CHEGUE NA PAZ

29 de ago de 2010

Sou barco ancorado no teu mar (Poesia)

Me faço mar quando me enlaças como onda
em maresia embriagada adoçando a boca tua
revestindo o silêncio num enlace de anaconda
ouço o marulho envolvente odorando a pele nua.

Me faço areia se alcanço em grãos a tua praia
em sol ardente que aquece em fogo da paixão
limitando no teu corpo a minha onda imaginária
que derrapa os grãos de areia em ancoração.

Me faço barco se em teu corpo é a enseada
em sol poente em que é nascente o meu amor
e jogo a rede que seduz e me faz ser tua amada
quando em teus braços sou o barco e ancorador.

Maria Nogueira Martinelli
(Sapeka)

Nenhum comentário:

Postar um comentário