CHEGUE NA PAZ

22 de ago de 2010

Prazo Final (Poesia)


Nada pode retardar o que é inevitável
E onde limitar a razão?
Creio que não há peso nesta medida
Não existe horizonte distante a ponto
De servir como obstáculo ao eterno.


Mas para tudo tem que existir
Um prazo para se cumprir
Uma meta concreta na vida
Para não se perder no futuro
Para não se prender ao presente
É necessário não sermos carrascos
E dar asas aos pássaros que prendemos
Em nossa prisão chamada coração.
Solte seus pássaros!
Contemple seu canto!
E verá que fez a coisa certa.

Autor: Jorge Jacinto da Silva Junior

Nenhum comentário:

Postar um comentário