CHEGUE NA PAZ

31 de dez de 2011

Vídeo: Novo tempo - Ivan Lins

Receita de Ano Feliz

Pegue 12 meses inteiros.
Limpe-os bem, tirando toda a amargura, ódio e inveja.
Deixe-os tão limpos quanto possível.

Depois corte cada mês em 2, 8, 30 ou 31
partes diferentes, mas não pegue todas de uma vez só.
Prepare-as pouco a pouco, atento aos ingredientes.

Misture bem em cada dia uma porção de fé,
uma porção de paciência, uma porção de coragem
e uma porção de trabalho.

Adicione uma parte de esperança, lealdade,
generosidade, meditação e boa vontade.

Tempere tudo com pitadas de espiritualidade,
diversão, um pouco de brincadeiras
e um copo cheio de bom humor.

Despeje tudo isso numa tigela de amor.

Cozinhe bem, com muita alegria,
e enfeite com um sorriso.

Depois sirva tranqüila, desapegada e carinhosamente.

Assim você está destinado a ter um...
Feliz Ano Novo!

(Texto de Silvia Schmidt)

Para vocês... de todo o mundo...

Recados para Orkut


30 de dez de 2011

A travessia do caminho

Impossível atravessar a vida...

Sem que um trabalho saia mal feito,
sem que uma amizade cause decepção,
sem padecer com alguma doença.

Impossível atravessar a vida...
Sem que um amor nos abandone,
sem perder um ente querido,
sem se enganar em um negócio.

Esse é o custo de viver.

O importante não é o que acontece, mas, como você reage.

Você cresce...
Quando não perde a esperança, nem diminui a vontade, nem perde a fé.
Quando aceita a realidade e tem orgulho de vivê-la.

Você cresce...
Quando aceita seu destino, e mesmo assim, tem garra para mudá-lo.
Quando aceita o que ficou para trás, construindo o que tem pela frente e planejando o que está por vir.

Cresce quando se supera, se valoriza e sabe dar frutos.

Cresce quando abre caminho, assimila experiências, e semeia raízes.

Cresce quando se impõe metas sem se importar com comentários, nem julgamentos.

Cresce quando dá exemplos, sem se importar com o desdém, quando você cumpre com seu trabalho.

Cresce quando é forte de caráter, sustentado por sua formação, sensível por temperamento, e humano por natureza!

Cresce quando enfrenta o inverno mesmo que perca as folhas.

Cresce quando colhe flores mesmo que tenham espinhos.

Cresce quando marca o caminho mesmo que se levante o pó.

Cresce quando é capaz de lidar com resíduos de ilusões.

Cresce quando é capaz de perfumar-se com flores, e elevar-se por amor!

Cresce ajudando a seus semelhantes, conhecendo a si mesmo e dando à vida mais do que recebe.

E assim se cresce…

A alma do mundo

"Quando você conseguir superar graves problemas de relacionamentos, não se detenha na lembrança dos momentos difíceis, mas na alegria de haver atravessado mais essa prova em sua vida.

Quando sair de um longo tratamento de saúde, não pense no sofrimento que foi necessário enfrentar, mas na benção de DEUS que permitiu a cura.

Leve na sua memória, para o resto da vida, as coisas boas que surgiram nas dificuldades. Elas serão uma prova de sua capacidade e lhe darão confiança diante de qualquer obstáculo.

Uns queriam um emprego melhor; outros só um emprego.
Uns queriam uma refeição mais farta; outros, só uma refeição.
Uns queriam uma vida mais amena; outros, apenas viver.
Uns queriam pais mais esclarecidos; outros, apenas ter pais.
Uns queriam ter olhos claros; outro, enxergar.
Uns queriam ter voz bonita; outros, falar.
Uns queriam silêncio; outros, ouvir.
Uns queriam sapatos novos; outros, ter pés.
Uns queriam um carro; outros, andar.
Uns queriam o supérfulo, outros, apenas o necessário.

Há dois tipos de sabedoria:
a inferior e a superior.
A sabedoria inferior é dada pelo quanto uma pessoa sabe e...
a superior é dada pelo quanto ela tem consciência de que não sabe.

Tenha sabedoria superior, seja um eterno aprendiz na escola da vida.

A sabedoria superior tolera, a inferior julga.
A superior alivia, a inferior culpa.
A superior perdoa, a inferior condena.

Tem coisas que o coração só fala para quem sabe escutar."

Chico Xavier

Perdão

O perdão é a cura das memórias, a assepsia do coração, a faxina da alma.

O perdão é uma necessidade vital e uma condição indispensável para termos uma vida em paz com Deus, com nós mesmos e com o próximo. Uma vez que somos falhos e pecadores, estamos sujeitos a erros. Por essa razão, temos motivos de queixas uns contra os outros. As pessoas nos decepcionam e nós decepcionamos as pessoas.


É impossível termos uma vida cristã saudável sem o exercício do perdão. Quem não perdoa não pode adorar a Deus nem mesmo trazer sua oferta ao altar. Quem não perdoa tem suas orações interrompidas e nem mesmo pode receber o perdão de Deus. Quem não perdoa adoece física, emocional e espiritualmente. Quem não perdoa é entregue aos verdugos da consciência. O perdão, portanto, não é uma opção para o crente, mas uma necessidade imperativa.

O perdão é uma questão de bom senso. Quando nutrimos mágoa no coração, tornamo-nos escravos do ressentimento. A amargura alastra em nós suas raízes e produz dois frutos malditos: a perturbação e a contaminação. Uma pessoa magoada vive perturbada e ainda contamina as pessoas à sua volta.

Quando guardamos algum ranço no coração e nutrimos mágoa por alguém, acabamos convivendo com essa pessoa de forma ininterrupta. Se vamos descansar, essa pessoa torna-se o nosso pesadelo. Se vamos nos assentar para tomar uma refeição, essa pessoa tira o nosso apetite. Se nosso propósito é sair de férias com a família, essa pessoa pega carona conosco e estraga as nossas férias. Por essa razão, perdoar não é apenas uma questão imperativa, mas, também, uma atitude de bom senso.

O perdão alivia a bagagem, tira o fardo das costas e terapeutiza a alma.

Mas, o que é perdão? Perdão é alforriar o ofensor. Perdoar é não cobrar nem revidar a ofensa recebida. O perdão não exige justiça; exerce misericórdia. O perdão não faz registro das mágoas. Perdoar é lembrar sem sentir dor.

Até quando devemos perdoar? A Bíblia nos diz que devemos perdoar assim como Deus em Cristo nos perdoou. Devemos perdoar de forma ilimitada e incondicional. Devemos perdoar não apenas até sete vezes, mas até setenta vezes sete.

Por que devemos perdoar? Porque fomos perdoados por Deus. Os perdoados precisam ser perdoadores. No céu só entra aqueles que foram perdoados; e se não perdoarmos, não poderemos ser perdoados. Logo, todo crente em Cristo precisa praticar o perdão.

Quem deve tomar iniciativa no ato do perdão? Jesus disse que se nos lembrarmos que nosso irmão tem alguma coisa contra nós, devemos ir a ele. Não importa se somos o ofensor ou o ofendido. Sempre devemos tomar a iniciativa, e isso com humildade e espírito de mansidão. Precisamos entender que o tempo nem o silêncio são evidências de perdão. É preciso o confronto em amor.

Há muitas pessoas doentes emocionalmente porque não liberam perdão. Há muitas pessoas fracas espiritualmente porque não têm a humildade de pedir e conceder perdão. Precisamos quebrar esses grilhões, a fim de vivermos a plenitude da liberdade cristã.

O perdão é a manifestação da graça de Deus em nós. Se nos afastarmos de Deus, nosso coração torna-se insensível. Porém, se nos aproximarmos de Deus, ele mesmo nos move e nos capacita a perdoar assim como ele em Cristo nos perdoou.

Rev. Hernandes Dias Lopes
www.hernandesdiaslopes.com.br

O Reencontro...

- Amanhã de manhã eu vou abrir o teu coração - explicava o cirurgião para uma criança.

E a criança o interrompeu:
- Você encontrará Jesus ali?

O cirurgião olhou para ela, e continuou:
- Eu vou cortar uma parede do teu coração para ver o dano completo.

- Mas quando você abrir o meu coração, encontrará Jesus lá? A criança voltou a interrompê-lo.

O cirurgião se voltou para os pais, que estavam sentados em silêncio.

- Quando eu tiver visto todo o dano causado, planejaremos o que fazer em seguida, ainda com teu coração aberto.

- Mas você encontrará Jesus em meu coração? A Bíblia diz claramente que Ele mora ali. Todos que acreditam Nele dizem que Ele vive ali... Então você vai encontrá-lo no meu coração!

O cirurgião pensou que era suficiente e lhe explicou:
- Após a operação, te direi o que encontrei em teu coração, de acordo? Eu tenho certeza que encontrarei músculo cardíaco danificado, baixa resposta de glóbulos vermelhos, e fraqueza nas paredes e vasos. E, além disso, eu vou concluir se posso te ajudar ou não.

- Mas você encontrará Jesus ali também? É sua casa, Ele vive ali, sempre está comigo.

O cirurgião não tolerou mais os comentários insistentes e se foi. Em seguida, ele se sentou em seu consultório e começou a gravar seus estudos prévios para a cirurgia: aorta danificada, veia pulmonar deteriorada, degeneração muscular cardíaca massiva. Sem possibilidades de transplante, dificilmente curável.

Terapia: analgésicos e repouso absoluto.

Prognóstico: fez uma pausa e em tom triste disse:
- Morte nos primeiros anos de vida. Então, parou o gravador. Mas tenho algo a mais a dizer: - Por quê? Perguntou em voz alta. Por que acontecer isso com ela? O Senhor a colocou aqui, nessa dor e já a havia condenado a uma morte precoce. Por quê?

De repente, Deus, nosso Criador respondeu:
O menino, minha ovelha, já não pertencerá a teu rebanho, porque ele é parte de mim e comigo estará por toda a eternidade. Aqui no céu, em meu rebanho sagrado, já não terá nenhuma dor, será consolado de uma forma inimaginável para ti ou para qualquer outra pessoa. Seus pais, um dia, se unirão com ele, conhecerão a paz e a harmonia juntos em meu reino e meu rebanho sagrado continuará crescendo.

O cirurgião começou a chorar muito, mas sentiu ainda mais raiva, não entendia as razões. E replicou:
- Tu criaste este menino, e também seu coração para quê? Para que morresse em poucos meses?

O Senhor lhe respondeu:
- Porque é tempo de regressar ao seu rebanho, sua missão na Terra já se cumpriu. Há alguns anos atrás enviei uma ovelha minha com dom de médico para que ajudasse a seus irmãos, mas com tantos conhecimentos na ciência se esqueceu de seu Criador. Então enviei outra de minhas ovelhas, o menino enfermo, não para perdê-lo, e sim, para que a ovelha perdida há tanto tempo, com dotes de médico volte para mim.

Então o cirurgião chorou e chorou inconsolavelmente.

Dias depois, após a cirurgia, o médico sentou-se ao lado da cama do menino, enquanto seus pais estavam a frente do médico.

O menino acordou e murmurando rapidamente perguntou:
- Abriu meu coração?

- Sim. Disse o cirurgião.

- O que encontrou? Perguntou o menino.

Tinha razão, reencontrei Jesus ali.

29 de dez de 2011

Recadinhos... de Deus!

Por favor, não beba quando for dirigir.
Você ainda não está pronto para vir me visitar.
Deus.

Você pode imaginar quanto custaria o ar
se ele fosse fornecido por outra pessoa que não eu?
Deus.

O que devo fazer para que você me dê atenção?
Colocar “Aos cuidados de” numa carta?
Deus.

Habitantes da Terra, não me tratem como um marciano.
Deus.

Fiquei pensando como seria fazer a Terra em branco e preto.
Mas então eu disse “Naaaaão!”
Deus.

Se você perder o amanhecer que fiz para você hoje,
não tem importância. Eu lhe farei outro amanhã.
Deus.

Como você acha que pode ser um “self-made-man”?
Eu me lembro perfeitamente de tudo, quando fiz você.
Deus.

Se você acha que a Mona Lisa é admirável,
você precisa ver minha obra de arte. No espelho.
Deus.

Não esqueça de levar o guarda-chuva.
Hoje preciso molhar as plantas.
Deus.

Na minha opinião, você é a mais bela criatura do mundo.
Tá bom, tá bom! Eu sou suspeito.
Deus.

Passe lá em casa no domingo, antes do jogo.
Venha e traga as crianças.
Deus.


Que parte de “Você não deve…” você não entendeu?
Precisamos bater um papo.
Deus.

Eu curto casamentos. Convide-me para o seu.
Deus.

Essa coisa de “Ame seu próximo…”.
Eu falei sério.
Deus.

Eu amo você, amo você, amo você, amo você...
Deus.

O caminho que você escolheu...
Quer levar-me junto com você?
Siga-me.

Venha, carregarei sua cruz com prazer.
Deus.

Você não está sozinho, você tem a mim.
Deus.

Eu quero lhe dar o melhor presente…
Deus.

…Coloque-se em minhas mãos e observe.
Deus.

Estou procurando você. Responda-me.
Deus.

Não renuncie a mim.
Deus.

(Espero que você compartilhe esta mensagem…
…e que Deus sempre converse com você).

Pedras no caminho

"As decisões de Deus são misteriosas; mas estão sempre a nosso favor."

- Vamos até a montanha onde Deus mora - comentou um cavaleiro com seu amigo.

- Quero provar que Ele só sabe pedir, e nada faz para aliviar o nosso fardo.

- Pois vou para demonstrar minha fé , disse o outro.

Chegaram a noite no alto do monte - e escutaram uma Voz na escuridão:

Encham seus cavalos com as pedras do chão!

- Viu?- Disse o primeiro cavaleiro. Depois de tanto subir, Ele ainda nos faz carregar com mais peso. Jamais obedecerei!

O segundo cavaleiro fez o que a voz dizia.

Quando terminaram de descer o monte, a aurora chegou e os primeiros raios de sol iluminaram as pedras que o cavaleiro piedoso havia trazido: eram diamantes puríssimos.

Seja...

Seja Fonte!

Fonte de água pura e cristalina.
Seja água abundante para quem tem sede de amor, de carinho.
De força, de apoio de diretriz.
Se você não tem nenhum motivo para ser feliz, seja feliz por ser fonte.
Por ser procurado por aqueles que precisam de você.

Seja Porto!

Porto de chegada de almas cansadas,
Seja porto para aqueles que andam perdidos pelo mundo, e que precisam de um lugar tranqïilo para descansar o fardo que carregam.
Para ser porto de chegada, abrace, afague, receba, dê boas vindas.
Seja porto de saída, saída para quem precisar partir, despedindo-se das ilusões,
das dores, dos fracassos e decepções.
Partindo para um vida melhor, para isso, ajude, apóie, converse, estenda
as mãos, ouça, oriente.
Seja também porto seguro, para quem lhe ama e precisa de você.
Porto seguro para os amigos, para a família, para quem precisar.
Para ser porto seguro, esqueça o ego e pense no próximo, esqueça suas dores
e amenize as dores do próximo.
Se você não tem motivos para ser feliz,
Seja feliz por ser porto,
Para receber aqueles que procuram por você.

Seja Ponte!

Ponte que liga a vida terrena à eternidade do céu.
Para ser ponte, compreenda, perdoe e deixe as pessoas passarem por você.
Para ser ponte, esteja no fim da estrada daqueles que não
encontram o caminho de volta.
Seja a passagem e não o atalho, seja o caminho livre e não o pedágio.
Se você não tem outro motivo para ser feliz, seja feliz por ser ponte.
Ponte significa união, ligação, laços de afeição.

Seja Estrada!

Estrada longa, gostosa de passear,
Estrada iluminada de dia pelo sol e de noite pelo luar.
Estrada que conduz a outros caminhos.
Se você não tem outro motivo para ser feliz, seja feliz por ser estrada,
estrada dos peregrinos da vida, estes plantarão flores aos seus pés.
Seja estrada para os caminhantes do tempo, esses regarão suas flores.
Seja estrada para os andarilhos do mundo,
esses poderão colhê-las, e sentir seu perfume.

Seja Estrela!

Seja a estrela que mais brilha no firmamento.
Seja a estrela inspiradora dos poetas,
Dos românticos e apaixonados.
Para ser estrela, ilumine os que cercam,
Distribua luz gratuitamente.
Seja estrela guia, estrela da sorte.
Se você não tem outro motivo para ser feliz, seja feliz por ser estrela,
Porque as estrelas estão sempre no alto,
São soberanas porque guiam os navegantes.

Seja Chuva!

Chuva que molha os corações secos, vazios de amor, de esperança, de paz.
Seja chuva que inunda os campos áridos, que molham os jardins, que dá vida a toda vegetação, e que faz transbordar os rios.
Se você não tem outro motivo para ser feliz, seja feliz por ser chuva,
A chuva é sempre esperada,
Por que dela depende a continuidade de toda a humanidade.

Seja Árvore!

Árvore que dá frutos para quem tem fome.
Que dá sombra e refresca o árduo calor dos caminhantes que seguem pela vida.
Seja árvore que aninha, que acolhe os passarinhos, que enfeitam os quintais.
Se você não tem outro motivo para ser feliz, seja feliz por ser árvore.
Por que ser árvore é ter raízes sólidas e profundas.
É ter braços que se alongam, que se estendem...
É produzir flores para enfeitar a alma de alguém,
É ser forte e enfrentar temporais.
É ter suas folhas embaladas pelo vento,
É ser molhada pela chuva
E acalentada pelo sol, é fazer parte da criação
Como um ser único.

SER FONTE, SER PORTO, SER PONTE, SER ESTRADA,
SER CHUVA ou SER ÁRVORE...

É SERVIR A DEUS!

28 de dez de 2011

Pais maus?!!

Texto antigo, mas vale a pena reler.

O texto abaixo foi entregue pelo professor de Ética e Cidadania da escola Objetivo/Americana, Sr. Roberto Candelori, a todos os alunos da sala de aula, para que entregassem a seus pais. A única condição solicitada pelo mesmo foi de que cada aluno ficasse ao lado dos pais até que terminassem a leitura.

(Dr. Carlos Hecktheuer – Médico Psiquiatra)

Um dia quando os meus filhos forem crescidos o suficiente para entender a lógica que motiva os pais e mães, eu hei de dizer-lhes:

§ Eu amei-vos o suficiente para ter perguntado aonde vão, com quem vão e a que horas regressarão.

§ Eu amei-vos o suficiente para não ter ficado em silêncio e fazer com que vocês soubessem que aquele novo amigo não era boa companhia.

§ Eu amei-vos o suficiente para vos fazer pagar os rebuçados que tiraram do supermercado ou revistas do jornaleiro, e vos fazer dizer ao dono: “Nós tiramos isto ontem e queríamos pagar”.

§ Eu amei-vos o suficiente para ter ficado em pé, junto de vocês, duas horas, enquanto limpavam o vosso quarto, tarefa que eu teria feito em 15 minutos.

§ Eu amei-vos o suficiente para vos deixar ver além do amor que eu sentia por vocês, o desapontamento e também as lágrimas nos meus olhos.

§ Eu amei-vos o suficiente para vos deixar assumir a responsabilidade das vossas ações, mesmo quando as penalidades eram tão duras que me partiam o coração.

§ Mais do que tudo, eu amei-vos o suficiente para vos dizer NÃO, quando eu sabia que vocês poderiam me odiar por isso (e em alguns momentos até odiaram). Estas eram as mais difíceis batalhas de todas.

Estou contente, venci… Porque no final vocês venceram também! E qualquer dia, quando os meus netos forem crescidos o suficiente para entender a lógica que motiva os pais e mães; quando eles lhes perguntarem se os seus pais eram maus, os meus filhos vão lhes dizer:

Sim, os nossos pais eram maus. Eram os piores do mundo… As outras crianças comiam doces no café e nós só tínhamos que comer cereais, ovos, torradas.

As outras crianças bebiam refrigerante e comiam batatas fritas e sorvetes ao almoço e nós tínhamos que comer arroz, feijão, carne, legumes e frutas.

Nossos pais tinham que saber quem eram os nossos amigos e o que nós fazíamos com eles. Insistiam que lhes disséssemos com quem íamos sair, mesmo que demorássemos apenas uma hora ou menos.

Nossos pais insistiam sempre conosco para que lhes disséssemos sempre a verdade e apenas a verdade.

E quando éramos adolescentes, eles conseguiam até ler os nossos pensamentos. A nossa vida era mesmo chata!

Nossos pais não deixavam os nossos amigos tocarem a buzina para que saíssemos; tinham que subir, bater à porta, para que os nossos pais os conhecessem.

Enquanto todos podiam voltar tarde da noite com 12 anos, tivemos que esperar pelo menos 16 para chegar um pouco mais tarde, e aqueles chatos levantavam para saber se a festa foi boa (só para verem como estávamos ao voltar).

Por causa dos nossos pais, nós perdemos imensas experiências na adolescência.

- Nenhum de nós esteve envolvido com drogas, em roubo, em atos de vandalismo, em violação de propriedade, nem fomos presos por nenhum crime.

FOI TUDO POR CAUSA DOS NOSSOS PAIS!

Agora que já somos adultos, honestos e educados, estamos a fazer o melhor para sermos “PAIS MAUS”, como eles foram.

EU ACHO QUE ESTE É UM DOS MALES DO MUNDO DE HOJE:

NÃO HÁ PAIS MAUS SUFICIENTES!

Um recado "brilhante..."


Encontrando-se às portas da morte, Alexandre convocou os seus generais e comunicou-lhes os seus três últimos desejos:

1 - Que seu ataúde fosse levado aos ombros e transportado pelos melhores médicos do reino.

2 – Que os tesouros que tinha conquistado (prata, ouro e pedras preciosas), fossem espalhados pelo caminho até sua tumba.

3 - Que suas mãos ficassem balançando no ar, fora do ataúde e à vista de todos.

Um dos seus generais, assombrado por tão insólitos desejos, perguntou a Alexandre: Porque razão pretende que assim se faça?

Alexandre explicou:
1 - Quero que os mais eminentes médicos carreguem o meu ataúde para que percebam que perante a morte não têm o poder de curar.

2 - Quero que o solo seja coberto por meus tesouros para que todos possam ver que os bens materias aquí conquistados, aquí permanecem.

3 - Quero que minhas mãos se balancem ao vento, para que as pessoas possam ver que viemos com as mãos vazias e com as mãos vazias partimos.

Oi! Meu nome é Felicidade...

Você me conhece????

Faço parte da vida daqueles que têm amigos, pois ter amigo é ser feliz.

Faço parte da vida daqueles que acreditam que ontem é passado, amanhã
é futuro e hoje é uma dádiva por isso é chamado presente.

Faço parte daqueles que acreditam na força do amor, que acreditam que
para uma história bonita não há um ponto final.

Eu sou casada sabia? Sou casada com o Tempo. Ah! Meu marido é lindo!
Ele reconstrói corações, ele cura o machucado, ele vence a tristeza...

Juntos eu e o Tempo, tivemos três filhos: a Amizade, a Sabedoria e o Amor.

A Amizade é a filha mais velha, umas meninas lindas, sinceras e alegres.
A Amizade brilha com o sol, a Amizade une as pessoas, pretende
nunca ferir e sempre consolar.

A do meio é a Sabedoria culta, íntegra, sempre foi mais apegada com o pai, o Tempo, a Sabedoria e o Tempo andam sempre juntos.

O caçula é o Amor! Ah, como esse me dá trabalho! É teimoso... às vezes só quer morar em um lugar, eu vivo dizendo:- Amor você foi feito para morar em dois lugares não apenas em um!

O Amor é complexo, mas é lindo, muito lindo. Quando ele começa a fazer estragos eu chamo logo o pai dele, o Tempo, aí o Tempo sai fechando todas as feridas que o Amor abriu...

Uma pessoa muito importante me ensinou uma coisa, tudo no final acaba bem, se as coisas não andam bem, é porque você não chegou no fim.

Por isso acredite sempre na minha família, acredite na Amizade, na Sabedoria, no Tempo, e principalmente no Amor, aí com certeza um dia eu, a Felicidade, baterei à sua porta!

Tenha tempo para os sonhos, eles conduzem a sua carruagem para as estrelas.

Tenha um ótimo dia e não se esqueça, SORRIA!

Cura real

Não trate apenas dos sintomas, tentando eliminá-los...
sem que a causa da enfermidade seja também extinta.

A cura real somente acontece do interior para o exterior...

Sim, diga a seu médico que você tem dor no peito, mas...
diga também que sua dor é dor de tristeza, é dor de angústia.

Conte a seu médico que você tem azia, mas...
descubra o motivo pelo qual você, com seu gênio, aumenta a produção de ácidos no estômago.

Relate que você tem diabetes, no entanto...
não se esqueça de dizer também que não está encontrando mais doçura em sua vida e que está muito difícil suportar o peso de suas frustrações.

Mencione que você sofre de enxaqueca, todavia confesse que padece com seu perfeccionismo, com a autocrítica, que é muito sensível à crítica alheia e demasiadamente ansioso.

Muitos querem se curar, mas poucos estão dispostos a neutralizar em si o ácido da calúnia, o veneno da inveja, o bacilo do pessimismo e o câncer do egoísmo.

Não querem mudar de vida.

Procuram a cura de um câncer, mas se recusam a abrir mão de uma simples mágoa.

Pretendem a desobstrução das artérias coronárias, mas querem continuar com o peito fechado pelo rancor e pela agressividade.

Almejam a cura de problemas oculares, todavia não retiram dos olhos a venda do criticismo e da maledicência.

Pedem a solução para a depressão, entretanto, não abrem mão do orgulho ferido e do forte sentimento de decepção em relação a perdas experimentadas.

Suplicam auxílio para os problemas de tireóide, mas não cuidam de suas frustrações e ressentimentos, não levantam a voz para expressarem suas legítimas necessidades.

Imploram a cura de um nódulo de mama, todavia, insistem em manter bloqueada a ternura e a afetividade por conta das feridas emocionais do passado.

Clamam pela intercessão divina, porém permanecem surdos aos gritos de socorro que partem de pessoas muito próximas de si mesmos.

Toda cura é sempre uma autocura.

Autor: José Carlos De Lucca
Livro: O médico Jesus

As mãos de Albrecht Dürer

Dürer
Nacionalidade: Alemã Nuremberg (1471/1528)
Estilo: Pintura Flamenga .

No século XV, numa pequena aldeia perto de Nuremberga, vivia a família Durer com vários filhos. Para ter pão na mesa para todos, o pai trabalhava cerca de 18 horas diárias nas minas de carvão, e em qualquer outra coisa que se apresentasse.

Dois dos seus filhos tinham um sonho: Serem pintores.

Mas sabiam que o pai jamais poderia mandar algum deles para a Academia de Pintura. Depois de muitas noites de conversas e troca de ideias, os dois irmãos chegaram a um acordo. Atirariam uma moeda ao ar e o que perdesse trabalharia nas minas para pagar os estudos ao que ganhasse. Quando terminasse o curso, o vencedor pagaria os estudos ao outro com a venda de suas obras. Assim, os dois irmãos poderiam ser artistas.

Lançaram a moeda ao ar num domingo ao sair da Igreja. Quis a sorte que fosse Albrecht a ganhar e assim foi estudar pintura em Nuremberga.

O outro irmão, Albert, começou o perigoso trabalho nas minas, onde permaneceu nos quatro anos seguintes para pagar os estudos de Albrecht, que desde a primeira hora fez sensação na Academia.

As gravuras de Albrecht, os seus entalhados e os seus óleos chegaram a ser muito melhores que os de muitos dos seus professores. Quando se formou, já ganhava consideráveis somas com a venda das suas obras.

Quando o jovem artista regressou à sua aldeia, a família Dürer reuniu-se para uma ceia festiva em sua homenagem. Ao finalizar a memorável festa, Albrecht levantou-se e propôs um brinde ao seu irmão Albert que tanto se havia sacrificado, trabalhando nas minas para que o seu sonho de estudar se tornasse realidade. E disse: "Agora, meu irmão, chegou a tua vez. Agora podes ir para Nuremberga e realizar os teus sonhos, que eu me encarregarei de todos os teus gastos".

Todos os olhos se voltaram, cheios de expectativa, para Albert. Este, com o rosto lavado em lágrimas, levantou-se e disse suavemente:
"Não irmão, não posso ir para Nuremberga. É muito tarde para mim. Estes quatro anos de trabalho nas minas destruíram-me as mãos. Cada osso dos meus dedos já partiu pelo menos uma vez, e a artrite da minha mão direita tem avançado tanto que até tenho dificuldade em levantar o copo para o teu brinde. Não poderia trabalhar com delicadas linhas, com o compasso ou com o pergaminho e não poderia manejar a pena nem o pincel. Não irmão, para mim já é tarde. Mas estou feliz por as minhas mãos disformes terem servido, para que as tuas, agora, tenham cumprido o seu sonho".


Mais de 450 anos decorreram desde esse dia. Hoje as gravuras, óleos, aquarelas, entalhes e demais obras de Albrecht Dürer podem ser vistos em muitos museus de todo o mundo.

Mas seguramente vocês, como a maioria das pessoas, só se recordam de uma obra. Talvez alguns tenham até uma reprodução em casa.

Para render homenagem ao sacrifício de seu irmão, Albrecht Dürer desenhou as mãos maltratadas de seu irmão, com as palmas unidas e os dedos apontando ao céu. Chamou a esta poderosa obra simplesmente "Mãos", mas o mundo inteiro abriu de imediato o coração à sua obra de arte e alterou o nome da obra para: "Mãos que oram".

Na próxima vez em que vires uma cópia desta obra, olha-a bem.

E, oxalá te sirva, para que, quando te sentires demasiado orgulhoso do que fazes, e muito seguro de ti mesmo, recordes que na vida:
NINGUÉM NUNCA TRIUNFA SOZINHO!!!

A luz que buscamos - Carlos Pereira


Na maioria das vezes, as respostas que almejamos, encontram-se dentro de nós.

Algumas quedas sofridas, na verdade, depois se tornam a chance de nos reerguemos espiritualmente.

Solidão que queima a alma, no fundo, nos convida a refletir sobre o caminho que escolhemos trilhar

Desilusões que ontem nos machucaram, hoje, transformam-se em bênçãos do Pai.

Sofrimento que bate a nossa porta, com o tempo, nos mostra outras portas que sempre estiveram a nossa frente, porém, não conseguíamos enxergar.

Mágoas que ferem o coração, acabam, perdendo a sua força e cedendo lugar ao amor.

Derrotas que nos desanimam a continuar, apenas estão nos preparando para verdadeiras vitórias.

Tristezas que se aproximam, no fim, se tornam verdadeiras reflexões perante os atos que estamos realizando.

Doenças que nos fragilizam, buscam nos levar ao encontro dos verdadeiros valores espirituais.

Desespero que nos consome, é nosso íntimo a gritar por renovação.

Dificuldades que nos atingem, apenas buscam preparar nosso Espírito para novas caminhadas.

Trevas que nos envolvem, nos ensinam a importância da confiança no Pai, porque com confiança, atravessaremos qualquer caminho.

Intrigas que se aproximam, também trazem consigo, a compreensão que deve ser exercida.

Espinhos nos ferem, porém, logo depois, passamos a perceber as flores que os acompanham.

Raiva que chega de repente, nos descontrola, mas a fé dentro de nós traz a serenidade.

Sim, todos os percalços que a vida nos apresenta, estão sempre acompanhados de grandes ensinamentos espirituais.

Nenhuma dor chega se não tiver um porquê.

Nenhuma doença se aproxima se não quiser nos mostrar algo.

Nenhuma tormenta paira sobre a nossa cabeça sem finalidade.

Porém, em cada um desses momentos, estejamos confiantes, porque se o sofrimento bate a nossa porta, a esperança já se encontra dentro de nós e é com ela que iremos renovar nossos caminhos e compreender o que se faz necessário.

Lembremos que, uma vez a lição aprendida, a dor cessará e novos horizontes nos convidarão a prosseguir a jornada.

E a luz que buscamos brilhará mais intensamente a nossa frente...

Basta você querer!

A vida inteira procuramos por algo...

Algo que nos complete...
Algo que nos faz bem...

Um sentimento sem igual!
Um pouco de atenção...
Uma palavra...
Um sorriso...
Um afeto...
Um abraço...
Um carinho...

Temos medo de descobrir o que sentimos...
E tentamos adivinhar ou imaginar.

Sabemos que é algo que nos faz bem...
Que nos completa...
Nos deixa com olhar radiante!

Mas todos temos medo...
Medo de sofrer...
Ou até mesmo medo de ser FELIZ!

Medo de se entregar...
Medo de sonhar...
Medo de tentar!

E a vida te ensina que quando se tem medo...
Tudo fica mais difícil...
Tudo fica escuro...
Tudo fica triste!

E nada dá certo!
E você se pergunta:
Por que é tão difícil?

Talvez porque assim aprendemos a dar valor...
Nas menores... e nas maiores coisas da vida.
Em tudo!

Se tudo fosse fácil não teria graça...
Seria muito FÁCIL!

Tudo que vem ou é fácil...
Parece não ter valor...
Não tem um... gosto!

Bom é quando você determina algo bem difícil.
E segue fundo na esperança que dê certo...

E quando você realmente quer algo, o mundo gira em seu favor!
E assim aprende a não ter medo!

Sabe por quê?
Porque nunca é tarde para ser FELIZ!

Somente nós podemos mudar a nossa vida completamente!
Basta VOCÊ QUERER!!!

26 de dez de 2011

Toques espirituais de Kuan Yin


Não espere a compreensão dos outros, seja você essa compreensão.

Não espere ser feliz pela presença de alguém amado na sua vida;
seja feliz só porque você existe, independentemente de qualquer um.

Não espere que um salvador celeste venha salvar sua alma,
apenas evolua e cresça, para você ser salvo de sua própria ignorância.

Não espere o perdão de alguém, seja você esse perdão.

Não espere que alguém se desculpe de você, seja você essa desculpa.

Não espere que a morte surja para provar que você vive além dela;
use o discernimento e saiba disso agora!

Não espere a vida passar para que você passe sem compreender coisa nenhuma.

Cada momento é importante, cada vida é importante, e cada coisa que se aprende é importante; por isso é muito importante viver e valorizar essa existência atual, que tem de ser a melhor de todas as existências, independentemente de vidas anteriores.

O que você possa ter sido lá atrás, já passou...

Se você foi Hitler ou Buda, não interessa!

O que interessa é essa vida, e que você seja feliz aqui e agora,
sem jamais depender de algo (ou de alguém) fora de si mesmo.

E toda transformação que você quiser que ocorra, seja você mesmo essa transformação, em lugar de procurar pedir essa transformação fora de si mesmo, dos outros, do mundo ou do que quer que seja.

O que quer que aconteça na sua vida, seja lá o que for, a chegada de alguém ou sua partida, não dependa disso para que seu discernimento se acenda.

Independentemente de quem chega ou de quem parte, é você que está aí dentro e,
ao longo da eternidade, você estará acompanhado por si mesmo, todo o tempo.

Então, se amanhã, ou em outras vidas, você quiser estar bem acompanhado, comece a crescer agora, para que você seja boa companhia para sempre, de você mesmo.

A natureza

Dependemos da natureza não só para a nossa sobrevivência física.

Também necessitamos da natureza para que nos ensine o caminho para casa,
o caminho para sairmos da prisão de nossas mentes.

Nós nos perdemos no fazer, no pensar, no recordar, no antecipar;
estamos perdidos em um complexo labirinto, em um mundo de problemas.

Esquecemos aquilo que as rochas, as plantas e os animais já sabem.

Nos esquecemos de Ser, de sermos nós mesmos, de estar em silêncio,
de estar onde está a vida: Aqui e Agora.

Focalizar a atenção em uma pedra, em uma árvore ou em um animal,
não significa “pensar neles”, mas simplesmente percebê-los, dar-se conta deles.

Então eles te transmitem algo de sua essência.

Sente quão profundamente descansam no Ser,
completamente unificados com o que são e onde estão.

Ao perceber isto, tu também entras em um lugar
de profundo repouso dentro de ti mesmo.

Quando caminhares ou descansares na natureza, honra este reino,
permanecendo aí plenamente. Acalma-te. Olha. Escuta.

Observa como cada planta e cada animal são completamente eles mesmos.

Diferentemente dos humanos, não estão divididos em dois.

Não vivem por meio de imagens mentais de si mesmos,
e por isso não precisam preocupar-se em proteger e potencializar estas imagens.

Todas as coisas naturais, além de estarem unificadas consigo mesmas,
estão unificadas com a totalidade.

Não se afastaram da totalidade exigindo uma existência separada:
“eu”, o grande criador de conflitos.

Tu não criastes teu corpo, nem és capaz de controlar as funções corporais.

Em teu corpo opera uma inteligência maior que a mente humana.

É a mesma inteligência que sustenta tudo na natureza.

Para aproximar-te ao máximo desta inteligência, torna-te consciente de teu
próprio campo energético interno, sente a vida, a presença que anima o organismo.

Quando percebes a natureza apenas com a mente, por meio do pensamento,
não podes sentir sua plenitude de vida, seu ser.

Unicamente vês a forma e não estás consciente da vida que a anima,
do mistério sagrado.

O pensamento reduz a natureza a um bem de consumo, a um meio para
conseguir benefícios, conhecimento, ou a algum outro propósito prático.

Observa, sente um animal, uma flor, uma árvore, e vê como descansam no Ser.

Cada um deles é ele mesmo.

Eles têm uma enorme dignidade, inocência, santidade.

No momento em que olhas além dos rótulos mentais, sentes a dimensão
inefável da natureza, que não pode ser compreendida pelo pensamento.

É uma harmonia, uma sacralidade que além de preencher a totalidade da natureza, também está dentro de ti.

O ar que respiras é natural, como o próprio processo de respirar.

Dirige a atenção à tua respiração e percebe que não és tu quem respira.

A respiração é natural.

Conecta-te com a natureza do modo mais íntimo e interno percebendo a tua
própria respiração e aprendendo a manter tua atenção nela.

Este é um exercício que cura e energiza consideravelmente.

Produz uma mudança de consciência que te permite ultrapassar o mundo
conceitual do pensamento e atingir a consciência incondicionada.

Precisas que a natureza te ensine e te ajude a reconectar-te com teu Ser.

Não estás separado da natureza.

Todos somos parte da Vida Única que se manifesta em incontáveis formas
em todo o universo, formas que estão, todas elas, completamente interconectadas.

Quando reconheces a santidade, a beleza, a incrível quietude e dignidade que
existem em uma flor ou em uma árvore, acrescentas algo a esta flor ou a esta árvore.

Pensar é uma etapa na evolução da vida.

A natureza existe em uma quietude inocente que é anterior à aparição do pensamento.

Quando os seres humanos se aquietam, vão além do pensamento.

A quietude que está além do pensamento contém uma dimensão maior de
conhecimento, de consciência.

A natureza pode levar-te à quietude.

Este é o presente dela para ti.

Quando percebes a natureza e te unes a ela no campo da quietude,
este se enche com tua consciência.

Este é o teu presente para a natureza.

Através de ti, a natureza toma consciência de si mesma.

É como se a natureza tivesse ficado à tua espera durante milhões de anos
para adquirir esta consciência.

Eckhart Tolle

Sou grato a Deus...

Por minha mulher...
por ela dizer que teremos cachorro-quente ao jantar,
porque ela está em casa comigo!

Por meu marido...
por ele estar esparramado no sofá como um purê de batata,
porque ele está comigo!

Pela adolescente lá de casa...
que está reclamando por ter que lavar a louça,
porque isso significa que está em casa, e não nas ruas!

Pelas broncas do chefe...
pois isto significa que estou empregado!

Pela bagunça que restou depois da festa...
porque isto significa que estive rodeado de amigos!

Pelas roupas que estão ficando apertadas...
porque isso significa que tenho mais que o suficiente para comer!

Pela minha sombra que me observa em ação...
porque isso significa que estou fora, ao sol!

Pela grama que precisa ser cortada, pelas janelas que precisam ser limpas
e pelas calhas que preciso consertar...
Porque isso significa que tenho uma casa!

Pela vaga que achei bem no final do estacionamento...
porque isso significa que posso caminhar e que tenho meio de transporte!

Pela conta monstruosa de energia que pago...
porque isso significa que estou sempre confortável!

Pela senhora desafinada que canta atrás de mim na Igreja...
porque isso significa que posso ouvir!

Pela pilha de roupas para lavar e passar...
porque isso significa que tenho roupa para vestir!

Pelo cansaço e músculos doloridos ao final do dia...
por que isso significa que fui capaz de dar duro o dia inteiro!

Pelo alarme que desligo pela manhã...
porque isso significa que continuo vivo!

E sou grato a Deus pelos meus amigos...
porque torna a vida mais interessante e divertida!

E, finalmente, por receber tantas visitas...
pois isso significa que um monte de amigos pensa em mim!