CHEGUE NA PAZ

31 de out de 2010

Poesia: Cola tudo

Encontrei um verso fraturado
Caído na esquina da rua do lado
Tinha se perdido de um coração saudoso
Que passava por ali, desiludido
Coloquei-o de pé, emendei seus pedaços
Refiz suas linhas, retoquei seus traços
Que saiba enfeitar a estrela lá na frente
Com fartos laços de rima colorida
Pois é para o futuro que caminham
Todos os passos apressados desta vida.

(Flora Figueiredo)

Vídeo: Tocando em frente - Almir Sater

Uma receita de vida

FAMÍLIA: é aqui que tudo começa.

AMIGOS: nunca deixe faltar.

RAIVA: se acontecer que seja pouca.

DESESPERO: para quê?

PACIÊNCIA: o máximo possível.

LÁGRIMAS: enxugue todas.

SORRISOS: os mais variados.

PAZ: em grande quantidade.

PERDÃO: à vontade.

DESAFETOS: se possível nenhum.

ESPERANÇA: não perca jamais.

CORAÇÃO: quanto maior, melhor.

AMOR: pode abusar.

CARINHO: essencial.

MODO DE PREPARAR:

Reúna sua FAMÍLIA e seus AMIGOS. Esqueça os momentos de RAIVA e DESESPERO passados. Se precisar, use toda a sua PACIÊNCIA.
Enxugue as LÁGRIMAS e as substitua por SORRISOS. Junte a PAZ e o PERDÃO e ofereça aos seus DESAFETOS. Deixe a ESPERANÇA crescer no seu CORAÇÃO. Nem sempre os ingredientes da vida são gostosos, portanto, saiba misturar todos os temperos que ela oferece, e faça dela um prato de raro sabor.

Deste modo, prepare sua melhor receita de vida e nunca economize no AMOR e no CARINHO. No final, tenho certeza que você dirá com a boca cheia: COMO VALE A PENA VIVER!!!

30 de out de 2010

Se eu soubesse...

Se algum dia eu soubesse que nunca mais veria você
Eu lhe daria um abraço mais forte
Se eu soubesse que seria a última vez a ver você
Eu lhe daria um beijo e a(o) chamaria para dar mais um
Se eu soubesse que seria a última vez a ouvir a sua voz
Eu gravaria seus movimentos e palavras, para revê-los depois todos os dias
Se eu soubesse que seria a última vez que eu poderia parar mais um ou dois minutos para dizer-lhe: "gosto de você"
Eu diria, ao invés de deixar que você presumisse
Se eu soubesse que hoje seria o último dia a compartilhar com você, o sentiria muito mais intensamente em vez de deixá-lo simplesmente passar
Sempre acreditamos que haverá o amanhã para corrigir um descuido para ter uma segunda chance de acertar. Será que haverá uma chance para dizer: "posso fazer alguma coisa por você"?
O amanhã não é garantido para ninguém, seja para jovens, ou mais velhos, e hoje pode ser a última chance de abraçarmos aqueles que amamos. Então, se estamos esperando pelo amanhã, por que não agirmos hoje? Assim, se o amanhã nunca chegar, não teremos arrependimentos de não termos aproveitado um momento para um sorriso, para um abraço, para um beijo, uma gentileza, porque estávamos muito ocupados, para dar a alguém o que poderia ser o seu último desejo. Abracemos hoje aqueles que amamos, sussurremos em seus ouvidos, dizendo-lhes o quanto nos são raros e que sempre os amamos. Encontremos tempo para dizer: "Desculpe-me", "Perdoe- me", "Obrigado", "Eu perdôo você".
Sempre há tempo para amarmos. E se não houver amanhã, também não haverá remorsos de hoje para carregarmos.

Pense nisso AGORA...

POETA!...

Alma de criança, doce ser!
Envolto em um mundo fantástico, de encantos
Semeador do amor
Mãos suaves, por vezes sofridas, sua companhia a solidão
Sua musa maior a elegância
Ser inconfundível
Em suas emoções transpirando ternura e compreensão
Amante das flores, da melodia, das cores, da lua, dos oceanos, do sol
Senhor da humildade
Amigo dos poderosos, irmão dos humildes
Coração de criança, companheiro da meiguice
Fazendo do que é belo seu motivo de inspiração
Ser que chora ao escrever
Que sente a perda de um pássaro, que luta pela justiça social
Defensor do diálogo
Opositor às agressões, às guerras
Chora pela fome daqueles que nem vê
Idealista, defensor da vida
Mesmo em seus momentos de tristeza e reflexão profunda
Busca-se...
Neste sentimento que dói e corrói
Com a pena nas mãos
Faz de sua dor, poesia de relutante beleza.

Ó Poeta!
Despreza sentimento de vingança, não participa de ofensas
Em nenhuma de suas formas, sejam física ou moral
Mãos delicadas... Feitas pra falar de amor
Penetrar na alma de quem os lê
Atingir o coração dos seres, tocar os apaixonados.

Ó poeta!
Que dimensão tem tuas palavras
Título conquistado por qualquer um
Que consiga expressar tudo que seu coração fala
Não tendo necessidade de cursos, ou universidade
Sendo-lhe concedido o “diploma” pelo povo, que diz:
Lá vem o Poeta!...
Acima de títulos conquistados, este se difere por isto
São os outros que reconhecem e lhe confere a honraria
Que se acopla ao seu nome para sempre, além-túmulo.

Poetas!...
Seres que falam aos anjos, alguns, além, também ouvem, outros vêem
Nossa!...Como a terra seria mais doce se regida pela poesia
Como haveria lares mais felizes
Se as pessoas vivessem entre si, com versos e poesias.

Ah!...Como o amor seria mais valorizado
Se a poesia fosse toda sua fonte de esplendor
Benditas as mãos dos poetas!...
Luz aos seus corações!
Força à sua luta constante!
Eternidade à suas palavras!

Paulo Nunes Junior

Tédio

Muitas pessoas estabelecem objetivos de vida, que passam a ser buscados com intensa determinação. Limitam seus interesses na conquista de seus sonhos e quando os alcançam nem sempre encontram neles o sentido e o significado que esperavam. A meta, que por tanto tempo representou a razão de viver, cede lugar ao tédio, empurrando os seres para os abismos da depressão ou dos vícios. Por vezes, são pais que colocam na vida dos filhos os próprios sonhos. Projetam no futuro de seus rebentos os desejos que eles próprios não puderam realizar. No entanto, os filhos crescem e devem enfrentar as próprias lutas e dar curso às próprias vidas. Por vezes a constatação dessa verdade causa nos pais, mais despreparados, amarga aflição. Outros, ainda, anseiam por alcançar um patamar elevado na carreira para amealhar, assim, consideráveis recursos financeiros. Porém, quando seus objetivos se realizam, sentem-se desestimulados. Há aqueles que se esforçam para ter fama e destaque na sociedade e que, quando os alcançam, amargurados e vazios, entregam-se às drogas e aos abusos do sexo. Inquietação e desequilíbrio costumam servir de base na busca por objetivos imediatos de prazer e de satisfação. Tais metas são frutos do egoísmo que ainda move os seres, e quando alcançadas, produzem tão-somente rápida e passageira satisfação. Em pouco tempo a antiga e conhecida sensação de aborrecimento e de vazio volta a exercer forte influência no cotidiano. Como se todo o esforço tivesse sido em vão. Como se toda a luta não tivesse valido a pena. Nos lábios, a impressão de que alguma palavra ficou faltando. Na boca, a permanente sensação de sede. É a fome de realização plena. É uma sensação de que, em sonho, tudo era mais belo e satisfatório. É o tédio, terrível flagelo que consome existências. Silencioso e ardiloso, penetra suavemente no comportamento, instalando-se na mente e no sentimento, depauperando e dominando os indivíduos. Quando te percebas a um passo do tédio, assume nova postura e busca uma atividade que te preencha o tempo físico e mental de forma útil. Nunca te consideres impossibilitado de trabalhar, de agir no bem e de produzir. Considera o esforço dos artistas sem braços, sem pernas, que se revelaram excelentes pintores, escultores, desenhistas, ricos de inspiração e de alegria de viver. Reflete sobre a vida de outros deficientes que se transformaram em mensageiros da renovação interior, tornando-se membros indispensáveis da economia moral e social no mundo. O esforço que lhes foi exigido não lhes concedeu tempo para qualquer forma de tédio ou de desinteresse, entregando-se à lamentação ou ao desencanto. Não cesses de edificar, nem te permitas contemplar a retaguarda do já feito. Examina a perspectiva do quanto ainda necessitas realizar. Aspira à conquista do infinito e nunca te sentirás entediado com os logros conseguidos. Quem se basta com as aquisições meramente materiais ainda não alcançou a real maturidade, nem descobriu as prioritárias metas existenciais. Aquele que anela pela alegria de viver, não apenas pelo que consiga deter nas mãos, jamais será vítima do tédio, porque estará sempre em ação, sentindo-se útil e pleno.

Texto com base no capítulo 13 do livro Diretrizes para o êxito, de Divaldo Pereira Franco - Joanna de Ângelis

Não desista do bem

Por vezes nos sentimos impotentes diante das próprias limitações. Gostaríamos de fazer tanta coisa, de mudar as situações que nos infelicitam e fazem sofrer aqueles que nos rodeiam, mas não logramos sequer dar o primeiro passo. Os problemas do mundo são tantos que temos a impressão de que não há nada que possamos fazer, considerando a nossa pequenez. Talvez você também já tenha pensado em desistir do bem e deixar que as coisas sigam ao sabor dos ventos... Talvez você desejasse ser tanta coisa e muito pouco consiga ser... Mas mesmo assim, nunca desista do bem. Há dias em que você desejaria ser um grande e produtivo pomar... Ante a dificuldade de consegui-lo, torne-se uma árvore frondosa e acolhedora, que produza flores e frutos. Por vezes, você gostaria de ser uma fonte cristalina. Não o logrando, transforme-se num vaso de água fresca e aplaque a sede de alguém. Você desejaria ser uma montanha altaneira a apresentar horizontes infinitos ao homem que a conquistasse. Diante da impossibilidade, seja um degrau humilde para a ascensão de quem ambiciona a glória estelar. Você pretenderia ter um sol emboscado no coração, a fim de clarear os viajantes da noite. Em face do impedimento, acenda uma lâmpada de esperança no caminho de um desalentado. Você almejaria ser um jardim de bênçãos para o enriquecimento da paisagem dos homens. Não o conseguindo, converta-se numa flor, abençoando com seu perfume, a estrada dos desesperados. Você ambicionava as gemas preciosas do seio generoso da terra, a fim de diminuir a dor e a miséria dos caminhantes da aflição. Não as possuindo, distenda a palavra de renovação como pérola de inigualável valor, soerguendo quem se recusa a levantar para prosseguir na luta. Você pensava em escrever poemas de engrandecimento à vida, enriquecendo as mentes e os corações com painéis de luz e sabedoria. Na impossibilidade de fazê-lo por lhe faltarem os requisitos essenciais, redija uma carta singela com expressões de amor, a quem se encontra na curva da queda e perdeu a confiança na afeição dos outros. Você esperava a melhoria das criaturas e do mundo... Decepcionado por não poder alcançar essa difícil meta, erija no altar dos sentimentos um santuário à fraternidade e ao dever superior. Não desista do bem, não desfaleça no bem, não duvide da vitória do bem. Agasalhe-o no imo da alma e seja uma expressão do bem em triunfo, mesmo convertido num grão de mostarda que, todavia, produzirá estímulos vigorosos para o bem de todos. Seja qual for a situação, jamais desista de fazer o bem. Jamais duvide da força do bem, porque o mal não tem vida própria, ele só se insinua quando o bem não está presente. O mal, assim como a sombra, bate em retirada aos primeiros raios de luz.
***

Faze o bem em toda parte com as mãos e com o coração, orando e esclarecendo, a fim de que o trabalho da verdade fulgure em teus braços como estrelas luminescentes em forma de mãos.

Adaptação do cap. 8 do livro Momento de Decisão, Divaldo Franco - Marco Prisco e no verbete “Bem”, do livro Repositório de Sabedoria, 1º volume.

29 de out de 2010

Seja Feliz!!!

Acorde todas as manhãs com um sorriso. Esta é mais uma oportunidade que você tem para ser feliz. Seja seu próprio motor de ignição. O dia de hoje jamais voltará. Não o desperdice, pois você nasceu para ser feliz! Enumere as boas coisas que você tem na vida. Ao tomar consciência do seu valor, você será capaz de ir em frente com muita força, coragem e confiança! Trace objetivos para cada dia. Você conquistará seu arco-íris, um dia de cada vez. Seja paciente... Não se queixe do seu trabalho, do tédio, da rotina, pois é o seu trabalho que o mantém alerta, em constante desenvolvimento pessoal e profissional, além disso o ajuda a manter a dignidade. Acredite, seu valor está em você mesmo. Não se deixe vencer, não seja igual, seja diferente. Se nos deixarmos vencer, não haverá surpresas, nem alegrias... Conscientize-se que a verdadeira felicidade está dentro de você. Felicidade não é ter ou alcançar, mas sim dar. Estenda sua mão. Compartilhe. Sorria. Abrace.

Amigos...

Amigos sabem quando serão amigos!!!
Pois compartilham momentos; dão força!!!
Estão sempre ao nosso lado
Nas conquistas... nas derrotas!
Nas horas boas... e nas difíceis!
Amizade nem sempre é pensar do mesmo jeito
Mas abrir mão... de vez em quando!
Amizade é como ter um irmão que não mora na mesma casa
É compartilhar segredos... emoções
É compreensão... É diversão...
É contar com alguém sempre que precisar
É ter algo em comum... e não ter nada em comum
É não ter nada em comum mesmo!!!
É saber que se tem mais em comum do que se imagina
É sentir saudade...
É querer dar um tempo...
É dar preferência
É bater um ciuminho
Amizade que é amizade nunca acaba
Mesmo que a gente cresça...
Mesmo que outras pessoas apareçam no nosso caminho
Porque amizade não se explica
Ela simplesmente acontece...

Queria...

Queria ter lhe conhecido antes
Muito antes...
Para que nenhum de nós dois tivesse
Medos ou cicatrizes...
Queria ter estado com você
Quando seu coração descobriu
O que era AMOR
Quando seu corpo descobriu
O que era DESEJO
E antes que pudesse sofrer
Eu estaria do seu lado
Amando-lhe
Entregando-me
E juntos poder ter aprendido
As lições da vida e do coração...
Queria ter lhe conhecido muito antes
Quando suas esperanças
Começaram a nascer...
Quando seus sonhos ainda eram puros
E seus ideais ainda ingênuos...
Pena termos nos encontrado só agora
Já com o coração viciado
Em outros amores
Com uma imagem meio falsa
Do que é felicidade
Do que é entregar-se...
Queria ter lhe encontrado antes
Muito antes
Numa nova vida
Num outro tempo
Em que não precisássemos
Temer o nosso futuro
Nem nossos sentimentos...

Vídeo: Nunca pare de lutar - Ludmila Feber

28 de out de 2010

Desenhando o amanhã

Aproximo-me de minha renovação, frente à mesa da vida, os pincéis usados, gastos pelo tempo que me foi apresentado, mas cada qual com sua história, cada qual com sua representação, do amarelo ao preto cada um com seu significado. Utilizados com a dignidade, com o amor, com a lisura, com a pureza, alguns que custaram muita dor e pintaram trevas, outras alegrias, deixando a beleza de campos floridos marcados pela eternidade. Agora, a senhora vida coloca-me novos pincéis. Desejo com eles, retificar erros passados, colocar mais flores em meus campos, trazer a força do sol para dentro de mim, o romantismo da lua para minha alma, a sabedoria dos mestres, a delicadeza dos poetas, usar cada qual com equilíbrio, calma e dedicar-me a esta nova pintura. Vou deixar meu redor pronto para receber-te, deixar que tome conta de meus campos, que venha fazer parte de minha constelação, me permitir ser feliz e te fazer feliz.
Os pincéis aí estão prontos, você é minha tinta, começa a ser minha inspiração, os dedos, antes largados pela grande dor do abandono, começam a movimentar-se. Os olhos, entregues ao infinito das lágrimas, começam a brilhar; a voz, embargada pela mágoa, começa a se soltar.
É a vida renovando-se, é você, com teu encanto, trazendo a esta grande pintura, a esperança de voltar a ser feliz. Certamente, por trás deste grande desenho, está alguém a quem um dia pedi, olhando para o oceano. Nada mais te peço, Senhor, sem ser amar e ser amado por alguém pronto. Ele apresenta-me os pincéis e trouxe-me você. Vem ser minha vida, vem...

Paulo Nunes Junior

Auto-análise

Alguma vez já pensaste na tua conduta, no que tange ao teu dever ante a sociedade? Já procuraste observar o que falas durante o dia e o que fazes no decorrer deste tempo? A observação de nós mesmos é trabalho importante, na importância da vida. Muitos dizem: “os meus pensamentos vêm à minha cabeça sem que eu os crie” e, por vezes têm razão. Não obstante, a cabeça é tua e é teu dever cuidar da lavoura que te pertence por direito celestial. Os instintos inferiores são animais que devem ser domesticados, usando-se todos os meus possíveis e dignos. Não uses a violência; ela, até no bem, pode te causar danos, se a ponderação não estiver presente no teu modo de ser. Gostas de falar o que vem à mente? Sabemos que isto pode parecer um prazer, mas é um prazer momentâneo, que pode nos trazer distúrbios de difícil reparação. Vê o que pensas e analisa o que falas, para que não entre em dificuldades maiores que aquelas com as quais já lutas para vencer no dia-a-dia. Coloca-te, meu irmão, frente a frente com as tuas qualidades. Imagina se fosses tu que estivesse escutando o que falas aos outros e procura sentir o que o teu ouvindo sente. Todas as tuas emoções devem ser disciplinadas no correr dos dias, no trabalho, em casa e nas ruas. A tua paz depende da paz do teu companheiro; o respeito dos outros para com a tua pessoa depende do teu respeito para com os teus irmãos em caminho. As leis de Deus são retas e justas; ninguém engana a verdade. Deus está presente em toda parte, com a dignidade que nos faz compreender o seu amor. Ao criticares o teu companheiro, gastas energia e tempo, de modo que esqueces o que deves fazer com a tua conduta. A auto-análise é serviço divino, que nos empresta valores e nos faz descobrir o céu dentro de nós, enriquecendo o nosso coração, acendendo luzes em todos os nossos sentimentos. Toda a alma que poda as suas investidas no mal, afiniza-se com o bem e deixa brilhar a fraternidade em todo o seu andar. Confirma o teu proceder em todos os momentos porque muitos olhos estão te olhando. Analisa as tuas maneiras todos os dias, pois muitos raciocínios estão computando os teus atos, sem que, às vezes, o percebas. Até as crianças sabem o que não deve ser feito, tanto mais o adulto. Todas as leis de Deus estão guardadas na nossa consciência, a refletir permanentemente, e todos nós reconhecemos essa verdade. Compete a cada criatura fazer a sua parte na educação individual e crescer com Jesus em busca de Deus.

Cirurgia moral – Lancellin

Poesia: A cor do grito

Por falta de culpados, culpei o tempo
Certamente ele ainda não veio
por culpa da chuva, do vento
Ainda virá
não há de tardar

E quando a terra secou
outro pretexto arrumei
A rua, o movimento
talvez congestionamento
Chegará a qualquer momento

A hora passou
o mundo aquietou
Ele não veio
A chuva, o vento, o movimento
não são cúmplices do meu tormento

Que mundo esquisito!
A lucidez cinza... Eu evito
O silêncio é frio, cor de granito
Suplico...
Qual é a cor do grito?

Rosa Pena/2002

LIVRO: PRETEXTOS

Poesia: Tua face

Doce olhar penetrante em misto de sedução e ingenuidade
doçura viva de uma alma límpida
Procurando seu novo porto seguro
Teus cílios marcantes
fazem o contorno em teus olhos de jabuticaba, Meus agora
De ora em diante os próprios condutores de meu viver!

Tua pele lembra-me da leveza dos lírios a tocar-me o rosto
em teu ouvido baixinho trocar nossos versinhos de amor
Como crianças por momentos
como amantes com furor em outros
em cada um destes instantes mágicos, marcantes o suficiente
Para se perpetuarem diante dos deuses de amor
Tocá-los; e sermos agraciados com suas bênçãos

E em nosso Olimpo próprio agora envolvemos nossas almas
neste entrelace de corpos e entrega apaixonada
onde juras se fazem de amor eterno
simples promessas não são pactos diante do próprio Universo

Um pacto que será delicioso cumprir e viver
aqui e acolá; hoje e amanhã...
O tempo é nosso, o sol, a lua e as estrelas ao nosso redor
Assistem nossa dança sobre este Universo antes pálido
Agora tocado pelas cores do amor
meio ao infinito nossa marca maior!

Paulo Nunes Junior

SENTIMENTOS...

SAUDADE é quando o momento tenta fugir da recordação para aparecer de novo e não consegue.
RECORDAÇÃO é quando, sem autorização, o teu pensamento torna a mostrar um episódio.
ANGÚSTIA é um nó muito bem apertado no meio da tranqüilidade.
PREOCUPAÇÃO é como uma cola que não deixa sair do teu pensamento aquilo que nem sequer aconteceu.
INDECISÃO é quando tu sabes muito bem o que queres, mas te parece que deverias optar por outra coisa.
SEGURANÇA é quando a idéia se cansa de procurar e pára.
INTUIÇÃO é quando o teu coração dá um salto no futuro e regressa imediatamente.
PRESSENTIMENTO é quando passa pela tua mente o “trailer” de um filme que pode muito bem nem acontecer.
VERGONHA é um pano preto que tu queres que te cubra naquela hora.
ANSIEDADE é quando os minutos parecem intermináveis para conseguires o que queres.
INTERESSE é um sinal de exclamação ou de interrogação no final do sentimento.
SENTIMENTO é a língua que o coração usa quando necessita de mandar alguma mensagem.
RAIVA é quando o leão que vive em ti, mostra os seus dentes.
TRISTEZA é uma mão gigante que aperta o coração.
FELICIDADE é um momento que não tem pressa nenhuma.
AMIZADE é compartilhar a vida com aqueles que amas, por mais diferentes que eles sejam.
CULPA é quando tu estás convencido que podias ter feito algo diferente, mas que nem sequer o tentaste.
LUCIDEZ é um acesso de loucura ao contrário.
RAZÃO é quando o cuidado aproveita que a emoção esteja a dormir e toma o comando.
VONTADE é um desejo que nos incentiva a fazer novas descobertas.
PAIXÃO é quando, apesar da palavra “perigo”, o desejo chega e se instala.
AMOR é quando o resto da tua vida não te é suficiente para compartilhar com essa pessoa especial.

AGRADECIMENTO! ESTA MARAVILHOSA SENSAÇÃO QUE ME FAZ TER TEMPO PARA POSTAR ISTO AQUI!!!

NÃO INVISTAM EM LAMENTOS NEM EM PREOCUPAÇÕES, PORQUE NÃO É RENTÁVEL... POIS SER FELIZ É...
TOTALMENTE GRÁTIS!!!

Música : RODA VIVA

Tem dias que a gente se sente
Como quem partiu ou morreu
A gente estancou de repente
Ou foi o mundo então que cresceu...

A gente quer ter voz ativa
No nosso destino mandar
Mas eis que chega a roda viva
E carrega o destino prá lá ...

Roda mundo, roda gigante
Roda moinho, roda pião
O tempo rodou num instante
Nas voltas do meu coração...

A gente vai contra a corrente
Até não poder resistir
Na volta do barco é que sente
O quanto deixou de cumprir...

Faz tempo que a gente cultiva
A mais linda roseira que há
Mas eis que chega a roda viva
E carrega a roseira prá lá...

A roda da saia mulata
Não quer mais rodar não senhor
Não posso fazer serenata
A roda de samba acabou...

A gente toma a iniciativa
Viola na rua a cantar
Mas eis que chega a roda viva
E carrega a viola prá lá...

O samba, a viola, a roseira
Que um dia a fogueira queimou
Foi tudo ilusão passageira
Que a brisa primeira levou...

No peito a saudade cativa
Faz força pro tempo parar
Mas eis que chega a roda viva
E carrega a saudade prá lá ...

Roda mundo, roda gigante
Roda moinho, roda pião
O tempo rodou num instante
Nas voltas do meu coração...

[Chico Buarque]

Gosto de gente...

Gosto de gente com brilho nos olhos, que incendeia os outros com a chama do fogo da paixão, o que é próprio das pessoas que escolheram fazer o que gostam. Presto mais atenção, ainda, naquela pessoa que aprende a gostar do que está fazendo…
Gosto de gente que não recua frente aos desafios de modificar o que precisa ser modificado. Essas pessoas sabem que a força e o sucesso da transformação, está em saber que o primeiro e o mais importante passo, é modificar a si próprias…
Gosto de gente que se emociona com o singelo da vida. Esses são diferenciados, pois nunca perdem a oportunidade de enxergar o óbvio e desfrutar da beleza, nem sempre aparente das coisas simples…
Gosto de gente que planta, de gente que colhe e de quem sabe plantar para colher. Esses têm a iniciativa dos empreendedores…
Gosto de gente que resiste às tentações do ilícito e do mal e repudia todas as suas outras formas de manifestação. Esses podem ter convivido uma vida inteira na pobreza, mas nunca conhecerão a sua pior forma de expressão: a pobreza de espírito…
Admiro muito os que sabem reconhecer e compartilhar o crédito com o autor da obra! Gente assim tem uma maneira a mais de se realizar e crescer pelo sucesso do outro…
Gosto daquele que tem o hábito de agradecer. Essa prática combina gratidão com humildade, dois ingredientes imprescindíveis para a manutenção do sucesso…
Gosto de gente perseverante, pois, sem dúvida, a tenacidade é a forma mais certa de superação…
Admiro as pessoas que brilham como as estrelas. Mas aprendi gostar e apreciar o brilho maior, muitas vezes invisível:
”dos produtores de estrelas…”
Gosto de gente que repudia o preconceito em todas as suas formas de manifestação. Esses sabem o valor da inclusão e da importância de conviver com a diversidade…
Gosto de gente que engravida além do biológico. Esse ser masculino ou feminino, gera a vida por solidariedade e dá abrigo ao próximo. Pessoas assim, com certeza, têm um órgão a mais que os outros:
um útero no coração…
Gosto de estar perto de gente jovem de qualquer idade. Pessoas com
essa característica, jamais criarão rugas na alma…
Gosto de gente que sabe que o crescimento como pessoa, vem da capacidade de tolerar o intolerável, de conviver com o que parece impossível de conviver e muito, mas muito acima, perdoar o que todos imaginam o imperdoável…
Gosto de gente que faz da atividade presente, a grande construtora do futuro. Esses terão sempre sua história conspirando a seu favor…
Gosto dos amantes do belo e estou desconfiado, que é de gente assim
que Deus também gosta.

(autor desconhecido)

Poesia - É preciso dizer as coisas...


Vai esfriar esta noite;
Tem estrela demais no firmamento
Atenuando minha solidão.
.
Fiz-me um jardim
Cercado de muros altos.
Guardei-me num botão de rosa,
Como um amor intocado!
.
Pelo prazer maior do desejo
Fiquei à espera,
Não terminei a carta!
.
Fiz de mim e de meus sonhos
Uma sala de espera
Num tempo e templo vazios.
.
Agora no infinito
- (Cedo demais) -
O sol já está caindo,
E eu fiquei com a palavra morta,
Não tive tempo de dizer!
.
É preciso dizer as coisas.
O mundo passa,
...E voltamos a ficar a sós.

Delasnieve Daspet

Construindo a confiança

Em quantas pessoas você realmente confia? A pergunta soa um tanto ingênua, mas nos faz refletir a respeito das nossas relações nos dias atuais. Conhecemos um maior número de pessoas com as quais convivemos, os relacionamentos se multiplicam, os contatos sociais são facilitados. Comunicamo-nos mais facilmente, através de emails, sites de relacionamento, telefones móveis. E, paradoxalmente, nos sentimos cada vez mais sozinhos, mais vazios. Cheios de nomes na agenda telefônica, sem que possamos neles confiar, sem que possamos com eles contar, sem que tenhamos com quem dividir angústias, receios, medos e solidão. Como escreveu o comediante americano George Carlin, construímos mais computadores para armazenar mais informação, produzir mais cópias do que nunca, mas nos comunicamos cada vez menos. E, como conseqüência, temos muitos conhecidos, mas conhecemos muito pouco as pessoas. Daí, nossa dificuldade em encontrar em quem confiar, com quem dividir os pesos que, muitas vezes, trazemos na alma. E gostaríamos de ter com quem compartilhá-los. Mas, de onde nasce a confiança? Como se constrói a confiança de uns nos outros? Se analisarmos que confiar pode ser interpretado também como ‘fiar com’, entendemos que a confiança se constrói no exercício contínuo da convivência, do estar junto, do fiar as coisas do dia-a-dia com companheirismo. Quando nos permitimos a convivência com o próximo, o compartilhar das experiências, o dividir das responsabilidades, que aos poucos irão crescendo, estamos fiando as coisas da vida com os companheiros de jornada. É natural que a confiança não nasça rápida e indistintamente. É necessário que seja cultivada, que seja vivenciada. Aí está o fiar com alguém. Aquele que não se permite dividir pequenas tarefas, pequenas responsabilidades com o outro, sempre a desconfiar de alguém, descarta de antemão a possibilidade de construir a confiança mútua. É verdade que seria insensato confiar sentimentos, informações ou decisões indistintamente, com qualquer pessoa do nosso relacionamento. Mas o oposto também é um erro. Sempre haverá aqueles com os quais poderemos começar o exercício da convivência, do compartilhar o pouco, para logo mais a confiança começar a se estabelecer. Permitamo-nos sair da solidão e do isolamento, mesmo que cercados de uma multidão, para buscar esse ou aquele companheiro, a fim de iniciar o exercício de fiar juntos o sentimento da confiança. Alguns logo nos mostrarão que não estão dispostos a esse exercício. Outros caminharão apenas um trecho conosco. Porém, sempre haverá aqueles que aceitarão o convite da construção da amizade e da confiança.
Para chegar até esses, inevitavelmente passaremos por uns e outros.
Mas serão sempre o convívio, o conhecimento mútuo e o compartilhar, as ferramentas que melhor nos servirão para a construção da confiança e da amizade. Pensemos nisso e nos empenhemos nessa elaboração lenta e preciosa da confiança.

Redação do Momento Espírita

A EXPLICAÇÃO DA VIDA... Para rir!!!

No primeiro dia, Deus criou a vaca. E Deus disse:
"Tens que ir para o campo com o agricultor durante todo o dia e sofrer debaixo do sol, e dar leite para sustentar o agricultor. Eu dar-te-ei uma vida de 60 anos."
A vaca disse:
"É uma vida dura que tu queres que eu viva durante 60 anos. Dá-me somente 20 e eu devolvo-te os outros 40".
E Deus concordou.
No segundo dia, Deus criou o cão. E Deus disse:
"Senta-te todo o dia perto da porta da tua casa e ladra para qualquer pessoa que entre ou que passe por perto. Eu dar-te-ei 20 anos de vida. "
O cão disse:
"Isso é muito tempo para estar a ladrar. Dá-me somente 10 e eu devolvo-te os outros 10".
Deus concordou.
No terceiro dia, Deus criou o macaco. E Deus disse:
"Distrai as pessoas, faz truques de macaco e fá-los rir muito. Eu dar-te-ei 20 anos de vida."
O macaco disse:
"Que cansativo, truques de macaco durante 20 anos!? Acho que não. O cão devolveu-te 10 anos e é o que eu vou fazer também, ok?"
Deus concordou.
No quarto dia, Deus criou o Homem. E Deus disse:
"Come, dorme, brinca, faz sexo, diverte-te. Não faças nada, simplesmente diverte-te. Eu dar-te-ei 20 anos de vida".
O Homem disse:
"O quê!? Só 20 anos? Nem pensar! Vamos fazer o seguinte: eu fico com os 40 anos que a vaca devolveu, com os 10 do cão e os 10 do macaco. Isso faz 80. Pode ser?"
"Ok" - respondeu-lhe Deus. "Negócio fechado."
É por isso que durante os primeiros 20 anos comemos, dormimos, brincamos, praticamos sexo, divertimo-nos e não fazemos nada. Os 40 anos seguintes, sofremos ao sol para sustentar a nossa família, os 10 seguintes fazemos figura de macaco para entreter os nossos netos, e os últimos 10 anos sentamo-nos na varanda e ladramos a toda a gente.

Está explicada a vida!

Ela faz bebês... Vejam!!!



Ela faz...

Bebês em massa de pão?!

Simplesmente INCRÍVEL!!!



24 de out de 2010

Aids, muito além da dor

Milhões de pessoas serão contaminadas pelo vírus da AIDS, segundo dados da Organização Mundial de Saúde, e a África é o exemplo atual mais pungente dessa realidade. A doença espalha-se por toda a sua população, em todas as camadas sociais. A realidade é que o medo e o preconceito ainda escondem gestos inseguros e frágeis.
São inúmeros corações angustiados a esperar, de todos nós, o carinho e a atenção necessários para que possam viver com dignidade as suas lutas, acertos e desencontros. São adultos, crianças e jovens, que precisam descobrir o amor além da dor.
AIDS é tema delicado. Muito delicado mesmo. Ele mexe com as emoções porque envolve, dentre outros assuntos, o sexo e a morte, assuntos que são ainda tabus, estão cercados de preconceitos e de medo. No entanto, AIDS é uma triste realidade.
Não pode ser ignorada, tampouco negligenciada, tão dramática é a situação desta pandemia. Além do esclarecimento médico, devemos levar em conta o amor, o afeto, o carinho que os aidéticos merecem receber de todos nós.

do livro: Aids, muito além da dor - Fátima Moura

Alguns trechos do livro:

... abri os olhos devagarinho, com muito medo de descobrir que já não fazia mais parte do 'mundo dos vivos'; pois ultimamente meu estado de fraqueza era tal e eu passava tanto tempo adormecido, que na maioria das vezes, eu já nem sabia se era habitante do 'lado de cá' ou do 'lado de lá'...

... o que me importava se o dia que nascia era bonito ou feio? que diferença fazia?...

... talvez, aquele até fosse o último pôr-do-sol que eu vislumbrasse na vida...

"Somente chega a entender a vida, quem compreende a dor." André Luiz


"Todos somos irmãos constituindo uma família só, perante o Senhor; mas, até alcançarmos a fraternidade suprema, estagiaremos através de grupos diversos, de aprendizado em aprendizado." Emmanuel

Vídeo e letra do Poema: Metade - Oswaldo Montenegro


Que a força do medo que tenho não me impeça de ver o que anseio que a morte de tudo em que acredito não me tape os ouvidos e a boca porque metade de mim é o que eu grito mas a outra metade é silêncio.
Que a música que ouço ao longe seja linda ainda que tristeza que a mulher que amo seja pra sempre amada mesmo que distante porque metade de mim é partida mas a outra metade é saudade.
Que as palavras que eu falo não sejam ouvidas como prece e nem repetidas com fervor apenas respeitadas como a única coisa que resta a um homem inundado de sentimentos porque metade de mim é o que ouço mas a outra metade é o que calo.
Que essa minha vontade de ir embora se transforme na calma e na paz que eu mereço e que essa tensão que me corrói por dentro seja um dia recompensada porque metade de mim é o que penso mas a outra metade é um vulcão.
Que o medo da solidão se afaste e que o convívio comigo mesmo se torne ao menos suportável que o espelho reflita em meu rosto num doce sorriso que eu me lembro ter dado na infância porque metade de mim é a lembrança do que fuia outra metade não sei.
Que não seja preciso mais do que uma simples alegria pra me fazer aquietar o espírito e que o teu silêncio me fale cada vez mais porque metade de mim é abrigo mas a outra metade é cansaço.
Que a arte nos aponte uma resposta mesmo que ela não saiba e que ninguém a tente complicar porque é preciso simplicidade pra fazê-la florescer porque metade de mim é platéia e a outra metade é canção.
E que a minha loucura seja perdoada porque metade de mim é amor e a outra metade também.

A pedrinha... Confie!


As coisas acontecem na hora certa
Exatamente quando devem acontecer
Momentos felizes... louve a Deus
Momentos difíceis... busque a Deus
Momentos silenciosos... adore a Deus
Momentos dolorosos... confie em Deus
Cada momento... agradeça a Deus!

Um amor de tubarão! Aff!!!



A revista francesa "Le magazine des voyages de pêche" na sua edição nº 56, traz uma notícia espantosa: uma história de amor admirável.

Arnold Pointer um pescador profissional do sul da Austrália libertou uma grande fêmea de Tubarão Branco (Carcharodon carcharias) das redes de pesca em que tinha ficado presa, livrando-a de uma morte certa.


Agora este pescador tem um problema. Ele afirma:

"Há dois anos que ela não me larga. Ela segue-me para toda a parte. A sua presença faz fugir os peixes que quero pescar. Não sei mais o que fazer."



Efetivamente, difícil de se livrar de um tubarão de uma espécie protegida medindo 5 metros. Estabeleceu-se uma afeição mútua entre Arnold e "Cindy". Arnold diz: "A partir do momento que paro o barco ela aproxima-se, vira-se de costas para que eu lhe acaricie o ventre e o pescoço, ela grunhe, rola os olhos, bate com as barbatanas..."

Simplesmente admirável!!!

Um tubarão, um homem, um: "muito obrigado por ter salvo a minha vida."


O homem ainda tem muito o que aprender com os animais.


Um bom dia para você!