CHEGUE NA PAZ

21 de ago de 2010

Desabafo de um passarinho





Cortem minhas asas
Mas não colem meu bico
Pois eu, sou um passarinho
Que não vive sem cantar.

Prendam-me em uma gaiola
Contudo empreste-me um sorriso
Pois longe da minha morada
Sou ninguém... não existo.



Comova-se com minha tristeza e lance-me à liberdade
Para que eu retorne em paz aos que me esperam em meu lar
Vou recompensar-te refletindo a minha felicidade
Em um coro de passarinhos toda manhã a te acordar.

Autor: Jorge Jacinto da Silva Junior

2 comentários: