmente partilhe um sorriso e seja solidário.

Se lhe contei pela terceira vez a mesma "história" num só dia, não me repreenda, simplesmente ouça-me.

Se me comporto como criança, cerque-me de carinho.

Se estou com medo da morte e tento negá-la, ajude-me na preparação para o adeus.

Se estou doente e sou um peso em sua vida, não me abandone, um dia você terá a minha idade.

A única coisa que desejo neste meu final da jornada, é um pouco de respeito e de amor.

Um pouco... do muito que te dei um dia!!!

O poder da oração

E de repente...
Um doente se curou
Alguém perdoou ou pediu perdão
Alguém abriu os braços, estendeu as mãos.

E de repente...
Uma mãe enlutada encontrou consolação
Um órfão obteve a adoção
E no asilo houve visitas para o ancião.

E de repente...
Uma fera humana retraiu as garras
Um arrogante considerou a humildade
Um avarento doou com generosidade.

E de repente...
Um talento escondido aflorou
A divina singularidade se expressou
E a beleza se fez com majestade.

E de repente...
Um triste deparou-se com a alegria
Um faminto obteve o pão
E o aflito encontrou a solução.

E de repente...
Reconheceu-se um inocente
No cárcere um culpado converteu-se
E alhures, alguém superou um vício.

E de repente...
Um trabalhador abençoou o ofício
Um desempregado achou colocação
Um lar reafirmou-se na união.

E de repente...
Fez-se paz e luz por toda a Terra
E qual gigantesca onda, tudo permeou
E o "Verbo" por toda parte ressoou.

Foi um instante fugidio, clarão de um segundo.

É que neste átomo de tempo abençoado
Alguém em alguma parte do mundo
Abriu a alma para Deus com sinceridade...

E OROU!

Fátima Irene Pinto

24 de jul de 2011

Pode me chamar

Se um dia lhe der uma louca vontade de chorar
Chama-me...
Não lhe prometo fazer sorrir
Mas posso chorar com você...

Se um dia resolver fugir
Não se esqueça de me chamar
Não lhe prometo pedir pra ficar
Mas posso fugir com você.

Se um dia lhe der uma louca vontade
De não falar com ninguém
Chama-me assim mesmo
Prometo ficar bem quietinho

Mas...
Se um dia você me chamar e eu não for
Vem correndo ao meu encontro
Talvez eu esteja precisando de você...

Pela metade?

"... Se parece tão elementar que meio de algo não chega sequer a ser uma unidade, como você espera ter sucesso em qualquer coisa em sua vida, se dedicando pela metade? Quando observo minha própria biografia, vejo que
a maior parte das minhas quedas aconteceram quando quebrei esta regra. Aqueles de nós que acreditam que possam se comprometer pela metade, mantendo "um pé na canoa e outro no cais", ou que preferem ficar "em cima do muro", simplesmente não conseguirão atingir suas metas de vida.
Meias medidas perdem todas as guerras, como disse Napoleão.

Isso não significa que medidas inteiras vençam todas as guerras, já que
o oponente também pode estar se dedicando de corpo e alma. Mas, se qualquer dos dois estiver comprometido pela metade, vence o que se comprometeu por inteiro, que luta mais, que busca mais, que se atira de cabeça à batalha com o cérebro, o coração e a paixão. Vence a corrida, o carro que tiver todos os cilindros funcionando no máximo de sua força, com
o melhor motorista e a maior vontade.

Airton Senna não era o único piloto a ter um carro excelente, mas os carros excelentes pilotados por Airton Senna tinham ao volante o melhor piloto.
O mais dedicado e apaixonado pelo que fazia. Essa era a diferença.
O comprometimento. Comprometimento total traz vitórias arrasadoras.
O número estatisticamente absurdo de vezes nas quais a bandeira do Brasil era levantada nas provas de Fórmula 1, pelos braços de Senna, esmaga qualquer um que defenda as "meias medidas".

Há, ao seu lado, pessoas comprometidas pela metade. Olhe-as. São aquelas que fazem o mínimo necessário para não perderem o emprego, para não perderem a esposa (ou o marido), para não perderem o ano escolar.
São os mestres do 50%, da nota "C", da estratégia mais vulgar que existe para se esconder: ficando somente na metade de tudo, se comprometendo com o casamento somente a ponto de "ir levando", ou que passam quatro anos na faculdade, de uma festa para outra. Você pode enganar o sistema social, mas você não pode enganar as leis naturais. Não existe lugar no universo onde metade de algo seja um inteiro.

Acostume-se a viver a vida por inteiro, não pela metade. Meias medidas
vão enganar você. Meias medidas não são as mais seguras, e sim o caminho
para a mediocridade. São o caminho para o fracasso no trabalho, nos relacionamentos, na vida pessoal e na vida das empresas de qualquer ramo de atividade.

Sua vida é um avião. Seu casamento é um avião. Sua carreira profissional
é um avião. Sua empresa é um avião. Você, realmente, acredita que vai conseguir levantar vôo com qualquer destes aviões pela metade?

Afaste-se, enquanto é tempo, de qualquer pessoa especializada em viver pela metade. Procure e fique ao lado dos que se comprometem por inteiro. Daqueles que são apaixonados pelo que começam e apaixonados pelo que terminam. Estar com estas pessoas vai ajudar você a tornar-se uma delas. Libere a paixão que existe em você.

Meias medidas perdem todas as guerras. Pare de taxiar na pista da vida. Escolha a melhor opção e entregue-se com fé a ela. Nada é mais poderoso
do que a fé... usada na direção certa. Vamos nessa?"

Thereza di Buriasco

O Sublime Alguém

Ninguém poderá carregar o fardo de suas dores. Eduque-se com o sofrimento.
*
Ninguém entenderá os problemas complexos de sua existência. Exercite o silêncio.
*
Ninguém seguirá com você indefinidamente. Acostume-se com a solidão.
*
Ninguém acreditará que suas aflições sejam maiores do que as do vizinho.
Liberte-se delas com o trabalho de auto-iluminação.
*
Ninguém lhe atenderá todas as necessidades. Subordine-se apenas ao que você tem.
*
Ninguém responderá por seus erros. Tenha cuidado no proceder.
*
Ninguém suportará suas exigências. Faça-se brando e simples.
*
Ninguém o libertará do arrependimento após o crime.
Medite na paciência e domine os impulsos.
*
Ninguém compreenderá seus sacrifícios e renúncias para a manutenção de uma vida modesta e honrada. Persevere no dever bem cumprido.
*
Sábio é todo aquele que reconhece a infinita pequenez ante a infinita grandeza da vida. Embora ninguém possa servi-lo sempre, você encontrará um sublime Alguém, que tem para cada anseio de sua alma uma alternativa de amor.
*
Por você, Ele carregou o fardo do mundo...
Compreendeu os conflitos da vida...
Caminhou com todos...
Socorreu todos que O buscaram...
Matou a fome, saciou a sede e ouviu as multidões inquietas...
Atendeu à viúva de Naim, ao apelo materno em Caná...
Carregou a cruz da injustiça sem nenhuma reclamação...
*
Perdoou a traição de Judas, desculpou as negativas de Pedro e a ambos libertou do remorso com a concessão do trabalho em novos avatares...
*
Compreendeu as lutas da mulher atormentada, sedenta de paz; esclareceu o enfático doutor do Sinédrio, sedento de saber; arrancou das trevas o cego Bartimeu, sedento de claridade...
*
Ensinou que diante do amor todos os enigmas do Universo se aclaram, por ser o Pai Celeste a Suprema Fonte do Amor.
*
Não se imponha, pois, a ninguém.
*
Embora você dependa de todos, nada aguarde dos outros. Receba e agradeça o que lhe chegue e como chegue, ajude e passe...
*
Aprenda que a luta é a lição de cada hora no abençoado livro da existência planetária, e siga adiante com Ele, que "jamais se escusava".

* * *
Divaldo Franco - Marco Prisco.

Construindo a confiança

Em quantas pessoas você realmente confia? A pergunta soa um tanto ingênua, mas nos faz refletir a respeito das nossas relações nos dias atuais. Conhecemos um maior número de pessoas com as quais convivemos, os relacionamentos se multiplicam, os contatos sociais são facilitados. Comunicamo-nos mais facilmente, através de e.mails, sites de relacionamento, telefones móveis.

E, paradoxalmente, nos sentimos cada vez mais sozinhos, mais vazios. Cheios de nomes na agenda telefônica, sem que possamos neles confiar, sem que possamos com eles contar, sem que tenhamos com quem dividir angústias, receios, medos e solidão.

Como escreveu o comediante americano George Carlin, construímos mais computadores para armazenar mais informação, produzir mais cópias do que nunca, mas nos comunicamos cada vez menos. E, como consequência, temos muitos conhecidos, mas conhecemos muito pouco as pessoas. Daí, nossa dificuldade em encontrar em quem confiar, com quem dividir os pesos que, muitas vezes, trazemos na alma. E gostaríamos de ter com quem compartilhá-los.

Mas, de onde nasce a confiança? Como se constrói a confiança de uns nos outros? Se analisarmos que confiar pode ser interpretado também como fiar com, entendemos que a confiança se constrói no exercício contínuo da convivência, do estar junto, do fiar as coisas do dia-a-dia com companheirismo. Quando nos permitimos a convivência com o próximo, o compartilhar das experiências, o dividir das responsabilidades, que aos poucos irão crescendo, estamos fiando as coisas da vida com os companheiros de jornada.

É natural que a confiança não nasça rápida e indistintamente. É necessário que seja cultivada, que seja vivenciada. Aí está o fiar com alguém. Aquele que não se permite dividir pequenas tarefas, pequenas responsabilidades com o outro, sempre a desconfiar de alguém, descarta de antemão a possibilidade de construir a confiança mútua. É verdade que seria insensato confiar sentimentos, informações ou decisões indistintamente, com qualquer pessoa do nosso relacionamento.

Mas o oposto também é um erro. Sempre haverá aqueles com os quais poderemos começar o exercício da convivência, do compartilhar o pouco, para logo mais a confiança começar a se estabelecer.

Permitamo-nos sair da solidão e do isolamento, mesmo que cercados de uma multidão, para buscar esse ou aquele companheiro, a fim de iniciar o exercício de fiar juntos o sentimento da confiança. Alguns logo nos mostrarão que não estão dispostos a esse exercício. Outros caminharão apenas um trecho conosco. Porém, sempre haverá aqueles que aceitarão o convite da construção da amizade e da confiança.

Para chegar até esses, inevitavelmente passaremos por uns e outros. Mas serão sempre o convívio, o conhecimento mútuo e o compartilhar, as ferramentas que melhor nos servirão para a construção da confiança e da amizade. Pensemos nisso e nos empenhemos nessa elaboração lenta e preciosa da confiança.

Redação do Momento Espírita.

23 de jul de 2011

Vídeo: Fábio Júnior - Vida

Oração da Cruz

Senhor; não te peço que me troques a cruz
Ajuda-me a carregá-la
Não te peço que encurtes o caminho
Vem comigo conversando
Não te peço que mudes a água em vinho
Dá-me de beber o que for de seu agrado
Se me deixas chorar
É porque me amas assim
Unicamente rindo é difícil alguém ser bom
Se consentes que me firam
É para que eu saiba amar
Porque só existe amor
Onde houver perdão
E só os feridos tem o que perdoar
Não te peço que me tires a cruz
Dá-me forças para levá-la.

Meu amigo... meu irmão!

Essa msg abaixo me lembra uma pessoa que me inspiraria tais palavras.
Para ela a minha homenagem. Seu nome: Jennifer Rosa (acima)
Dependendo do momento, um pouco de tudo: filha, amiga, irmã, mãe, etc...
******************

"VOCÊ É UM PORTO ONDE PASSO AS TEMPESTADES... UM OÁSIS VERDE SERENO EM MEIO AOS MEUS DESERTOS DE SAUDADE E SOLIDÃO... VOCÊ É
UM VALE REPLETO DE FLORES COLORIDAS E DE FORMAS MAGNÍFICAS...
ONDE BUSCO A COR, A FORMA E O AROMA DA VIDA...

VOCÊ É, ÀS VEZES, UM SILÊNCIO IMPENETRÁVEL QUE DEVO APRENDER A RESPEITAR PORQUE CONHEÇO O SEU RESPEITO POR MIM E PELO MEU SILÊNCIO CASUAL... VOCÊ É UM CUME SEGURO DE ONDE POSSO OLHAR
SEM MEDO DE CAIR...

VOCÊ É O POÇO ALMOFADADO ONDE CAIO SEM ME FERIR... VOCÊ ME DÁ SEGURANÇA E É MUITO RECONFORTANTE SENTIR-SE A SALVO COM ALGUÉM NÃO TER QUE POLICIAR OS PENSAMENTOS NEM AS PALAVRAS, MAS LIBERTÁ-LAS COMO SURGEM, O JOIO E O TRIGO JUNTOS, SABENDO QUE A SUA MÃO FIEL OS COLHERÁ TRATARÁ DE SEPARÁ-LOS, GUARDARÁ O QUE FOR VALIOSO E, COM UM SOPRO DE COMPREENSÃO SOLTARÁ O RESTO AO VENTO SEM NENHUM QUESTIONAMENTO...

DE VOCÊ ESCREVO AGORA, MEU AMIGO E MEU IRMÃO; DE VOCÊ QUE SEMPRE APARECE QUANDO CHORO MINHAS DORES OU DESFRUTO DO RISO DA MINHA ALEGRIA ENTRE NÓS SEMPRE HÁ ESPAÇO PARA AS SUTIS DIFERENÇAS E SEMELHANÇAS QUE FAZEM DO NOSSO RELACIONAMENTO UM ACONTECIMENTO ÚNICO TODA VEZ QUE ESTAMOS EM CONTATO...

A NOSSA AMIZADE É A RENÚNCIA DE DOIS EGOÍSMOS E A SOMA DE DUAS GENEROSIDADES... QUERO SER SUA AMIGA E SUA IRMÃ PARA SEMPRE, SEM DESCANSO E SEM DESÂNIMO. ATÉ QUE AS COLINAS SE APLAINEM E SEQUEM OS RIOS; ATÉ QUE TROVEJE E CAIA NEVE NO VERÃO; ATÉ QUE SE JUNTEM O CÉU E A TERRA, VOCÊ PODERÁ CONTAR SEMPRE COMIGO... PORQUE EU JAMAIS ME AFASTAREI DE VOCÊ, MEU AMIGO E MEU IRMÃO...

AMO VOCÊ E A TODOS QUE VOCÊ AMA, PORQUE ESTA É A FORMA DE LHE AFIRMAR QUE CONFIO EM VOCÊ E QUE SE VOCÊ AMA É PORQUE VALE A
PENA AMAR!

MAIS QUE UMA MÃO ESTENDIDA, MAIS QUE UM SORRISO, MAIS QUE A ALEGRIA DO ENCONTRO A NOSSA AMIZADE É A FORÇA ESPIRITUAL QUE PASSAMOS UM PARA O OUTRO, É O AMOR INCONDICIONAL QUE NOS UNE E QUE FAZ DE NÓS MUITO MAIS DO QUE DOIS SERES HUMANOS... NOS FAZ AMIGOS E IRMÃOS QUE SE AMAM..."

Autor: Mariluci Carvalho de Souza
imagem: (Direitos reservados)

Amigo aprendiz

Quero ser teu amigo
Nem demais e nem de menos
Nem tão longe e nem tão perto
Na medida mais precisa que eu puder.

Mas amar-te como próximo, sem medida
E ficar sempre em tua vida
Da maneira mais discreta que eu souber.

Sem tirar-te a liberdade
Sem jamais te sufocar
Sem forçar a tua vontade
Sem falar quando for a hora de calar
E sem calar quando for a hora de falar.

Nem ausente nem presente por demais...
Simplesmente, calmamente, ser-te paz.

É bonito ser amigo, mas confesso
É tão difícil aprender
Por isso, eu te peço paciência.

Vou encher este teu rosto
De alegrias, lembranças...
Dê-me tempo de acertar nossas distâncias!

Fernando Pessoa

Seguindo o amor

Quando o amor acenar, siga-o ainda que por caminhos ásperos e íngremes
E quando suas asas o envolverem, renda-se a ele
Ainda que a lâmina escondida sob suas asas possa feri-lo.

E quando ele falar a você, acredite no que ele diz
Ainda que sua voz possa destroçar seus sonhos
Assim como o vento norte devasta o jardim.

Pois, se o amor coroa, ele também o crucifica
Se o ajuda a crescer, também o diminui.

Se o faz subir às alturas e acaricia seus ramos mais tenros que tremem ao Sol
Também o faz descer às raízes e abala sua ligação com a terra.

Como os feixes de trigo, ele o mantém íntegro
Debulha-o até deixá-lo nu
Transforma-o, livrando-o de sua palha
Tritura-o, até torná-lo branco.

Amassa-o, até deixá-lo macio e, então, submeta-o ao fogo
Para que se transforme em pão, no banquete sagrado de Deus.

Todas essas coisas pode o amor fazer para que você conheça os segredos de seu coração e, com esse conhecimento, se torne um fragmento do coração da VIDA.

Khalil Gibran

Quando os amantes dormem

Quando as pessoas se amam e querem se amar, selam um pacto: dormir juntas. E quando se fala "dormir juntos" o sentido é duplo: Significa primeiro amar acordado em plena vigília da carne, mas, depois, na lassidão do pós-gozo, deixar os corpos lado a lado, à deriva, dormindo, talvez. Na verdade, os amantes, quando são amantes mesmo, mesmo enquanto dormem se amam.

Agora ouço esses versos de Aragón cantados por Ferrat: "Durante o tempo que você quiser nós dormiremos juntos". E penso. É um projeto de vida, dormir juntos, continuamente. A mesma ambigüidade: dormir/amar juntos, dormir/acordar juntos, ou então, dormir/morrer de amor juntos.

Deve ser por causa disto que os franceses chamam o orgasmo de "pequena morte". Deve ser por isto que os amantes julgam poder continuar amando mesmo através da morte, como Inês de Castro e D. Pedro, que foram sepultados um diante do outro, para que no dia do reencontro um seja o primeiro que o outro veja.

Amor: um projeto de vida, um projeto de morte.

Se numa noite dessas o vento da insônia soprar em suas frestas, repare no corpo dormindo despojado ao seu lado. Ver o outro dormir é negócio de muita responsabilidade. Mais que ver as águas de um rio represado gerando uma usina de sonhos, é ver uma semente na noite pedindo um guardião. Pode ser banal, mas é isto: amar é ser o guardião do sonho alheio.

Os surrealistas diziam: o poeta enquanto dorme trabalha. Pois os amantes enquanto dormem, se amam. Se amam inconscientemente, quando seus desejos enlaçam raízes e seivas. O pé de um toca o pé do outro, a mão espalmada corre sobre o lençol e toca o corpo alheio e, dormindo, se abraçam animados. Quando isso ocorre, pode ter vários significados. Talvez um tenha lançado um apelo silencioso ao outro: "Ajude-me a atravessar esse sonho", ou: "Venha, sonhe esse sonho comigo, é bonito demais".

E o outro, às vezes, sem se mexer, parte em seu socorro. É que certos sonhos, sobretudo os de quem ama, não cabem num só corpo. Transbordam os poros da noite e pedem cumplicidade. E se há um pesadelo, aí um se agarra ao tronco do outro na crispação do instante, e o corpo do parceiro é bóia na escuridão.

Por isto, no ritual do casamento, quando o sacerdote indaga se os que se amam sabem que terão que se socorrer na saúde e na doença, na opulência e na miséria etc...

Deveria se inserir um tópico a mais e advertir: Amar é ser cúmplice do sonho alheio. Passar a metade da vida dormindo ao lado do outro.

Há pessoas que vivem 25 anos - bodas de prata, 50 anos - bodas de ouro, 75 anos - bodas de diamante; Ao lado do outro, e não sabem com que o outro sonha. E há quem passe uma tarde, uma noite ou uma temporada ao lado de um corpo e sabe seus sonhos para sempre.

Engana-se quem escuta o silêncio no quarto dos que amam. Estranhos rumores percorrem o sonho alheio. Não é o rugir do tigre pelas brenhas. Não é o bater das ondas na enseada. Nem os pássaros perfurando a madrugada. São os sonhos dos amantes em plena elaboração. E se numa noite dessas o vento da insônia de novo soprar em suas frestas, olhe pela janela os muitos apartamentos onde pulsam dormindo os amorosos.

Quando se compra um apartamento novo, nas alturas, alguns compram lunetas e ficam vasculhando a vida alheia. Mas para ouvir o ruído dos sonhos basta abrir os ouvidos na escuridão. Os sonhos pulsam na madrugada.

Era uma vez um chinês que toda vez que sonhava com sua amada acordava perfumado. Deve ser por isso que, ainda hoje, o quarto dos amantes amanhece com um perfume de almíscar, lavanda e alfazema.

E é comum achar troféus dos sonhos ao pé da cama de quem ama. Quando se abre a pálpebra do dia, aí pode-se ver um unicórnio de ouro e uma coroas de rubis. À noite os sonhos dos amantes se cristalizam e de dia se liqüefazem em beijos e lágrimas.

Quem ama diz boa-noite como quem abre/fecha a porta de um jardim. Não apenas como quem viaja, mas como quem vai para a colheita.

Quando se ama, acontece de um habitar o sonho do outro, e fecundá-lo.

Affonso Romano de Sant'Anna

Por trás das rugas

Amor maduro, amor mais puro?
O tempo, por certo o faz mais seguro
Depois da paixão, do fogo juvenil
Somam-se outros carinhos mil
Não são palavras vazias
Já se foram tantos dias
De corpos em chamas e paixões
Aquecem-se depois os corações
Na maturidade aconchegante
Há tanto ou mais de radiante
Na beleza de um toque quente
Que o é não pela idade ardente
Mas pelo calor que emana
De um jogo que começou na cama
Que na cama continua e além dela
Como sol que invade pela janela
Aquece iluminando toda a casa
E tal um anjo que sob uma asa
Guarda a vida jovem da alma
Voa quarto por quarto em calma
Aspergindo gotas de carinho
Continuando a mostrar o caminho
Do amor que não se esquece
Nem se vai nem arrefece
Foram-se as horas de flamejante sexo
O amor recria côncavos e convexos
Verdadeiro, ele é lastros em toda idade
Sem nem mesmo sentir saudade
Tempo ido... suor diminuído
Tempo chegado... amor reconstruído
Quando o tempo amarfanha
O amor maduro é o que se ganha.

(Lizete Abrahão)

22 de jul de 2011

Ave Maria das Mulheres

Mãe, aqui, agora e a sós quero lhe pedir por todas nós
Por aquelas que foram escolhidas para dar a vida
Mulheres de todas as espécies
De todos os credos, raças e nacionalidades
Todas aquelas nas quais a vida está envolvida
Em sorrisos, lágrimas, tristezas e felicidades
Aquelas que sofrem por filhos que geraram e perderam
As que trabalham o dia inteiro em casa ou em qualquer emprego

Quero pedir pelas mães que penam por seus filhos doentes
Quero pedir pelas meninas carentes
E pelas que ainda estão dentro de um ventre
Pelas adolescentes inexperientes
Pelas velhinhas esquecidas em asilos
Sem abrigo, sem família, carinho e amigos
Peço também pelas mulheres enfermas que em algum hospital
aguardam pela sua hora fatal

Quero pedir pelas mulheres ricas aquelas que apesar da fortuna
Vivem aflitas e na amargura
Peço por almas femininas mesquinhas, pequenas e sozinhas
Por mulheres guerreiras a vida inteira
Pelas que não têm como dar a seus filhos o pão e a educação

Peço pelas mulheres deficientes pelas inconseqüentes
Rogo pelas condenadas, aquelas que vivem enclausuradas
Por todas que foram obrigadas a crescer antes do tempo
Que foram jogadas na lavoura ou em alguma cama devastadora

Rogo pelas que mendigando nas ruas sobrevivem apesar dessa tortura
Pelas revoltadas, as excluídas e as sexualmente reprimidas

Peço pela mulher dominadora e pela traidora
Peço por aquela que sucumbiu sonhos dentro de si
Por todas que eu já conheci
Peço por mulheres solitárias e pelas ordinárias
As mulheres de vida difícil e que fazem disso um ofício
E pelas que se tornaram voluntárias por serem solidárias

Rogo por aquelas que vivem acompanhadas
Embora tristes e amarguradas
E por todas que foram abandonadas
As que tiveram que continuar sozinhas
Sem um parceiro, um amigo, um ombro querido

Peço pelas amigas... Pelas companheiras... Pelas inimigas
Pelas irmãs e pelas freiras
Suplico por aquelas que perderam a fé e se distanciaram da esperança
Quero pedir por todas que clamam por vingança
E com isso se perdem em sua inútil andança

Rogo pelas que correm atrás de justiça
Que a boa vontade dos homens as assista
Peço pelas que lutam por causas perdidas
Pelas escritoras e as doutoras
Pelas artistas e professoras
Pelas governantes e pelas menos importantes
Suplico pelas fêmeas que são obrigadas a esconder seus rostos
E amputadas do prazer vivem no desgosto

Quero pedir também pelas ignorantes
E por todas que no momento estão gestantes
Por aquela mulher triste dentro do coração
Que vive com a alma mergulhada na solidão
Por aquela que busca um amor verdadeiro
Para se entregar de corpo inteiro
E peço pela que perdeu a emoção
Aquela que não tem mais paz dentro do coração
E rogo, imploro, por aquela que ama
E que não correspondida, vive uma vida sofrida
Aquela que perdeu o seu amor
E por isso, sua alma se fechou
Por todas que a droga destruiu
Por tantas que o vício denegriu
Suplico por aquela que foi traída
Por várias que são humilhadas
E pelas que foram contaminadas

Mãe, quero pedir por todas nós
Que somos o sorriso e a voz
Que temos o sentimento mais profundo
Porque fomos escolhidas tanto quanto você
Para gerar e, apesar de qualquer coisa
Amar... Independente de quem forem nossos filhos
Feios ou bonitos... Amáveis ou rebeldes
Perfeitos ou deficientes... Tristes ou contentes

Mãe, ajuda-nos a continuar nessa batalha
Nessa guerra diária... Nessa luta sem fim
Ajuda-nos a ser feliz como a gente sempre quis
Dai-nos coragem para continuar
Dai-nos saúde para ao menos tentar
Resignação para tudo aceitar
Dai-nos força para suportar nossas amarguras
E apesar de tudo continuarmos a ser sinônimo de ternura

Perdoa-nos por nossos erros
E por nossos insistentes apelos
Perdoa-nos também por nossas revoltas
Nossas lágrimas e nossas derrotas
E não nos deixe nunca mãe, perdermos a fé
E sempre que puder peça por nós ao Pai
E lembre-lhe que quando ele criou EVA
Não deixou com ela nenhum mapa de orientação
Nenhum manual com indicação
Nenhuma seta indicando o caminho correto
Nenhuma instrução de como viver
De como, a despeito de tudo vencer
E mesmo assim... conseguimos aprender.
Amém!

DEDICADO À VOCÊ MULHER, PORQUE SER MULHER É SEMPRE SER VENCEDORA!
(Silvana Duboc)

Amor de mãe

Um anjo desceu à Terra para escolher a coisa mais linda, mais preciosa e mais pura para apresentar a Deus.

Primeiro desceu sobre um jardim e escolheu as mais belas e perfumadas flores. Depois voou para outro lugar, onde viu uma criança sorrindo. E colheu aquele inocente sorriso infantil. Continuou viajando por outras partes do mundo, sempre procurando o que fosse mais belo e precioso.

Já estava para voltar quando olhou através de uma janela e viu a mãe ninando seu filho. E resolveu levar para o céu também aquele gesto de mãe. Voou, voou e assim voltou com as lindas coisas que colhera na Terra.

Mas que surpresa!

Verificou que as lindas e perfumadas flores haviam murchado...

E o sorriso da criança perdera a bela inocência...

Então, com todo o cuidado, pegou O AMOR DE MÃE...
Estava intacto! Permanecera belo, terno, suave.

O Amor de Mãe é perene, inabalável; tudo suporta, tudo supera.

Mãe é a mão que conduz, o anjo que vela... Mãe é AMOR.

Enquanto houver mães na Terra, Deus estará abençoando o homem com a oportunidade de alcançar a meta da perfeição que lhe cabe.

Videokê - Jeito felino - Raça Negra

Vídeo: Eterno Aprendiz - Gonzaguinha

21 de jul de 2011

Idealize teu sonho

Não importa a tua idade, idealiza um grande sonho, tão grandioso como o céu!

Que o teu sonho transcenda o teu corpo, que suba e cresça e se expanda além; como resplendor, preencha o Universo e se transforme em asas misteriosas que te levem a um mundo bem mais alto.

Nas asas do sonho, os jovens avançam e os velhos se renovam.

Não retenhas as asas do teu sonho. Imagina a tua grandeza. Não receies subir demasiado alto, não hesites, não retrocedas, não diminuas a ti próprio.

Ao abrires as asas do sonho, ultrapassas os limites do corpo. Ainda que o teu corpo seja tão pequeno quanto o pó da terra, através do sonho tens o poder de te unires à imensa energia criadora do Universo.

Não permitas que a tristeza te domine; mas, se te sentes dominado, ergue-te de novo.

Ainda que o teu sonho seja desfeito, tens o direito de sonhar de novo.

Imagina que em ti ainda resta a grandiosa energia. Para aquele que sonha, este mundo é sempre um novo mundo.

Não te permitas cair, mas, se caíres, levanta-te de novo. Ainda que percas a confiança, ainda que fracasses naquilo que tentas, não te permitas cair totalmente.

O sonho é o viveiro da esperança. No imenso viveiro do sonho nascem tenros rebentos de esperanças, e os brotos crescem alimentados pelo sonho.

O sonho é o viveiro da esperança. Desenha na tua mente o mais brilhante e mais grandioso sonho. Não te imagines um ser triste e sombrio.

Sabes que a mente é criador onipotente, e tu serás exatamente como te fizeres em tua mente. Se te imaginares um ser brilhante e poderoso, assim tu serás, pois a mente é o criador onipotente!

(Masaharu Taniguchi)

A paz no mundo



A paz no mundo começa dentro de mim. Quando me aceito, de corpo e alma, e reconheço meus defeitos, com paciência e calma, e em vez de me fragmentar em mil pedaços, eu me coloco inteiro no que penso, sinto e faço...

Passageiro no tempo e no espaço, sem nada para levar que possa me prender, sem medo de errar e com muita vontade de aprender.

A paz no mundo começa entre nós, quando eu aceito o teu modo de ser; sem me opor ou resistir e reconheço tuas virtudes sem te invejar ou me retrair.

E faço das nossas diferenças a base de nossa convivência.

E, em lugar de te dividir em mil personagens, consigo ver-te inteiro, nu, real, sem nenhuma maquilagem, companheiros da mesma viagem no processo de aprendizagem do que é ser gente.

A paz no mundo começa quando as palavras se calam e os gestos se multiplicam...

Quando se reprime a vergonha e se expressa a ternura...

Quando se repudia a doença e se enaltece a cura...

Quando se combate a normalidade que virou loucura...

E se estimula o desejo de melhorar a humanidade...

De construir uma outra sociedade, com base numa outra relação...

Uma relação em que amar é a regra, e não mais a exceção.

Caminho do meio

Ser justo, mas com amor. Amar, mas sem aprisionar.
Amparar, mas sem fazer pelo outro o que ele deve fazer por si mesmo.
Ajudar, mas sem tirar do outro o direito de escolher seu próprio caminho.

Perdoar, mas sem ser conivente com o mal.
Esquecer o mal, mas sem ser indiferente a ele.
Ser pacífico, mas não passivo diante dos acontecimentos.
Cultivar a não violência, mas sem violentar a si mesmo.

Lutar com coragem...
Mas aceitar a derrota como parte das experiências da vida.

Ter coragem de enfrentar os próprios limites...
Mas também de reconhecer as próprias fraquezas.

Servir ao dever...
Mas sem ser oprimido por ele e sem escravizar-se a coisa alguma.

Viver com prazer...
Mas não viver em função dele.

Ser simples e humilde...
O que não significa andar mal vestido ou descuidar-se de si mesmo.

Conservar puro o coração...
O que não significa esconder de si os próprios sentimentos.

Crer em Deus...
Mas sem atribuir a Ele aquilo que nos compete.

Cultivar a fé...
Mas sem abdicar da razão.

Caminhar com equilíbrio, eis o nosso maior desafio.
Sem equilíbrio, tombamos sempre...
Para um lado... ou para outro.

Amor... Sabedoria... Bondade... Justiça... Sentimento... Razão... Harmonia

Alexandre Paredes

Segurando um ao outro

A dedicada enfermeira, sobrecarregada com tantos pacientes a atender, viu um jovem entrar no quarto e, inclinando-se sobre o paciente idoso em estado grave, disse-lhe em voz alta:

- Seu filho está aqui.

Com grande esforço, o velho moribundo abriu os olhos e, a seguir, fechou-os outra vez. O jovem apertou a mão envelhecida do enfermo e sentou-se ao lado da cama. Por toda a noite, ficou sentado ali, segurando a mão e sussurrando palavras de conforto ao velho homem.

Ao amanhecer, o manto escuro da morte caiu sobre o corpo cansado do enfermo. Ele partiu com uma expressão de paz no rosto sulcado pelo tempo. Em instantes, a equipe de funcionários do hospital encheu o quarto para desligar as máquinas e remover as agulhas.

A enfermeira aproximou-se do jovem e começou a lhe dizer palavras de conforto, mas ele a interrompeu com uma pergunta: - quem era esse homem?

Assustada, a enfermeira respondeu: eu achei que fosse seu pai!

- Não. Não era meu pai, falou o jovem. Eu nunca o havia visto antes.

- Então, porque você não falou nada quando o anunciei para ele?

- Eu percebi que ele precisava do filho e o filho não estava aqui. E como ele estava por demais doente para reconhecer que eu não era seu filho, resolvi segurar a sua mão para que se sentisse amparado. Senti que ele precisava de mim.

* * *
Nesses dias em que as pessoas caminham apressadas, sempre com muitos problemas esperando solução, não têm tempo sequer para ouvir o desabafo de um coração aflito, um jovem teve olhos de ver e ouvidos de ouvir o apelo mudo de um pai no leito de dor.

É tão triste viver na solidão...
É tão triste não ter com quem contar num leito de morte...
Se você tem um familiar enfermo, aproxime-se dele e segure firme a sua mão.
Ofereça-se para lhe fazer companhia, ainda que por alguns minutos.

Fique em silêncio ao seu lado para ouvir o que os ouvidos do corpo não conseguem captar. Seja uma presença amiga, sincera, que proporcione segurança. E se você não tem um familiar enfermo, agradeça a Deus por isso e faça uma visita a alguém que precisa de apoio. Há tantos enfermos solitários precisando de um gesto qualquer de afeto para sentir que viver ainda vale a pena. Pense nisso e procure ser a companhia de alguém que precisa de você neste exato momento.

* * *
Madre Teresa de Calcutá costumava dizer que ninguém tem que morrer sozinho.

Do mesmo modo, ninguém deve se afligir sozinho ou chorar sozinho; rir sozinho ou celebrar sozinho.

Nós fomos feitos para viajar de mãos dadas através da jornada da vida.

Há alguém pronto para segurar a sua mão hoje.

E há alguém esperando que você segure a dele.

20 de jul de 2011

Caminhada

Sei que na minha caminhada tem um destino e uma direção, por isso devo medir meus passos, prestar atenção no que faço e no que fazem os que por mim também passam ou pelos quais passo eu.

Que eu não me iluda com o ânimo e o vigor dos primeiros trechos, porque chegará o dia em que os pés não terão tanta força e se ferirão no caminho e se cansarão mais cedo.

Todavia, quando o cansaço houver, que eu não me desespere e acredite que ainda terei forças para continuar, principalmente quando houver quem me auxilie.

É oportuno que, em meus sorrisos, eu me lembre de que existem os que choram, que, assim, meu riso não ofenda a mágoa dos que sofrem: por outro lado, quando chegar a minha vez de chorar, que eu não me deixe dominar pela desesperança, mas que eu entenda o sentido do sofrimento, que me nivela, que me iguala, que torna todos os homens iguais.

Que eu não siga os que desviam, mas que ninguém se desvie seguindo os meus passos.

Que a pressa em chegar não me afaste da alegria de ver as flores simples que estão a beira da estrada, que eu não perturbe a caminhada de ninguém, que eu entenda que seguir faz bem, mas que, às vezes, é preciso ter-se a bravura de voltar atrás e recomeçar e tomar outra direção.

Que eu não caminhe sem rumo, que eu não me perca nas encruzilhadas, mas que eu não tema os que assaltam-me, os que embuçam, mas que eu vá onde devo ir e, se eu cair no meio do caminho, que fique a lembrança de minha queda para impedir que outros caiam no mesmo abismo.

Que eu chegue, sim, mas, ainda mais importante, que eu faça chegar quem me perguntar, quem me pedir conselho, e acima de tudo, me seguir, confiando em mim!

(Ponsancini)

Que possamos dar as mãos

Quando dois homens se encontrarem, sejam de povos, sejam de credos, sejam de classes diferentes... que eles possam sempre dar as mãos como amigos!

Se as nossas mãos se encontrarem, poderemos fazer com elas, uma corrente para transformar o mundo.

E se cada um de nós, for uma semente que o vento espalha esse sonho poderá se tornar realidade um dia!

A Rede Mundial cria a possibilidade de unir pessoas do mundo inteiro!

Ternura... sorrisos... lágrimas... esperanças... invadem os "chips" e o "coração" do micro bate mais forte provando que o homem conseguiu emprestar emoções à máquina.

É fascinante a possibilidade que temos de fazer nossas palavras e nossas emoções percorrerem o espaço virtual, levando a cada cantinho, a nossa realidade e os nossos sonhos!

É o momento de pensarmos em nossa responsabilidade, fazendo com que siga em cada palavra digitada, a nossa intenção maior de um mundo com mais amor!

Assim se faz a Paz!

Canteiros

Ao nascer, recebemos um jardim para cuidar, já com muitas sementes, que nos cabe apenas regar, cuidando com carinho de cada canteiro.

No canteiro do Amor, nascem os mais belos sentimentos, como a solidariedade, o afeto, a ternura e uma linda flor vermelha, chamada de paixão.

No canteiro da esperança, nascem os sonhos, a perseverança, os desejos da alma, que bem regados, rendem muitos frutos, chamados de "realizações".

No canteiro da alegria, flores lindas que sorriem para a vida, são conhecidas como "motivação", "boa vontade" e "persistência", sendo fundamentais para a continuidade do nosso jardim.

Mais ao fundo, um canteiro impressiona pela altura das flores, é o canteiro da fé, regado com orações e atitudes regeneradoras, sobem até o céu, e muitas das flores tocam os pés dos anjos, que tudo ouvem nas nossas plantações.

Muitos cuidam do canteiro com trabalho incessante, vigiando os pensamentos, regando constantemente o amor, a alegria e a esperança, sempre com desejo sincero de mudar para melhor.

Assim, as flores crescem sempre fortes, lindas e mesmo diante das tempestades, próprias da vida, resistem ao tempo e as dificuldades, tornando-se cada vez mais belas.

Outros, um pouco menos cuidadosos, se perdem em lamentações, gastando o precioso tempo em divagações. Pensam nas plantas que poderiam ter e não tem, naquelas que já tiveram e perderam, nas belas plantas do vizinho, e vão se descuidando do jardim, deixando as ervas daninhas tomarem conta dos canteiros.

Assim, plantas destruidoras como o ódio, a inveja, a calúnia, a preguiça, o desrespeito entre outras pragas, vão tomando o lugar das flores da vida, das sementes que recebemos ao nascer, e vamos nos tornando pessoas amargas, insensíveis, amarguradas, tristes e doentes.

O jardim da vida são os seus pensamentos, o regador seus sentimentos e a semente, a fé. O jardineiro é você, a terra, a própria vida, a água é Deus, fonte de toda a vida, que espera que seu jardim não seja apenas florido, mas que dele nasçam frutos perenes, e que um dia, você vire semente eterna do bem.

Sendo assim, onde você estiver vai atrair pássaros e vida, vai levar alegria e paz, conforto e esperança, pois em você, a semente de Deus germinou, deu frutos e criou raízes profundas.

Seja você, o próprio jardim de Deus, cuide dos seus canteiros, regue todos os dias com amor, esperança e fé.

Eu acredito em você.

Paulo Roberto Gaefke

Dores da alma

As dores da alma não deixam recados, imprimem uma sentença que perdura pelos anos.

Um amor que acabou mal resolvido...
Um emprego que se perdeu inexplicavelmente...
Um casamento que mal começou e já terminou...
Uma amizade que acabou com traição...

Tudo vai deixando sinais, marcas profundas...

Precisamos trabalhar as dores da alma, para que sirvam apenas de aprendizado, extraindo delas a capacidade de nos fortalecermos.

Aprendendo que o melhor de nós, ainda está em nós mesmos. Que amando-nos incondicionalmente descobrimos a auto-estima.

Que se deixarmos seguir o caminho da dor e da lamentação, iremos buraco abaixo no caminho da depressão.

As dores da alma não saem no jornal e não viram capa de revista.

E só quem sente, pode avaliar o estrago que elas causam.

O que vale é a PREVENÇÃO.

Então: Ame-se para amar e ser verdadeiramente amado.

Sorria para que o mundo seja mais gentil!

Dedique-se para que as falhas sejam pequenas.

Não se compare, você é único!

Repare nas pequenas coisas, mas cuidado com as grandes que às vezes estão bem diante do nosso nariz e não a enxergamos.

Sonhe, pois o sonho é o combustível da realização.

Tenha amigos e seja o melhor amigo de todos.

Sinta o seu cheiro e acredite em seu poder de sedução.

Estimule-se, contagie o mundo com o seu melhor...

Creia em DEUS! Pois sem ELE não há razão em nada!

E tenha sempre a absoluta certeza de que, depois da forte tempestade o arco-íris vai surgir, o sol vai brilhar ainda mais forte.

Por isso, amigo(a) lindo(a)... Curta bem o dia de hoje!
O amanhã, com certeza... pertence a DEUS!!!

Meu carinho especial para VOCÊ!!!

Amigos também dizem: EU TE AMO!

Paulo Roberto Gaefke

"FELIZ DIA DO AMIGO"

Princípio do vazio

Tens o hábito de juntar objetos inúteis neste momento, crendo que um dia (não sabes quando) poderás precisar deles.

Tens o hábito de juntar dinheiro só para não o gastar, pois pensas que no futuro poderá fazer falta.

Tens o hábito de guardar roupa, brinquedos, sapatos, móveis, utensílios domésticos e outras coisas que já não usas há bastante tempo.

E dentro de ti?...

Tens o hábito de guardar o que sentes, broncas, ressentimentos, tristezas, medos, pessoas, etc.

Não faças isso! É anti-prosperidade.

É preciso criar um espaço, um vazio, para que as coisas novas cheguem à tua vida.

É preciso eliminar o que é inútil em ti e na tua vida, para que a prosperidade venha. É a força desse vazio que absorverá e atrairá tudo o que tu desejas.

Enquanto estiveres material ou emocionalmente carregado de coisas velhas e inúteis, não haverá espaço aberto para novas oportunidades.

Os bens precisam de circular...

Limpa as gavetas, os armários, o teu quarto, a garagem.

Dá o que tu já não usas.

A atitude de guardar um montão de coisas inúteis amarra a tua vida. Não são os objetos guardados que param a tua vida, mas o significado da atitude de guardar.

Quando se guarda, considera-se a possibilidade de falta, de carência.
É acreditar que amanhã poderá faltar e tu não terás meios de prover às tuas necessidades.

Com essa postura, tu estás a enviar duas mensagens, para o teu cérebro e para a tua vida:

1º - Tu não confias no amanhã.

2º - Tu crês que o novo e o melhor NÃO são para ti, já que te alegras com guardar coisas velhas e inúteis.

Joseph Newton

Depois de ler isto, indique.

Cartão de visita

Um senhor de 70 anos viajava de trem, tendo ao seu lado um jovem universitário, que lia o seu livro de ciências. O senhor, por sua vez, lia um livro de capa preta. Foi quando o jovem percebeu que se tratava da Bíblia e estava aberta no livro de Marcos.
Sem muita cerimônia o jovem interrompeu a leitura do velho e perguntou:
- O senhor ainda acredita neste livro cheio de fábulas e crendices?
- Sim, mas não é um livro de crendices. É a Palavra de Deus. Estou errado?
Respondeu o jovem:
- Mas é claro que está! Creio que o senhor deveria estudar a História Universal. Veria que a Revolução Francesa, ocorrida há mais de 100 anos, mostrou a miopia da religião. Somente pessoas sem cultura ainda crêem que Deus tenha criado o mundo em seis dias. O senhor deveria conhecer um pouco mais sobre o que os nossos cientistas pensam e dizem sobre tudo isso.
- É mesmo? Disse o senhor.
- E o que pensam e dizem os nossos cientistas sobre a Bíblia?
- Bem, respondeu o universitário, como vou descer na próxima estação, falta-me tempo agora, mas deixe o seu cartão que lhe enviarei o material pelo correio com a máxima urgência.
O velho então, cuidadosamente, abriu o bolso interno do paletó e deu o seu cartão ao universitário. Quando o jovem leu o que estava escrito, saiu cabisbaixo sentindo-se pior que uma ameba.
No cartão estava escrito:
"Louis Pasteur, Diretor do Instituto de Pesquisas Científicas da École Normale de Paris".

(Isso aconteceu em 1892)

O sol e o vento

O sol e o vento discutiam sobre qual dos dois era mais forte.

O vento disse:

- Provarei que sou o mais forte. Vê aquela mulher que vem lá embaixo com um lenço azul no pescoço? Aposto como posso fazer com que ela tire o lenço mais depressa do que você.

O sol aceitou a aposta e recolheu-se atrás de uma nuvem. O vento começou a soprar até quase se tornar um furacão, mas quanto mais ele soprava, mais a mulher segurava o lenço junto a si.

Finalmente, o vento acalmou-se e desistiu de soprar.

Logo após, o sol saiu de trás da nuvem e sorriu bondosamente para a mulher.

Imediatamente ela esfregou o rosto e tirou o lenço do pescoço.

O sol disse, então, ao vento:

- Lembre-se disso:

"A gentileza e a amizade são sempre mais fortes que a fúria e a força."

De caminho em caminho...

Segue fazendo o bem. Provavelmente, não te faltarão espinhos e pedras.

Pedras, no entanto, servem nas construções e espinhos lembram rosas.

Não percas a oportunidade de auxiliar.

Se alguém te lança entraves à marcha, não te vincules à idéia do mal. Reflete na Bondade de Deus e caminha. Não acuses a ninguém. Compadece-te e age amparando.

Não gastes tempo, medindo obstáculos ou lastimando ocorrências infelizes. Ouve as frases do bem que te induzem à frente e esquece tudo aquilo que se te representa por apelo à desistência ou desânimo.

Alguns dos minutos das horas de que disponhas, investidos no reconforto aos irmãos emparedados no sofrimento, ser-te-ão contados por créditos de alegria e de paz.

Sê a coragem dos que esmorecem e a consolação dos que perdem a esperança.

Onde encontres a presença da sombra, acende a luz da renovação.

Quando alguém te fale em tribulações do presente, destaca as possibilidades do futuro.

Aos irmãos que te exponham prejuízos de agora, aponta as vantagens que virão.

Estende a própria alma na dádiva que fizeres.

De tudo quanto ouças e vejas, fales ou faças, prevalece tão somente o amor que puseres nas próprias manifestações.

Se percebes a vizinhança da tempestade, não te esqueças de que acima das nuvens reina o céu azul.

E se te reconheces, dentro da noite, conserva a segurança de tua fé, recordando sempre de que o amanhã trará um novo alvorecer.

Chico Xavier - Meimei

"Sobre a Terra, tudo passa, tudo se transforma de um instante para o outro e o que verdadeiramente conta é o que guardamos dentro de nós, tudo mais há de ficar com o corpo, que se desfará em pó."

Obra de arte

Quando você nasceu, Deus não rogou uma praga para você ser tímido, distraído ou confuso. Ele lhe proporcionou todas as ferramentas para você completar Sua criação.

Perguntado sobre como era criar uma obra de arte, Michelângelo respondeu: "Dentro da pedra já existe uma obra de arte. Eu apenas tiro o excesso de mármore!"

Dentro de você já existe uma linda obra de arte, a mais bela do Universo.
Seu grande desafio é retirar o excesso de mármore e completá-la.

Nós somos os artistas da nossa criação!

A grande verdade é que você é a pessoa que escolhe ser.

Todos os dias você decide se continua do jeito que é ou muda.

A grande glória do ser humano é poder participar de sua autocriação.

O SUCESSO É SER FELIZ!!

(Roberto Shinyashiki)

A lição do rio

E o rio corre sozinho...
Vai seguindo seu caminho
Não necessita ser empurrado
Pára um pouquinho no remanso
Apressa-se nas cachoeiras
Desliza de mansinho nas baixadas
Precipita-se nas cascatas.

Mas, no meio de tudo isso
Vai seguindo seu caminho
Sabe que há um ponto de chegada
Sabe que seu destino é para a frente
O rio não sabe recuar
Seu caminho é seguir em frente
É vitorioso, abraçando outros rios
Vai chegando no mar
O mar é sua realização
É chegar ao ponto final
É ter feito a caminhada
É ter realizado totalmente seu destino.

A vida da gente deve ser levada do jeito do rio
Deixar que corra como deve correr
Sem apressar e sem represar
Sem ter medo da calmaria
E sem evitar as cachoeiras
Correr do jeito do rio
Na liberdade do leito da vida
Sabendo que há um ponto de chegada.

A vida é como o rio...
Por que apressar?
Por que correr se não há necessidade?
Por que empurrar a vida?
Por que chegar antes de se partir?

Toda natureza não tem pressa
Vai seguindo seu caminho
Assim é a árvore, assim são os animais
Tudo o que é apressado perde gosto e o sentido
A fruta forçada a amadurecer antes do tempo perde o gosto
Tudo tem seu ritmo
Tudo tem seu tempo
E então, por que apressar a vida da gente?

Desejo ser um rio...
Livre dos empurrões dos outros e dos meus próprios
Livre das poluições alheias e das minhas
Rio original, limpo e livre
Rio que escolheu seu próprio caminho
Rio que sabe que tem um ponto de chegada
Sabe que o tempo não interessa.

Não interessa ter nascido a mil ou a um quilômetro do mar
Importante é chegar ao mar
Importante é dizer "cheguei"
E porque cheguei, estou realizado.

A gente deveria dizer: não apresse o rio, ele anda sozinho.

Assim deve-se dizer a si mesmo e aos outros:
Não apresse a vida, ela anda sozinha.

Deixe-a seguir seu caminho normal. Interessa saber que há um ponto de chegada e saber que se vai chegar lá.

É bom viver do jeito do rio!

Henfil

"Se não houver frutos, valeu a beleza das flores; se não houver flores, valeu a sombra das folhas; se não houver folhas, valeu a intenção da semente."

Amor, rosas e espinhos

Amor, que é amor, dura a vida inteira. Se não durou é porque nunca foi amor.

O amor resiste à distância, ao silêncio das separações e até às traições.

Sem perdão não há amor.

Diga-me quem você mais perdoou na vida, e eu então saberei dizer quem você mais amou.

O amor é equação onde prevalece a multiplicação do perdão. Você o percebe no momento em que o outro fez tudo errado, e mesmo assim você olha nos olhos dele e diz: "Mesmo fazendo tudo errado, eu não sei viver sem você.
Eu não posso ser nem a metade do que sou se você não estiver por perto".

O amor nos possibilita enxergar lugares do nosso coração os quais sozinhos jamais poderíamos enxergar.

O poeta soube traduzir bem quando disse: "Se eu não te amasse tanto assim, talvez perdesse os sonhos dentro de mim e vivesse na escuridão. Se eu não te amasse tanto assim talvez não visse flores por onde eu vi, dentro do meu coração!"

Bonito isso. Enxergar sonhos que antes eu não saberia ver sozinho. Enxergar só porque o outro me emprestou os olhos, socorreu-me em minha cegueira. Eu possuía e não sabia. O outro me apontou, me deu a chave, me entregou a senha.

Coisas que Jesus fazia o tempo todo. Apontava jardins secretos em aparentes desertos. Na aridez do coração de Madalena, Jesus encontrou orquídeas preciosas. Fez vê-las e chamou a atenção para a necessidade de cultivá-las.

Fico pensando que evangelizar talvez seja isso: descobrir jardins em lugares que consideramos impróprios. Os jardineiros sabem disso. Amam as flores e por isso cuidam de cada detalhe, porque sabem que não há amor fora da experiência do cuidado.

A cada dia, o jardineiro perdoa as suas roseiras. Sabe identificar que a ausência de flores não significa a morte absoluta, mas o repouso do preparo. Quem não souber viver o silêncio da preparação não terá o que florir depois.

Precisamos aprender isso. Olhar para aquele que nos magoou e descobrir que as roseiras não dão flores fora do tempo nem tampouco fora do cultivo.

Se não há flores, talvez seja porque ainda não tenha chegado a hora de florir. Cada roseira tem seu estatuto, suas regras... Se não há flores, talvez seja porque até então ninguém tenha dado a atenção necessária para o cultivo daquela roseira.

A vida requer cuidado. Os amores também. Flores e espinhos são belezas que se dão juntas. Não queira uma só. Elas não sabem viver sozinhas...

Quem quiser levar a rosa para sua vida, terá de saber que com ela vão inúmeros espinhos. Mas não se preocupe. A beleza da rosa vale o incômodo dos espinhos... ou não.

Padre Fábio de Melo